A leitura de Manga em Portugal – Inquérito Universitário

por Raquel Cupertino
A leitura de Manga em Portugal

Atualmente disponível nas redes sociais, partilhado em vários grupos temáticos, encontra-se em vigor um inquérito universitário sobre “A leitura de Manga em Portugal”. O tema não nos foi indiferente e, como plataforma divulgadora de manga, fizemos questão de apoiar esta estudante do Mestrado de Tradução e Comunicação Multilingue da Universidade do Minho.


Link do inquérito: AQUI


 

Laura Teixeira é o seu nome e será ela a explicar-vos um pouco mais sobre este projeto.

 

A leitura de Manga em Portugal – Inquérito Universitário

Na UC (Unidade Curricular) de Metodologias e Práticas de Tradução e Comunicação Língua Inglesa, surgiu, por parte dos Professores, um projeto que iria incidir sobre a tradução e/ou visibilidade do tradutor numa obra escrita ou audiovisual. 

Após ver alguns trabalhos de alunos dos anos anteriores apercebi-me que este não teria de ser exclusivamente sobre uma obra Inglesa. Nesse momento pensei no quão bom seria investigar sobre a visibilidade dos tradutores de algo que eu gostasse verdadeiramente, e que não me fosse aborrecer.
Sendo uma leitora ávida de mangas, e tendo noção de que só recentemente começaram a ser traduzidos mangas para Português de Portugal, pensei

 

“e porque não fazer um estudo sobre a leitura de manga em Portugal?”

 

Os meus Professores aceitaram de imediato a ideia, no entanto não tinha a certeza se me deveria debruçar sobre uma obra específica, como Naruto que já existe traduzido em Inglês e Português há algum tempo, ou de uma maneira mais geral e abrangente no mundo dos mangas.

 

A leitura de Manga em Portugal - Inquérito Universitário

 

Primeiro passo – Os Tradutores de Manga 

Decidi então abraçar a leitura de todos os mangas em Portugal, para tirar a curiosidade e aprender alguns factos.
A primeira coisa que fiz ao chegar a casa foi sentar-me em frente à minha estante de mangas e procurar em todos eles os nomes dos tradutores. Estavam tão escondidos que tive dificuldades, mas o que mais me surpreendeu foi que nunca, em altura alguma, me dei ao trabalho de ir procurar pelo nome do tradutor dos meus tão adorados e valiosos mangas. Eu, que quero ser tradutora de mangas e obras japonesas apercebi-me de que nunca me perguntei quem me trouxe Naruto em Inglês. Apercebi-me aí que a visibilidade destes tradutores era quase inexistente, principalmente porque a maioria dos mangas que leio são online e traduzidos por fãs que se identificam por nicknames.

 

“Se fizer um inquérito sou capaz de perceber se o resto da comunidade leitora de mangas é como eu ou não” – pensei

 

Comecei então a planear as perguntas que iria fazer, o tipo de cartaz que iria elaborar, e acabei por adicionar perguntas sobre a aprendizagem de inglês pois achei que muitos leitores iriam relacionar a leitura de mangas em inglês a algum tipo de benefício linguístico, como foi o meu caso.

Objetivos do Inquérito

  • Avaliar de que maneira os leitores de manga veem a tradução e o seu custo, se associam a leitura de manga numa língua não materna a benefícios, e a confiança que depositam nas traduções que leem.
  • Fazer um ponto de situação da comunidade em termos etários e de ocupação, e ainda saber a opinião da mesma em relação ao atual estado do mercado de manga Português.

 

E são iniciativas como esta que ajudam na valorização académica e social do manga. A banda desenhada japonesa é habitualmente marginalizada como objeto de leitura de reduzido valor literário e mesmo educacional. Desejo do fundo do coração que, aos poucos, a sociedade e a Educação comece a olhar com outros olhos estas obras que tanto enriquecem a literatura mundial.

 

0 comentário

Também deverás gostar de

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.