Azur Lane: Crosswave – Análise ao Jogo

por Bruno Sales

Azur Lane: Crosswave é o mais recente jogo de consola baseado na famosa franquia chinesa de jogos de telemóvel Azur Lane, onde raparigas-barco lutam pela sua fação. Com a ajuda da Idea Factory foi assim possível trazer a franquia para as consolas, num mundo a três dimensões cheio de detalhes impossíveis de obter num telemóvel.

O jogo conta uma história original que acontece durante um torneio entre as 4 facções como distracção para omitir ao povo os estragos de um ataque que o Império Sakura realizou aos Sirens. Com o auxílio de elementos visual novel e combates de ação 3D, no estilo Bullet Hell, somos assim introduzidos a este enredo original!

 

Em seguida podem ver as informações detalhadas sobre o jogo:

Azur Lane: Crosswave
Plataformas Playstation 4, Steam
Publicadora Idea Factory
Desenvolvedora Compile Heart
Género Visual Novel, Ação, Bullet Hell
Data de Lançamento 14 de Fevereiro de 2020

 

Graças à Idea Factory vamos assim poder analisar e dar-vos a conhecer o jogo Azur Lane: Crosswave.

 

Azur Lane: Crosswave – Análise ao Jogo

Após o enorme sucesso do lançamento de Kantai Collection, no Japão, várias outras franquias com bases semelhantes começaram a aparecer devido à sua popularidade. Uma destas franquias foi Azur Lane criada por Shanghai Manjuu e Xiamen Yongshi em 2017. Porém Azur Lane conseguiu fazer o que nenhuma outra conseguiu, tornar-se tão ou mais popular que a série em que se baseou.

Com a enorme popularidade do jogo de telemóvel, a franquia começou então a expandir e acabou por receber uma adaptação anime, várias figuras, manga e recentemente o primeiro jogo de consola: Azur Lane Crosswave.

 

Azur Lane: Crosswave

 

À primeira vista, o jogo é maioritariamente um visual novel com algumas batalhas de navios e elementos RPG, que permite tanto melhorar como alistar novas raparigas-barco. Ao se progredir na história novos modos vão sendo desbloqueados tais como um modo episódio, com pequenas histórias, um modo de batalhas e ainda um modo fotografia para se tirar fotos às raparigas-barco.

 

Modos de jogo

 

Embora o jogo tenha vários modos, destacamos que as batalhas ocupam pouco tempo e a maioria do jogo é centrado na história em visual novel. Podendo este ser um ponto negativo para os fãs que procuram um jogo de acção e não um visual novel.

Vale ainda a pena mencionar que em comparação a jogos do mesmo género, Azur Lane Crosswave é muito curto contando com um modo história inferior a 10 horas.

 

Azur Lane: Crosswave – Visual Novel

Como referido anteriormente, o maior foco neste jogo são as sequências visual novel e o seu enredo. Enquanto jogamos, somos apresentados a um arco original que acontece durante um torneio entre as 4 facções, como distracção para omitir ao povo os estragos de um ataque que o Império Sakura realizou aos Sirens.

Este arco de torneio não é muito grande, porém faz uma boa introdução às personagens e às nações, o que permite a quem não conhece a franquia conseguir entender a história.

Mesmo sendo um enredo original considero-o melhor construído que o da adaptação anime. Tornando-se assim um arco a não perder por qualquer fã da franquia.

 

Visual Novel

 

Embora o modo visual novel seja satisfatório, este apresenta alguns desleixes perante outros jogos do mesmo género. Ao se começar a jogar nota-se logo uma falta de movimento dos personagens e que estes têm uma única pose. Poses as quais são inadequadas para a maioria dos momentos.

Ao longo do jogo nota-se ainda que algumas das personagens têm um estilo de arte diferente das outras, o que se torna estranho e fora do lugar.

 

Batalhas

Quanto às batalhas, Azur Lane Crosswave é simples e fácil de entender. Jogamos com uma combinação de 3 raparigas-barco e as suas diferentes habilidades enquanto nos desviamos das balas dos barcos inimigos e os tentamos afundar com as nossas.

Com mais de 30 barcos diferentes disponíveis para recrutar existe uma variedade enorme de personagens diferentes e habilidades para se experimentar durante a aventura.

 

Azur Lane Crosswave Batalhas

 

Embora o modo de batalha no estilo bullet hell seja interessante, a sua dificuldade é demasiado baixa mesmo nas dificuldades mais elevadas. Com um grau de dificuldade tão baixo, os inimigos acabam por ser tornar num saco de boxe e as batalhas acabam por se tornar enfadonhas e repetitivas.

 

Azur Lane: Crosswave – Juízo Final

Embora Azur Lane: Crosswave tenha os seus problemas este foi o primeiro jogo da franquia nas consolas. Mesmo sendo demasiado curto e fácil, o enredo bem construído e os gráficos impossíveis de obter no telemóvel, tornam-no fácil de recomendar.

Para os fãs tanto do jogo de telemóvel como do anime, Azur Lane: Crosswave torna-se ainda mais fácil de recomendar. Os modos extra que aprofundam a história das personagens e as personagens em 3D são experiências que nenhum fã quer perder!

 

 

0 comentário


Também deverás gostar de

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.