Diabolik Lovers More Blood | Análise

por Raquel Cupertino
Diabolik Lovers More Blood

Título: Diabolik Lovers
Adaptação: Visual Novel
Estúdio: Zexcs
TemporadaOutono 2015
Demografia | Género: Shoujo | Harem, Vida Escolar, Vampiros

 

Diabolik Lovers More Blood | Análise

Entre as produções de maior sucesso no público feminino está “Diabolik Lovers“, uma saga de jogos do tipo Visual Novel desenvolvida pela Rejet. Inicialmente, More, Blood tratava-se de um disco para fãs do primeiro jogo, “Diabolik Lovers – Haunted Dark Bridal“, lançado a 24 de outubro de 2013 para PlayStation Portable. As quatro novas personagens levaram à produção de um novo jogo intitulado de Diabolik Lovers MORE,BLOOD Limited V Edition, para a Playstation Vita, estreado a 15 de janeiro de 2015 e posteriormente adaptado a manga, e por fim, a anime pela ZEXCS.

 

Diabolik Lovers More Blood | Enredo

Baseada num visual novel, a franquia Diabolik Lovers é composta por episódios de pouco mais de 12 minutos, incluindo opening e ending. Fácil é de concluir que o tempo destinado ao desenvolvimento e exposição da narrativa é extremamente reduzido. Este facto não deveria ser um problema se a história fosse simples e as personagens reduzidas, contudo este é de longe o caso.

 

Diabolik Lovers 2

 

Esta segunda temporada envolve 10 protagonistas masculinos e uma protagonista feminina, num total de 11 personagens exploradas em 12 episódios de forma relativamente equilibrada. Dito isto, escusado será dizer que as personagens são o mais estereotipadas possível, e que os seis irmãos Sakamaki não são apresentados nesta produção. Eles são uma peça fulcral no enredo, no entanto surgem numa continuidade direta com a primeira temporada, não havendo por isso qualquer cuidado na história para explicar ou sequer introduzir os seis irmãos e a protagonista.

Yui Komori é uma rapariga inocente e transtornada, completamente submissa aos irmãos Sakamaki com quem vive, por razões desconhecidas, desde que o pai foi obrigado a mudar de trabalho. Os sádicos irmãos são vampiros gulosos e possessivos que discutem entre eles sobre a posse da albina. A informação sobre a vida dos personagens e ambiente narrativo foram nulos na primeira temporada. Não sabíamos se andavam numa escola, se iam às aulas, se faziam algo para além de viverem numa mansão. Nesta sequela podemos não só perceber parte da premissa, como começar a compreender o universo da obra original.

 

Diabolik Lovers More Blood Escola

 

A moldura começa por fim a fazer sentido aos olhos de quem apenas assiste a adaptação anime, contudo, quanto mais demonstra menos sentido faz. Personagens e situações que outrora até seriam divertidas e empolgantes, agora não passam de tortura sádica e perturbadora. Sem os adereços visuais e narrativos da primeira temporada, a opressão a que Yui é sujeita pelos irmãos Sakamaki torna-se apenas doentia em Diabolik Lovers More Blood. Fruto muito possivelmente de censura, as cenas mais sexuais e sensuais desapareceram, substituindo o divertimento das cenas mais “picantes” por momentos vazios onde Yui é mordida até desmaiar, onde os gemidos de dor passaram a ser bem audíveis e reconhecíveis.

 

Diabolik Lovers More Blood kanato

 

Uma história que parecia interessante…se a explicassem…

O mistério inerente à obra já é conhecido pelos fãs. Imergido num ambiente negro e mórbido, o enredo primordial é lançado em tons de pistas ao longo dos episódios, com especial destaque no primeiro e nos dois últimos. A linha narrativa é coesa na sua maioria. Desde o início sabemos qual o objetivo desta temporada e o propósito dos irmãos Mukami (teoricamente protagonistas primordiais da mesma), contudo ao longo da série são injetados fragmentos de histórias das personagens e cruzamentos sem quaisquer tipos de explicações. A história fica assim uma salada de conceitos, histórias e personagens, tudo produtos de boa qualidade, mas cuja a organização e desenvolvimento perdem-se na quantidade e falta de estruturação do enredo fulcral.

 

Diabolik Lovers More Blood personagem mukami

 

Irmãos Mukami vs Irmãos Sakamaki

O ponto mais interessante da obra é talvez o choque entre as duas famílias, e a compreensão das diferenças de atitudes e posturas dos mesmos. As personagens masculinas sempre foram o ex-libris da adaptação, ou não seria ela de um visual novel shoujo. Os personagens masculinos são atraentes, estereotipados, cada um com a sua personalidade-tipo maravilhosamente esculpida, sempre mantendo-se firmes àquilo que eles são. Em 10 personagens masculinas e com tão poucos episódios, só dessa forma seria possível conseguirmos distinguir sem grande dificuldade as ações e frases de cada protagonista. Em Diabolik Lovers More Blood, os irmãos Mukami são os protagonistas apresentados e desenvolvidos, e ao contrário dos restantes, estes são menos lineares e mais orgânicos. Tal característica corrobora na perfeição com a origem dos mesmos, criando substância suficiente para conseguirmos observar crescimento dos protagonistas e sobretudo, o sumo necessário para encontrar algo mais num mar de personagens aparentemente vazias.

 

Diabolik Lovers More Blood mukami 2

 

Diabolik Lovers More Blood | Ambiente

A adaptação mantém os passos ditados pelo seu antecessor com a recriação de um ambiente sinistro e hostil, através do jogo de sombras e palete de cores alusivas para o efeito.

Somos entorpecidos pelo ambiente doentio, e se não fosse as quebras narrativas, tornar-se-ia uma obra um tanto perturbadora. Infelizmente, não nos podemos enganar pelo ambiente vampiresco! Diabolik Lovers não é uma série de terror. Apesar da animação muito bem construída e com aspirações a querer aclamar ao terror, o anime aproveita o cenário sombrio somente para intensificar a pobre narrativa. Diabolik Lovers serve-se da maravilhosa qualidade de design, fluidez da animação e fotografia para criar o pano de fundo para cenas sádicas, algumas tentativas de erotismo, e mistério.

 

Diabolik Lovers More Blood Sakamaki reunidos

 

Os movimentos de câmara e fotografia melhoraram substancialmente. Os vários planos e sequências de imagem tornaram-se mais rápidos e mais coordenados com o enredo e música, nos momentos de maior suspense e carga dramática.

A banda sonora continua a encaixar prodigiosamente na obra. O registo musical adquire contornos simples, trespassados pelos picos dramáticos enaltecidos por melodias sinistras, e compostas, na sua maioria, por vozes e sons góticos.

 

Diabolik Lovers More Blood personagem sakamaki

 

Diabolik Lovers | Juízo Final

É injusto avaliar esta obra sem ter em conta a sua origem e objetivo da adaptação em série anime. Baseada num visual novel para jovens adolescentes, cujo o objetivo é uma jovem submissa (e certamente muito masoquista) escolher um dos lindíssimos vampiros à sua disposição. A premissa é então simples e direta, delimitando por si só, o público-alvo da produção. Quem desejar assistir deve por isso ter em mente que a obra não passará disso mesmo, um saltitar de mordidas, fanservice masculino e muitos rapazes sensuais atrás de uma jovem com sangue saboroso. Não há enredo forte nem coeso e o desenvolvimento narrativo é desprovido de estrutura sólida. As personagens são o foco primordial do anime, e como tal o elemento mais desenvolvido e interessante.

 

Diabolik Lovers More Blood

 

A franquia Diabolik Lovers possui uma história interessante na sua globalidade, é fácil deixarmo-nos sucumbir pelo ambiente doentio e pecaminoso. Os personagens são atraentes, os elementos maravilhosamente encadeados ao longo de cada episódio trazem água à boca ao público sedento por mais informações, mais história, mais sangue. É por isso, uma boa obra para quem deseja assistir, sem grande comprometimento e atenção, a uma adaptação de um Visual Novel para raparigas adolescentes.

Agora, cidadãos comuns e que não apreciem o género: fujam! Não há sumo a retirar daqui, não há nada que possa permitir que a vossa visualização seja agradável. A protagonista é tão vazia que a única coisa que possui é uma quantidade enormíssima e surreal de sangue no corpo, os rapazes são personagens a duas dimensões sem grande margem de progressão, completamente estereotipados. A narrativa é pobre, com boas ideias, conteúdo interessante, mas jogado de forma simples, quase que amadora.

Em suma, o anime é interessante dentro do seu universo sendo aconselhado aos fãs da franquia e/ou jogo. Houve melhorias face à primeira temporada nos diferentes parâmetros referidos acima contudo, se esperam rever as cenas de maior paixão, perversidade e loucura, terão que se conter nas expetativas.

 

 


Queres ler mais sobre a franquia?

Diabolik Lovers 2 – More, Blood | Primeiras Impressões

Diabolik Lovers More Blood | Análise

Diabolik Lovers OVA | Análise

Ficha Técnica Diabolik Lovers 2 – More,Blood

Diabolik Lovers

 

0 comentário


Também deverás gostar de

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.