Brothers Conflict – Análise

Continuam as análises do ptAnime a séries da temporada de verão do ano 2013. Depois de “Blood Lad” e “WATAMOTE“, chegou agora a vez de darmos a conhecer “Brothers Conflict” aos adeptos do Anime que (ainda!) desconhecem esta obra.

 

Brothers Conflict – A História

Ema Hinata, também conhecida por “Chi-chan”, vê a sua vida dar uma volta de 180 graus de um momento para o outro. Tudo porque o seu pai, Rintarou Hinata, vai casar com Miwa Asahina, mulher que tem treze (13!) filhos, todos eles do sexo masculino.

Ainda antes do casamento ser oficializado, a jovem Chi muda-se para a casa dos seus novos “irmãos” de forma a integrar-se melhor no seio da sua nova família. Uma mudança que inicialmente até vai correr muito bem, pois todos a vão acolher da melhor maneira, mas que mais tarde vai dar origem a muitos conflitos entre irmãos, como o nome da série sugere.

Com Ema sempre no centro das atenções e o amor a ser o sentimento predominante nesta história, conseguirá a jovem suster os ímpetos dos irmãos que se sentem livres para a conquistar, visto que não há laços de sangue que os una?

 

 

Brothers Conflict – Ambiente e Enredo

Sem estar com muitos rodeios, é com grande convicção que caraterizo “Brother’s Conflict” como uma série de fraca qualidade, particularmente ao nível do enredo que é sempre um dos pontos mais relevantes para qualquer obra. Ao longo dos seus 12 episódios, a produção assume um ciclo repetitivo que se baseia nos treze novos irmãos de Chi. Todos eles, mais tarde ou mais cedo, aproveitam o seu “tempo de antena” para tentarem conquistar a protagonista da história. Por seu lado, a jovem rapariga começa a sentir-se tão confusa que nem sabe como reagir a todas estas situações, acabando por não rejeitar os beijos amorosos de quem quer que seja. Não há, portanto, grande suspense ou mistério no que toca ao desenrolar dos acontecimentos, tornando-se a série cada vez mais maçadora com o avançar dos episódios.

Um outro aspeto digno de referência é a concepção gráfica das personagens, ou melhor, dos irmãos de Ema Hinata. Se alguns assumem aquilo a que podemos chamar de “aspeto normal ou tradicional”, outros têm formas, estilos e aparências extremamente fora do comum. Em alguns casos, a palavra “ridículo” será a melhor para avaliar alguns deles. Já noutras situações podemos utilizar a orientação da série mais para o público feminino como justificação, uma vez que um ou outro irmão, embora do sexo masculino, facilmente passam por ser mulheres. Seja como for, este excentrismo exagerado presente nas construções gráficas das personagens eram de se evitar.

No meio de tudo isto, salvam-se as paisagens que dão cor e tonalidade às cenas. O facto de serem vários irmãos e todos eles terem ocupações que diferem umas das outras faz com que sejamos redirecionados para todo o tipo de sítios, sejam eles espaços musicais, desportivos, centros comerciais ou paisagens naturais, todos eles muito bem elaborados e apreciáveis da nossa parte.

Finalmente, para trazer um pouco de alegria à série, de salientar a vertente musical, não em termos de banda sonora que até passa despercebida, mas pelo menos o Opening e o Ending são bastante animados na sua parte sonora e como tal apreciáveis.

 

 

Brothers Conflict – As Personagens

Numa série em que os protagonistas passam por ser uma rapariga e treze irmãos de sangue com quem a jovem se vê envolvida, não seria razoável da minha parte estar aqui a caraterizar alguns deles e outros não, pelo que se segue apenas uma breve caraterização de Ema, a personagem em torno de qual giram todos os acontecimentos.

Com uma aparência doce e singela, Hinata rapidamente dá a entender a qualquer pessoa que é de fácil comunicação, como se comprova pelas investidas iniciais de alguns dos seus novos irmãos. Traços caraterísticos estes que ao juntarem-se à sua sensibilidade e preocupação para com os problemas dos outros a tornam uma rapariga solidária, carinhosa e atenciosa. Na verdade, será esta sua personalidade e a sua beleza exterior a levá-la ao “Conflito de Irmãos” que deu origem a este anime.

 

 

Brothers Conflict – Juízo Final

Resumindo, estamos diante de uma história que qualquer que seja o tema dos episódios, praticamente todos eles terminam da mesma forma, isto é, numa declaração de amor de um dos irmãos a Chi. Um facto que pode saturar mesmo os mais sentimentais, pois a repetição exagerada deste ato amoroso faz com que o dito cujo perca o seu real sentido e valor.

Com uma estrutura demasiado simplista em termos de enredo e cujos próprios desenvolvimentos ficam aquém das expectativas, “Brothers Conflict” não nos dá grandes argumentos para evitar ser colocada de lado. No entanto, paira no ar a hipótese de uma segunda temporada, o que a confirmar-se poderá ser encarada como uma nova oportunidade para os seus responsáveis nos proporcionarem algo melhor de se ver e capaz de corrigir algumas das fraquezas evidentes nesta primeira produção. A ver vamos!

 

Brothers Conflict – Trailer

 

 

 

Artigos Relacionados

Boku no Hero Academia Temporada 5 Episódio 10 e 11 – Opinião

RE-MAIN – Anime original revela novo Vídeo Promo

Shiroi Suna no Aquatope – Anime revela novo Vídeo Promo