By the Grace of the Gods – Análise

por Raquel Cupertino
Kami-tachi ni Hirowareta Otoko opening - protagonista

A minha curiosidade com o anime teve início com o manga. Uns meses antes do anúncio da sua adaptação, pude ler um comentário que captou a minha atenção: descreveram-no como um bálsamo para a alma. E agora, após assistir o anime não poderia estar mais de acordo.

Em boa verdade, o meu primeiro pensamento após ter terminado a série foi:

Não sei que droga tomaram para criar algo assim, mas valeu muito a pena!

Não consigo dizer ao certo o que o anime tem de especial, juro! É que ele não tem NADA de especial, mas simplesmente não é “normal” também. Talvez seja o facto de não ter nada de especial que o torna especial… Mas vamos lá tentar explicar o que raio é By the Grace of the Gods e o porquê dos meus comentários iniciais.

 

By the Grace of the Gods – Análise

By the Grace of the Gods - Análise

 

By the Grace of the Gods acompanha a vida de Ryouma, um homem de 39 anos que sofreu a vida toda na Terra e morre inesperadamente. Ganha uma nova oportunidade para viver num mundo mágico, onde renasce como uma criança de 8 anos. Com a benção dos deuses, Ryouma ganha poderes, aptidões e ainda todo o conhecimento que um homem vivido de 39 anos possui.

O que Ryouma faz, perguntam vocês? Aproveita para viver de forma pacata neste novo mundo repleto de aventuras e oportunidades para ser um qualquer protagonista shounen. Exatamente, Ryouma opta por não fazer nada de extraordinário e apenas saborear a sua vida atual. Há algo mais maravilhoso que isso?

 

Ryouma Takebayashi Melhor protagonista 2020

E aptidões não lhe faltam… literalmente!

 

Mas então não se passa nada em By the Grace of the Gods?

Claro que a vida sossegada e longe de confusões de Ryoma tem os dias contados quando este ajuda um grupo de soldados feridos. Que, por coincidência (claro!), tratava-se do duque e da sua companhia.

A partir daí uma cascata de acontecimentos fazem com que Ryouma saia da sua zona de conforto e se aventure na cidade. Contudo, ao contrário do que podem esperar, não há vilões, não há verdadeiros obstáculos… A cena não é essa!

 

Kami-tachi ni Hirowareta Otoko - Guild de aventureiros

 

E é aí que a obra surpreende. O objetivo não é que o jovem protagonista, com 11 anos, enfrente todas as adversidades do mundo para atingir os seus objetivos. Isso ele já vivenciou na Terra. Não o veremos também a cruzar-se sucessivamente com pessoas de má índole, também já vivenciou isso na sua vida passada.

O objetivo é Ryouma ter experiências agradáveis, enriquecedoras, abençoadas. Daí o título ser um pronúncio literal da obra: ele tem a benção dos deuses, como tal, tudo corre “bem” (dentro do razoável).

 

By the Grace of the Gods - Ryouma emocionado

 

Na minha opinião o segredo por detrás deste sentimento de paz que a obra transmite está em como história foi escrita. O Enredo é narrado de forma a que, tal como Ryouma, também nós nos sintamos bem, felizes por ele. Quase como que nós mesmos fossemos os deuses a acompanhar todas as conquistas do pequeno e sofrido Ryouma.

 

Agora perguntam-me vocês: mas que conquistas?

Ryouma é um jovem dotado e com o conhecimento de um homem de 39 anos que trabalhou grande parte da sua vida. O encontro com o duque bondoso abre-lhe portas para um sem número de possibilidades de… empreendorismo! Por esta é que não contavam, não é verdade?

A série gira em torno da adaptação de Ryouma ao novo mundo, verdade. Só que, ao contrário dos demais isekais a premissa não é derrotar o vilão ou boss, aqui é como viver de forma “lógica”. Como funciona o sistema “financeiro/comercial” e o que fazer para conseguir sobreviver monetariamente numa cidade – já que em termos de poder e de força bruta Ryouma não terá, claramente, qualquer problema xD

 

The man picked up by the gods - Ryouma e os slimes

 

Kami-tachi ni Hirowareta Otoko – Porque gostei tanto do anime

Digo-vos, foi das séries que mais gozo me deu assistir e que mais irei ter saudades. Quando diziam que era um bálsamo para a alma não estavam a exagerar. A obra (manga + anime; novel ainda não li) tem a capacidade de nos relaxar e, não importa o quão mau tenha sido o nosso dia, nos deixar com um sorriso nos lábios.

Não vou dizer que é uma obra para todos, não é. É slice of life num contexto de universo de fantasia com slimes, o que por si já engloba 3 “subgéneros” que podem afastar algumas pessoas. Sei que existe já algumas séries com “slimes” envolvidos – uma delas até gosto muito – todavia aqui os slimes são uma… ferramenta e não os protagonistas da série. Ainda assim, não deixa de ser um pleno slice of life de fantasia. Episódio por episódio acompanhamos a vida de Ryouma sem dramas, confusões ou momentos negativos.

 

Kamitachi ni Hirowareta Otoko Ryouma x Família Jamil

 

Para bónus temos uma animação coerente e uma palete de cores muito interessante. Acho que basta verem o opening para perceberem o que quero dizer. Eles usam o ambiente mágico para abusar num pastel garrido (se é que faz sentido a minha descrição!) o que encaixa lindamente com a magia e cenários mediavais. A banda sonora é competente, opening lindíssimo e o casting excecional. As próprias vozes transmitem paz! Em suma, tudo o que seja aspectos técnicos é competente o suficiente – mesmo nas cenas de luta – para não nos fazer sair do conforto que a série proporciona.

 

By the Grace of the Gods – Análise

Juízo Final

Escusado será de dizer que guardo a série no coração. Não por ser a melhor série anime que já assisti mas por me ter proporcionado uma experiência relaxante. Ela cumpre aquilo a que se propõe desde início, nem mais nem menos. Basta o primeiro episódio para saberem se querem ou não assistir, até porque reforço: o anime não é para todos. Se procuras algo mais frenético, divertido, ou até dramático, esta não é a tua obra!

É uma história para amantes de slice of life com desejos de se aventurar num contexto um pouco diferente ao que o género normalmente é apresentado. Sei que no manga um dos arcs se encontra mais desenvolvido e com uma abordagem diferente em relação ao que está presente no anime, contudo, se não tivesse lido o manga, nem sequer saberia que o tinham alterado. Considero, por isso, um ponto a favor da equipa por detrás do guião.

 

Kamihiro - personagens

 

Se vamos ter uma segunda temporada? Não sei, até agora não há informações mas eles têm material para isso certamente agora resta saber o rumo da história que foi totalmente deixado em aberto…

 

 

2 comentários


Também deverás gostar de

2 comentários

mango 23 Março, 2021 - 10:08

Gostei da análise e vou assistir esse anime… ainda mais por ser de um genero q conheci recentemente… o isekai… obrigado!

Responder
Raquel Cupertino 24 Março, 2021 - 21:56

Olá Mango, muito obrigada pelo teu comentário! Espero que gostes do anime, quando o vires deixa feedback 😉

Responder

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.