Fate Zero 2 – Episódio 18

por Renato Sousa
Anime Fate Zero

Distant Memories

Neste episódio de Fate/Zero 2, voltamos atrás no tempo para conhecer um pouco da adolescência de Emiya Kiritsugu. Este é, portanto, um capítulo que ajuda a perceber melhor a personalidade desta personagem e o que a levou a ser a pessoa que é no presente.

 

Galeria de Imagens: Fate Zero 2 – Episódio 18

 

 

Ao ser um episódio que faz uma viagem ao passado, situar a personagem em questão no tempo e no espaço, para depois introduzir o espectador a um novo ambiente, requer tempo. Como tal, neste episódio a produção acabou por suprimir o opening habitual, aproveitando esses segundos para apresentar toda a nova cena.

Na verdade, os primeiros nove/dez minutos foram um pouco para isto. Ficamos a saber que Kiritsugu tinha o seu grupo de amigos, como acontece com a maioria dos adolescentes, vivia com o seu pai que praticava magia, e tinha uma relação muito próxima com Shirley, uma rapariga da zona. Uma primeira parte muito calma e relaxadora, capaz de deixar o espectador um pouco aborrecido se decidir comparar tudo isto com o que estamos habituados a ver em Fate/Zero.

Claro que quando se prepara algo de forma detalhada é porque algo de interessante está para vir. É precisamente isso que acontece de seguida. Shirley trabalhava com o pai de Kiritsugu e tinha conhecimento de que este era mágico. Certo dia, não resistiu à tentação de provar um conteúdo do laboratório e os efeitos foram terríveis. A rapariga transformou-se em vampira e ficou sedenta por sangue. Kiritsugu, que esperava por ela em mais um dia normal, apercebeu-se de que algo de estranho se passava e foi à sua procura. O jovem acabou por a encontrar num estado irreversível, apesar de Shirley ainda estar consciente. A rapariga ainda lhe pediu que ele a matasse, mas Emiya não acedeu ao seu pedido. Aqui seria preciso muita coragem, muita mesmo!

Não se cortou o mal pela raiz e, portanto, a praga alastrou-se a todo o local. Ou melhor, a toda a ilha. Apesar de não ter dito anteriormente, tudo se passa uma ilha. A muito custo, Kiritsugu consegue evitar os vampiros (também chamados de Dead Apostles) e sobreviver até ao aparecimento de um elemento da Magus Association que lhe salva a vida e explica toda a situação.

Ficamos então a saber que esta organização secreta, a par da Church’s Executors, intervém neste tipo de situações, a fim de evitar que a praga se alastre ainda mais, e que se venha a descobrir, noutros locais, práticas mágicas como a que deflagrou toda a situação. Durante a conversa com a desconhecida (mais tarde vimos a saber que se chama Natalia), Kiritsugu apercebe-se que o causador de toda esta situação foi o seu pai e parte em direção a casa.

Ao chegar à residência, já o pai andava em arrumações. Quando pronto para abandonar o local, este é confrontado por Kiritsugu. Emiya consegue manter a calma e ocultar tudo aquilo que sente durante uma curta troca de palavras com o seu pai, para depois, assim que a oportunidade surge, o esfaquear sem dó nem piedade. Como se não bastasse, ao lembrar-se do que aconteceu a Shirley, tal é o sofrimento do rapaz que para além de esfaquear ainda dispara uns tiros sobre o seu parente.

Com a morte do pai de Kiritsugu termina a investigação sobre os vampiros. Quanto a Emiya, este acaba por ser retirado da ilha pela mesma pessoa que o salvou e que lhe contou o que se estava a passar na ilha (Natalia).

Olhando agora para tudo o que se passou, acaba por ser uma surpresa a atitude do pai de Kiritsugu. Mesmo sendo uma personagem desconhecida na série, a atitude que teve para com o filho é claramente anormal e de certa forma incoerente. Este impediu-o de se aproximar do seu laboratório para evitar que Kiritsugu fizesse o mesmo que Shirley. Por outro lado, ao ter conhecimento do que se ia passar na ilha, não se certificou de forma regular se o filho estava protegido ou não.

Também de salientar a frieza com que o próprio Emiya Kiritsugu matou o pai. O assassinato é longo e doloroso para o pai, ao contrário do filho que, com Shirley sempre em mente, nem sequer chega a derramar uma única lágrima pelo que estava a fazer o pai. A calma e a tranquilidade com que o faz chegam mesmo a ser arrepiantes.

Assim se passou um episódio anormal de Fate/Zero, quando comparado com o que estamos habituados a ver na série. Contudo, parece que não vai ser o único.  Pelo que aparenta o preview, na próxima semana vamos continuar a explorar o passado de Kiritsugu.

 

0 comentário


Também deverás gostar de

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.