10 Anime cuja continuação ainda anseio – Pedro Costa

por Pedro Costa
10 Anime cuja continuação ainda anseio - Pedro Costa

Esta é uma listagem que qualquer fã que já possua umas dezenas de anime assistidos no seu catálogo, consegue facilmente fazer.

É uma lista um tanto quanto angustiante porque serve para nos recordar que, em termos da indústria anime e/ou manga, há muitas coisas que escapam à nossa percepção e sobre as quais possuímos zero controlo.

Embora até seja relativamente fácil de assumir, este artigo diz apenas respeito a anime que derivam de adaptações, sejam elas de manga ou novels. As condições da produção anime, os contratos com as editoras, a falta de material a adaptar, são alguns dos motivos que levam, muitas vezes, a que os anime simplesmente parem. Agora, o porquê de não continuarem posteriormente… escapa-nos.

E é assim que chegamos até aqui!

Neste artigo quero partilhar com vocês 10 anime (+1, depois vão entender) cuja continuação ainda aguardo paciente, mas ardentemente.

 

[Nota: Esta lista não está de forma alguma ordenada. Calhou foi as cinco entradas finais dizerem respeito às continuações que mais anseio.]

 

10 Anime cuja continuação ainda anseio – Pedro Costa

 

Deadman Wonderland (2011)

Credo! Já passaram 9 anos??

Pois bem, em 2011 fomos agraciados com a adaptação anime do manga por Kazuma Kondou e Jinsei Kataoka. O anime teve uns alucinantes 12 episódios que culminaram num twist. Twist esse de tal forma sumarento, que até hoje me faz pensar se não fui burro por ainda não ter lido o manga, optando por aguardar por uma continuação anime que pode nunca vir acontecer.

Qual o motivo? Não sei, mas posso especular. O manga só foi concluído em 2013, logo uma pausa inicial poderia estar relacionada com o deixar o manga terminar, para adaptar o resto. Mas nunca mais se soube nada sobre o assunto. Não sei até que ponto a falência do estúdio Manglobe, que produziu o anime, teve algum impacto neste “silêncio”…

Tal como lerão noutros aqui na lista, até não seria má ideia readaptar o manga todo desde o início, com outro estúdio claro.

 

 

Hajime no Ippo (2000)

Calma, acima pus 2000 por ser o ano no qual a adaptação anime original estreou. Desde então, o anime recebeu mais duas continuações: ‘Hajime no Ippo: New Challenger’ e ‘Hajime no Ippo: Rising’

Dado tratar-se da adaptação do muito aclamado manga por George Morikawa, que recentemente lançou o seu 128.º volume, e já ter recebido continuação por mais de uma vez, a probabilidade de voltar é alta. Contudo, já passaram 6 anos desde “Rising” e eu já estou cheio de saudades!

 

 

Aku no Hana (2013)

Yep, o pesadelo rotoscópico de muita gente está aqui. Para ser sincero, coloquei-o na lista pela mera curiosidade mórbida de ver como iriam adaptar a segunda parte do manga. Para quem não conhece, também não vou ‘spoilar’, apenas digo que o que parece estranho e invasivo na primeira parte (que o anime adapta) a segunda intensifica e magnifica em dez ordens de grandeza. Estes ‘teens’ são muito, muito ‘edgy’! xD

Nem tem que ser com recurso a rotoscopia, bastaria adaptarem de forma tradicional (até porque seria bem estranho saber que pessoas tiveram que atuar aquelas cenas para ser feito o tracing! O.O).

 

 

Ballroom e Youkoso (2017)

É uma adaptação de 2017, produzida pela Production I.G., o que está aqui a fazer? A sua continuação não é provável? 

Bom, escrita do além, tu tens razão… mas há um senão um pouco triste. Quem acompanhou a nossa cobertura de notícias do manga, deve recordar-se que a certa altura o próprio anime ultrapassou ligeiramente o manga. Esta ultrapassagem foi pequena e orientada pelo mangaka Tomo Takeuchi. Isto deveu-se a motivos de saúde de Takeuchi-sensei.

Esses problemas levaram depois a que o manga entrasse em hiato entre dezembro de 2017 e julho de 2019. Já este ano, em janeiro, o mestre voltou a interromper a sua obra por motivos de saúde, desta feita indefinidamente. Entretanto meteu-se a pandemia de COVID-19 que levou a atraso ainda maior. Contudo, uma luz de esperança surgiu pelo próprio Takeuchi-sensei a 5 de junho. Recorrendo ao seu Twitter, disse que iria voltar ao trabalho este mês. Só espero que a sua saúde esteja melhor, que possa levar ‘Ballroom e Youkoso’ ao final que ele deseja e que posteriormente possamos receber a continuação do anime.

 

 

Magi (2012)

Tal como fiz com ‘Hajime no Ippo’, o 2012 diz respeito ao ano em que se iniciou a adaptação anime de ‘Magi’, intitulada ‘Magi: The Labyrinth of Magic’. Um ano depois, foi lançada a continuação ‘Magi: The Kingdom of Magic’, a qual terminou em 2014. E desde então… nada.

O manga original por Shinobu Ohtaka foi concluído em 2017, com um total de 37 volumes. Acho que está na altura da A-1 Pictures começar a fazer o desmame do Kirito e de ‘SAO’ como um todo, e regressar ao mundo verdadeiramente mágico de ‘Magi’

 

 

One Outs (2008)

‘One Outs’ é um dos meus anime de desporto favoritos e, mal o concluí, soube que a jornada de Toua não terminava ali. O anime só adapta 10 dos 20 volumes do manga, logo há ainda metade da história para contar.

A somar a isto, aquando da adaptação, já a obra original por Shinobu Kaitani havia sido concluída. Então, porque não continuou? Não faço ideia, nem consigo conjecturar. Só sei que sempre que ouço este opening anseio por mais.

 

 

Katekyo Hitman Reborn (2006)

Para os mais desatentos, “Katekyo Hitman Reborn” é um manga da autoria de Akira Amano  que foi serializado na Weekly Shonen Jump entre 2004 e 2012. Olhando para as datas, dá para perceber a concorrência de peso que o manga tinha na revista da Shueisha. Ainda assim, foi completado e compilado em 42 volumes.

Em 2006 estreou a sua adaptação anime, a qual viria a terminar em 2010 com um total de 203 episódios. Por adaptar ficam dois arcs: “Inheritance Ceremony Arc” e “The Curse of the Rainbow Arc”. Claramente caíram no esquecimento, tal como o anime, que eu considero como um dos mais subvalorizados do seu género. No Japão a obra mantém-se relevante com encenações, mas conclusão do anime nem vê-la…

São só mais dois arcs, façam lá o jeitinho!

 

 

Prison School (2015)

A jornada hilariante e repleta de peripécias de Kyoshi e companhia, levaram-me a querer coleccionar o manga original por Akira Hiramoto. Embora o esteja a coleccionar diligentemente, volume a volume, sinto muitas saudades do anime, pois o som, o “trabalho de câmera” e o movimento, conferem uma dimensão diferente à obra.

Gostava de ter a dupla experiência de poder ler o manga e ver o anime e, dado que o manga foi concluído em 2017, não creio que seja um cenário impossível. 

No mesmo ano em que saiu o anime, lançaram uma adaptação em série live-action, a qual, ainda que mais contida, é também ela um primor. Mas adapta o mesmo que o anime, então gera o mesmo nível de insatisfação aquando do último episódio.

Continuarei à espera e, entretanto, agarro-me ao manga.

 

 

No Game No Life (2014)

O desespero da comunidade por uma continuação de ‘No Game No Life’ é tal, que nesta altura é o cabeça de cartaz de todas as vezes que se fala no assunto.

Não tenho nada a acrescentar a este “doloroso meme”. Tragam de volta a Shiro e o Sora (e a Jibril também)!

 

 

SLAM DUNK (1993)

Esta escolha deixa-me de coração divido. Eu quero uma continuação da adaptação do fantástico manga por Takehiko Inoue. Mas por outro lado, parte do saudosismo prende-se com a animação da adaptação iniciada em 1993 e concluída em 1996, com 101 episódios.

Ficaram sensivelmente 9/10 volumes de história do manga por adaptar. Quero mesmo que ‘SLAM DUNK’ possa voltar, ou mesmo ser totalmente readaptado, se acharem que uma melhoria visual se adequaria mais aos dias de hoje. Desde que mantenha a sua “essência”, quero é que volte! O manga é um dos melhores e o anime também o é, mesmo no seu estado inacabado…

 

 

[BÓNUS]

Highschool of the Dead (2010)

Porque vem o anime de ‘Highschool of the Dead’ separado dos demais? Porque sinceramente a sua continuação e posterior conclusão me parecem impossíveis. 

Digo isso porque, caso não estejam a par, o criador da história do manga original, Daisuke Satou, faleceu prematuramente em 2017. A obra permanece e permanecerá inacabada, uma vez que o seu parceiro no manga e responsável pela arte deste, Shouji Satou, se recusa (e a meu ver bem) a continuar/concluir a obra sem o seu escritor.

Parafraseando o que ele disse numa entrevista:

O volume final de HOTD é o Volume 7. Aquele que poderia escrever uma continuação adequada, já não se encontra neste mundo. Daisuke Satou era um escritor excepcional, mesmo que alguém considere o material trivial, o seu compromisso era fora deste mundo. Ele não era irresoluto nem deixava que outros interferissem com a sua visão. Portanto, se eu fosse continuar-lá [a obra] agora, seria como se estivesse a cuspir na sua campa.

 

Por tudo isto, sei que uma continuação não será possível, mas não queria deixar de destacar o anime, já que desejo a sua continuação desde que o vi em 2010!

 

 


E vocês, por que adaptações estão há anos à espera? Partilham de algum dos meus desejos? Digam-me nos comentários abaixo!

 

Em linha com este tema de “continuações e regressos”:

Shaman King – Manga vai receber Novo Anime

 


Outros TOPs meus:


 

0 comentário


Loading...

Também deverás gostar de

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.