Cotton Reboot! – Análise (Nintendo Switch)

por Xpop
Cotton Reboot! – Análise (Nintendo Switch)
Cotton Reboot!
Plataformas Nintendo Switch, PlayStation 4
Publicadora ININ Games
Desenvolvedora Rocket-Engine Co.
Género Shoot ‘em up
Data de Lançamento 20 de julho de 2021

 

O mundo das máquinas de arcade está repleto de jogos icónicos que acabariam por definir muitos dos gêneros que temos hoje em dia. E, um dos géneros mais prevalentes era o shoot ‘em up por os seus jogos serem relativamente fáceis de programar.

Em 2014, um youtuber chamado Jontron lançou um vídeo a falar desse mesmo género e da maneira como a bizarrice era o suficiente para criar um shoot ‘em up divertido de ser jogar. Um dos jogos que foi falado nesse vídeo foi Panorama Cotton e, mal vi esse jogo, fiquei fascinado com a jogabilidade e os gráficos.

Após alguma pesquisa descobri que o primeiro jogo da franquia, Cotton: Fantastic Night Dreams, foi um dos pioneiros no subgénero de jogos cute ‘em up, um estilo de jogo semelhante aos shoot ‘em ups, mas com gráficos mais coloridos e ambientes com um estilo mais focado em fantasia.

Sendo este um jogo muito importante e icónico para o género shoot ‘em up, é muito difícil encontrar o jogo original à venda. Contudo, felizmente, foi lançado este ano uma versão melhorada para aqueles que o querem experienciar. Queremos agradecer à PR Hound pela oportunidade de nos dar acesso a este belo jogo.

Aqui fica a análise de Cotton Reboot!

 

Cotton Reboot! – Análise (Nintendo Switch)

 

Cotton Reboot! é uma versão melhorada do jogo Cotton: Fantastic Night Dreams desenvolvida pela Rocket-Engine Co. e publicado pela BEEP a 25 de fevereiro de 2021 no japão e pela ININ Games a 20 de julho de 2021 no resto do mundo.

Este jogo não só traz a versão original lançada para o X68000, como também inclui um modo chamado Arranged, que apresenta várias melhorias relativamente ao original, tais como uma resolução de 16:9, novo voice-acting e gráficos melhorados.

 

Um shoot ‘em up no seu auge

Cotton Reboot! – Análise (Nintendo Switch)

 

Os shoot ‘em ups mais antigos tinham a tendência de seguir a mesma ideologia no que toca à jogabilidade, porque não existia a necessidade de inovar algo que já era divertido o suficiente de se jogar.

Cotton segue essa mesma fórmula-base, mas decidiu adicionar uma mecânica na qual o jogador pode lançar feitiços para ajudar a eliminar os inimigos. Esses mesmos feitiços só poderiam ser utilizados se o jogador apanhasse um cristal que era deixado por um inimigo após ser derrotado.

 

 

Na versão original a jogabilidade era bastante simples e só disponibilizava 2 feitiços para o jogador utilizar. Já na versão Arranged, a mecânica foi estendida e melhorada com novos feitiços e a possibilidade de evoluir esses feitiços para ficarem mais fortes.

A versão original continua a ser muito divertida de se jogar, mas a adição do modo Arranged melhora a experiência em todos os componentes e acabou por criar uma nova vida a um clássico das arcade.

 

Um excesso de emoção e efeitos especiais

Cotton Reboot! - Segunda fase

 

As maiores diferença que se conseguem observar quando comparamos as duas versões de Cotton são as melhorias áudio e visuais do modo Arranged, o qual proporciona uma banda sonora completamente remasterizada, mas fiel aos sentimentos que sentíamos quando ouvíamos o original.

Os gráficos também receberam bastante amor com as cutscenes a terem um estilo mais anime e os gráficos em pixel art a serem reconstruídos para mostrarem mais detalhe nas personagens e nos cenários.

Apesar de existirem bastantes melhorias nesta nova versão, parece que houve um ligeiro exagero na quantidade de efeitos visuais, especialmente quando ativamos o Jewel Fever, um boost que aumenta a força de ataque e a pontuação que o jogador recebe naquele momento.

 

Cotton Reboot! - Luta contra Balrog

 

Existem momentos em que aparecem tantas coisas no ecrã que o jogador acaba por ficar confuso e não se percebe o que está a acontecer, particularmente quando jogamos no pequeno ecrã da Nintendo Switch.

Tirando este pequeno solavanco, os gráficos atualizados do jogo merecem destaque e o motivo para colocarem tanta “parafernália caleidoscópica” no ecrã poderá ser afim de  criar uma experiência maluca e frenética como o jogo original. Ainda assim, neste caso, deviam ter pensado no mote, “menos é mais” e tentar não causar dores de cabeça aos jogadores.

 

Veredito | Cotton Reboot! – Análise (Nintendo Switch)

Com o lançamento para breve do próximo jogo da série Cotton, faz bastante sentido trazer para as consolas da nova geração o clássico de 1991, mas ao invés de fazerem apenas o porte do jogo, a Rocket-Engine Co. decidiu trazer uma versão modernizada sem esquecer o que foi deixado para trás.

A jogabilidade continua boa e as novas adições só vêm a melhorar ainda mais a experiência, mas o excesso de efeitos na versão modernizada pode afetar a concentração do jogador e a falta de um modo arcade acaba por despir o jogo da sua experiência única dos tempos dos salões de jogos.

Para aqueles que nunca jogaram Cotton têm aqui um jogo divertido para experimentar. E, para aqueles que são fãs, tem à sua disposição uma versão melhorada para lhes agradar o palato, com bastantes horas de entretenimento pela frente.

 

 

0 comentário


Também deverás gostar de

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.