Dr. Stone – Análise

Ohayou sekai, good morning world!!!!!

 

Espero que  esta maravilhosa música adentre os teus ouvidos! E assim como eu, vocês possam estar prontos para relembrar e analisar este anime maravilhoso que foi Dr. Stone! Antes de começarmos eu convido-vos a ler minhas primeiras impressões, e estejam conscientes que, independente das minhas opiniões Dr. Stone já ganhou segunda temporada!

 

 

Dr. Stone – Análise

Eis que estou com um grande problema em mãos: por onde começar? Gostei tanto de Dr. Stone que fica difícil criar uma linha de raciocínio para nossa análise. Bem, de qualquer forma, que tal falarmos da história? Dr. Stone parou num momento ótimo, a história encontra-se no auge, desta forma eles deixaram um tremendo cliffhanger, a iminente guerra que está a ser travada certamente atrairá muitos para a segunda temporada.

Gostei muito do desenrolar dos acontecimentos, em alguns momentos, como o time lapse do primeiro episódio, ou a construção do telefone, o tempo passa demasiadamente rápido. São meses que passam em poucos minutos. Em outros, como o torneio para decidir o chefe da vila ou o embate contra Hyoga na ponte, são poucos minutos que arrastaram-se por episódios. Tudo isso trouxe uma boa dinâmica ao desenrolar.

 

 

Um shounen apesar de tudo

Dr. Stone é sem tirar nem pôr um shounen, é impossível classificá-lo como algo diferente disto. Nos seus exageros ele torna-se genial e extremamente divertido, e por isso digo que ele é um perfeito exemplo de shounen. Ao meu ver animes shounem têm a habilidade de transformar tudo em algo grandioso e incrível e é exatamente o que ocorre aqui.

Enquanto Goku vencia as diversas formas de Freeza, Naruto derrotava membros da Akatsuki e Ichigo subjugava Espadas, Senku e o Kingdom of Science construíam novos equipamentos! Mesmo havendo um “inimigo”, mesmo com Tsukasa sempre presente como uma sombra, o único e verdadeiro desafio que carregou o anime foram os diversos experimentos e a “auto superação”. Parabéns a Inagaki-seinsei e a Boichi-sensei por terem feito que Física, Química e Matemática ficassem interessantes.

 

 

O exagero que enriquece

A grande ideia de Dr. Stone é que mesmo com os fatos científicos verídicos, o exagero das animações está presente. Claro que Senku é inteligente e conhece a teoria para fazer-se uma katana, mesmo assim seria basicamente impossível Kaseki conseguir fazê-las assim de forma tão rápida, mesmo que defeituosas. Outros exageros são a força descomunal de Tsukasa ou a resistência sobre humana de Taiju, o simples facto de Senku ter contado por mais de mil anos já é um absurdo.

Este exagero é o que faz com que Dr. Stone seja tão dinâmico e divertido. Apesar de todos os pontos corretos e da “ciência” bem aplicada, o que sempre esperamos por ver é uma solução milagrosa! Queremos ver Chrome ter uma ideia sozinho, queremos ver Kaseki arrebentar as suas roupas de empolgação ou Gen persuadir alguém. Queremos ver Senku construir coisas que não deveriam ser construídas em tal situação, isto é Dr. Stone!

 

 

Dr. Stone – Análise | Um comparativo necessário

Obrigo-me a comparar o anime e o manga, não uma comparação quadro a quadro, ou exigir que a adaptação seja perfeitamente igual. Mas simplesmente observar um ponto, a arte, Boichi é um monstro, isto é um facto, o seu traço é maravilhoso, e normalmente muito maduro. Ele conseguiu, de forma maestral, adaptar este traço para o público da Jump. Mesmo assim, é um traço muito “carregado” com muitos detalhes e de uma extrema sensualizado.

Dito tudo isto, eu acredito que Dr. Stone não chegou lá, quanto à fidelidade no traço, na sua arte. Não me levem a mal, por favor, Dr. Stone foi muito bem animado e tem cenas lindíssimas, mas o anime, ao meu ver, não mantém um nível constante. Algumas cenas tanto os traços quanto as proporções falham, dando uma pequena, bem pequena, sensação de estranheza.

 

 

Marchando em direção da Guerra

O último episódio deixou-nos com muito mais que simplesmente o gosto do que está por vir, tivemos um vislumbre de alguns dos seguidores de Tsukasa, como conhecedor do manga estou muito empolgado para vê-los. Outra coisa que empolga-me para a próxima temporada é o reencontro entre Senku, Taiju e Yuzuriha, o trio original voltará a interagir de um forma ou de outra! Só de ver Taiju e Yuzuriha neste final de episódio já me deixou de sorriso no rosto.

 

 

Quero saber de vocês!! O que acharam de Dr. Stone? Gostaram? Ansiosos pela próxima temporada? Partilhem vossas opiniões, estou curioso para sabe-las!

 

This is Exhilarating

 

 

Artigos Relacionados

Yatogame-chan Kansatsu Nikki – 3.ª Temporada revela Data de Estreia

Kamisama ni Natta Hi Episódio 5 – Opinião

Akudama Drive Episódio 5 – Opinião

3 comentários

ChadGrey 20 Dezembro, 2019 - 14:52

Aquele contra porque… Teria que ter algo preenchido naquele campo…

Outra coisa… Talvez não discorde (ou concorde com reservas) que Dr. Stone seja um shounen… Apesar de tudo o anime é dirigido para um publico infantil-juvenil, mas achei [bastate] triste a comparação [incomparável] de que Goku vence batalhas, assim como Naruto e Luffy etc…. Enquando Senku constrói equipamentos… Hein?!?!? Como?!? Então literalmente todos os animes que não tenham conteúdo gore é Shounen, é isso?!? Não faz sentido.

E porque é que só por ser anime não pode ter categorias como Anime de Acção/Aventura ou Anime Pós-Apocalítico ou mesmo Ficção Científica (que é o que eu atribuiria mais facilmente)? Ficaria muito mainstream?

Roberto Filho 22 Dezembro, 2019 - 4:20

Olá ChadGrey,
Acho que estamos a confundir um pouco os conceitos de demografias e géneros.
Tu podes ter um shounen que é Ecchi, por exemplo Ichigo 100%, romance como Isekoi, terror como The Promised Neverland e até suspense como Death Note.
Em momento algum disse que se não tem conteúdo gora é shounen. O que fiz foi usar como argumento a estrutura narrativa típica em obras shounen da jump: desafio – treino – embate – superacao – desafio – treino.
Esta estrutura está presente nas obras referidas e apenas as usei como exemplo comparativo de forma a mostrar um ponto de vista: o ser shounen. Nunca em momento algum tentei levar como algo prejurativo ou tentei colocar Dr Stone num “saco” específico e super filtrado.

LEANDRO SANTOS 30 Dezembro, 2019 - 20:25

adorei a temporada.

divertida, misturou ciência sem nunca ser aborrecida, teve quase sempre um bom ritmo e os protagonistas são bons.
gostei da forma como terminou, como dizes, no auje. a abordagem foi interessante, deixaram o confronto principal de lado, mas sem nunca nos deixarem esqucer que ele iria existir.
o trio original era muito dinâmico e quando ele se partiu não gostei muito, mas os que vieram a seguir compensaram a ausência, mas agora com o seu regresso as coisas ainda vão ser melhores.

o unico ponto negativo é quando o ritmo não é contante, ou passa tudo muito depressa, ou tudo muito devagar, ahh, e gostava de ter mais um episódio sobre o passado..

que venha de lá rápido 2020 que eu quero ver como isto acaba

Comentar