AOA – Agência de Mina recusa investigação policial

por Nayuki
AOA - Mina recusa investigação policial

No dia 13 de Agosto de 2020, foi revelado que alguém (supõem-se que fãs do grupo) pediu que a policia de Seul investigasse a situação do grupo AOA. O objetivo da investigação seria clarificar os eventos que, alegadamente, ocorreram entre as meninas do grupo e a ex-integrante Mina.

Contudo, a investigação não vai avançar. A agência de Mina disse o seguinte sobre o ocorrido:

É verdade que recebemos uma chamada da polícia. Depois de uma longa conversa com a Mina, decidimos recusar a investigação. Ela encontra-se fragilizada a nível psicológico. As pessoas online não estão a ajudar, mas a tornar as coisas piores. Pedimos que as pessoas parem com isso.

 

Mina diz que Jimin teve Relações Sexuais no dormitório do grupo

AOA – Agência de Mina recusa investigação policial

 

Além disso, a Woori Actors mencionou que a Mina não quer denunciar nenhum acontecimento à polícia.

 

AOA – Agência de Mina recusa investigação policial

No início de julho, a Mina revelou que sofreu inúmeros abusos da ex-líder das AOA. Ela disse ter enfrentado episódios de bullying ao longo de dez anos. O assunto gerou muita comoção na Internet e os fãs ficaram muito preocupados. Posteriormente a Jimin pediu desculpas e a FNC Entertainment anunciou o seu desligamento das AOA.

Em agosto, a Mina voltou a fazer publicações preocupantes no seu Instagram. Primeiramente, a ex-integrante disse que todas as meninas do AOA sabiam dos seus problemas com a Jimin e culpou também a empresa. No dia 8 de agosto, a Mina chegou mesmo a ser internada depois de publicar uma foto do seu pulso ensanguentado. A artista chegou a ser hospitalizada, contudo já se encontra em casa.

 


>> Para entenderes toda a polémica das AOA, clica aqui! <<


 

>> Para outras notícias de KPOP, clica aqui!

 

Fonte: Soompi 

 

0 comentário


Também deverás gostar de

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.