Kaizoku Oujo Episódios 1 a 6 – Análise

  • Título: Kaizoku Oujo (Fena: Pirate Princess)
  • Adaptação: Original
  • Produtora: Production I.G 
  • Temporada: Verão 2021
  • Género / Demografia: Aventura, Ação

 

Kaizoku Oujo Episódios 1 a 6 – Análise

 

Bem vindos a mais uma análise!

Hoje, mais uma vez, venho dar o corpo ao manifesto pelos animes underrated. Neste caso temos um anime que, na minha opinião, sofreu na sua visibilidade pelo seu timing de estreia pouco convencional. Mas não obstante tudo isso, Kaizoku Oujo é um anime de verão com um pé na temporada de outono do meu adorado estúdio Production I.G.

Aliás, foi exatamente por ser produzido por este estúdio que o anime me chamou à atenção. Após ter visto o primeiro trailer, fiquei abismada com a qualidade da animação e, apartir desse momento, já sabia que este era um must watch para mim, para fechar a temporada de verão. No entanto, esta será uma análise um pouco diferente. Decidi dividir esta análise em duas partes depois de ter constatado que a história desta obra é bem mais complexa e interessante do que aparenta. Mas agora, sem adiar mais, passemos então ao fantástico mundo de Kaizoku Oujo! 

 

 

 

Fena : Pirata das Caraíbas

A história de Kaizoku Oujo é, na verdade, bastante básica. Tudo começa num desastre em alto mar no qual o pai de Fena, Franz, se sacrifica para garantir que Fena consegue escapar, com a ajuda do seu amigo de infância e crush Yukimaru. No entanto, antes de morrer e Fena escapar, Fergus indica que Fena tem que encontrar “o Eden”, um lugar misterioso que é tipo o “El dorado” lá do sítio.

Passados alguns anos, descobrimos que Fena deu à costa numa ilha britânica qualquer, no tempo histórico dos Piratas das Caraíbas (eheh). O problema é que, nesta ilha, Fena não tem nenhuma opção senão ser uma prostituta ao serviço dos soldados do império britânico, sendo forçada a casar com um destes soldados bem asquerosos. Apesar de ter um plano de fuga que mais parece um livro de ilustrações para crianças, Fena não desiste de fugir dos seus opressores e… consegue! Mas o que virá a seguir, após a sua fuga?

 

 

Talvez… uma viajem à volta do mundo para descobrir o significado da pedra de cristal que o seu pai lhe deixou, enquanto é acompanhada por Yukimaru e pelos restantes mercenários samurais seus amigos? E porque não? O mais chato é que, para desvendar todos estes mistérios, seria necessário a Fena ter boa memória e lembrar-se das coisas, o que não acontece. Mas como ficar em terra também não resolve nada, Fena corta o cabelo e finalmente fica pronta para uma aventura com estes mercenários tão simpáticos cuja missão é protegerem a nobre Fena Houtman cuja descendência é igualmente um mistério.

Com sorte cruzam-se com o Jack Sparrow pelo caminho 🙂

 

Uma encruzilhada daquelas

Apesar da história ter uma premissa simples e um world building que parece a love child do ocidente e do oriente, já que existe uma mistura de localizações Europeias e Nipónicas reais, à medida que o plot avança as coisas vão ficando cada vez mais complicadas. Assim, apesar da memória de Fena continuar uma lástima, os gut feelings que a nossa princesa pirata tem levam-nos até pistas muito interessantes.

 

 

E, de repente, parece que se fez uma caldeirada de acontecimentos históricos desencontrados que (supostamente) estão todos relacionados e são a chave para este puzzle. Na verdade, temos uma variedade incrível de peças neste puzzle misterioso. Desde piratas matreiras, príncipes ingleses com intenções ambíguas, cidades alemãs perdidas e até a La Pucelle d’Orleáns, mais conhecida como Joana D’Arc, entram nesta equação.

No entanto, apesar desta aparente sardinhada de temas, Kaizoku Oujo não perde, na minha opinião, o seu rumo nem o seu mistério. Claramente entendemos que, à medida que os episódios vão passando, a história avança com um objetivo explícito em mente não se torando, por isso, confusa. A história não é confusa, mas também não é clara o suficiente para o expetador perder o interesse. É aquele misteriozinho bem satisfatório que esteve sempre à frente do nosso nariz, mas não tínhamos a informação necessária para o ver.

 

Kaizoku Oujo Episódios 1 a 6

Personagens ambíguas 😮

Um dos muitos pontos fortes deste anime é, sem dúvida, o cast de personagens. Não obstante alguns estereótipos, como os clássicos gémeos que são unha com carne e os bobos da corte, as personagens são mais complexas do que aparentam ser, e as suas interações são genuínas e interessantes. Apesar de ter, neste momento, apenas 6 episódios, Kaizoku Oujo consegue criar este sentimento de afeição pelas personagens, nomeadamente pelo gang de Mercenários cuja missão é salvaguardar o bem estar da descendência da família Houtman, ou seja, da nossa Fena.

 

 

Assim, apesar destas personagens que acompanham Fena serem extremamente likable pelas suas dinâmicas, personalidade e forma de lidar com as situações, não deixam de ter alguma ambiguidade moral que é sempre interessante de se ver. Afinal de contas, eles não deixam de ser mercenários com interesses mais específicos. E esse interesse “imposto”, de chegar à tão famosa localização “Eden”, dá início a dinâmicas muito mais interessantes e dramáticas. Afinal, seria a relação destes mercenários com Fena genuína? Que outras forças estarão envolvidas nesta busca pelo Eden? Quem está a mentir e quem diz a verdade?

Porém, esta ambiguidade não termina aqui. Para já, não existe um “inimigo” claro na história, já que as  personagens que tentam sabotar a missão de Fena mudam com regularidade as suas crenças e ações . Mas, também entre os nossos amigos mercenários, existem divergências significativas que tornam tudo isto ainda mais intrigante. Mal posso esperar para ver aonde é que isto tudo vai dar! 

 

 

Animação, my beloved 

Acabo a minha análise com uma lista de elogios a esta série. Até agora, o pacing foi perfeito, tendo em conta que terá apenas 12 episódios. Considero ser muito difícil gerir uma história tão complexa num número tão limitado de episódios mas, por agora, o anime está a fazer um trabalho exímio. Tenho a esperança de que nos restantes episódios sigam este ritmo, e que tenhamos uma conclusão satisfatória

Porém, o maior elogio de todos tem que ir para a animação, que é uma das mais bonitas que eu já vi. Não é deveras original como por exemplo Mob Psycho, mas a sua beleza e qualidade são estrondosas, e as fight scenes têm uma fluidez de movimentos que apenas consigo equiparar ao clássico que tanto adoro, Cowboy Bebop.  Sinceramente, esta animação é tão boa que é um festim para os olhos de qualquer um.

 

Kaizoku Oujo Episódios 1 a 6 – Análise

Conclusão

 

Kaizoku Oujo é um anime original com grande potencial. Mesmo tendo a consciência que é difícil gerir um plot tão complexo em apenas 12 episódios, até agora, não existe qualquer razão de queixa, pelo contrário. Confio verdadeiramente na competência do Estúdio Production I.G e dos seus animadores, tendo em conta a qualidade dos 6 episódios que já vi. Com uma animação fenomenal e uma história interessante e misteriosa, acredito que os próximos episódios irão continuar com esta mesma qualidade. E quem sabe? Provavelmente o final que nos espera será surpreendente. As minhas espetativas estão elevadas, e mal posso esperar para ver para onde o oceano leva a nossa Princesa e Mercenários favoritos!

Vemo-nos novamente para a análise dos restantes episódios!

 

 

 

Artigos Relacionados

Kaguya-sama – 3ª Temporada revela Estreia e Teaser

Blue Period Episódios 2 e 3 – Opinião

Mob Psycho 100 – Anime recebe 3ª Temporada