Final Fantasy IX – Entrevista Especial 20º Aniversário Parte 1

por Pedro Sanches
Final Fantasy IX – Entrevista Especial 20º Aniversário Parte 2

Hoje, dia 7 de julho 2020, celebra-se o vigésimo aniversário do último Final Fantasy lançado para a PlayStation original.

Final Fantasy IX foi um dos JRPG mais aclamados da consola, tanto pela crítica como pelos jogadores, no entanto, acabou por vender menos que os dois títulos anteriores da série. Na época, todos os olhos estavam postos na PlayStation 2, que havia sido lançada antes de Final Fantasy IX. O hardware da consola permitia a criação de títulos com aspetos técnicos bastante superiores aos da PlayStation original, o que acabou por ser o principal motivo para a menor taxa de sucesso comercial do jogo.

Ainda assim, com o passar do tempo, o título foi sendo partilhado com outras plataformas e, consequentemente, mais jogadores tiveram acesso a esta história. Hoje em dia, é considerado pela comunidade como um dos melhores Final Fantasy já lançados.

Como forma de comemorar o seu aniversário, o site Final Fantasy Portal entrevistou 3 dos criadores do jogo: Kazuhiko Aoki, Toshiyuki Itahana e Hiroyuki Ito. A entrevista inclui memórias da fase de desenvolvimento, como estes três desenvolvedores se sentiram e sentem em relação ao jogo, entre outros temas.

Tratando-se desta da primeira entrevista, contaremos apenas com a conversa com Kazuhiko Aoki, que trabalhou nos cenários e eventos de Final Fantasy IX.

 

Final Fantasy IX – Entrevista Especial 20º Aniversário Parte 1

final fantasy ix team

 

FF Portal: Às vezes, o FFIX é mencionado juntamente com a frase “o retorno às raízes”. Onde é que FFIX se situa na mente da equipa de desenvolvimento?

Kazuhiko Aoki: Os slogans “o retorno às raízes” e “o retorno do cristal” estavam lá desde o início. É por isso que o cenário do jogo também tem um tema de fantasia medieval.

FF Portal: É verdade que, comparativamente aos elementos de ficção científica de FFVII e FFVIII, o FFIX retornou repentinamente à fantasia clássica. Haviam até referências a títulos anteriores de Final Fantasy, como nomes de personagens e veículos. Esses conceitos também foram planeados para serem incluídos desde o início do desenvolvimento, sob o tema “o retorno às raízes”?

Kazuhiko Aoki: Haviam algumas coisas que foram planeadas desde o início e outros elementos surgiram pelos responsáveis por cada parte do jogo durante o processo de criação. O chocobo recém-nascido, chamado Bobby Corwen … se quebrarmos esses nomes temos Boco (Nota: Boco é um nome que é habitual ver-se associado a chocobos nos títulos de Final Fantasy). A base é de 10%, e os 90% restantes vêm dos criadores individuais que colocam as suas próprias ideias e os seus corações num projeto. Eu acho que esse é o processo de criação não apenas dos Final Fantasy, mas de todos os jogos da Square Enix.

FF Portal: Cada personagem de FFIX é o resultado do passado que carrega e transporta isso para as batalhas que tem de enfrentar. Tem uma personagem favorita? Por favor, diga-nos as suas razões também, se você tiver alguma.

Kazuhiko Aoki: Eu fiz o meu melhor para não ter nenhum favorito, para não ser inclinado a nenhum personagem específico. Haviam backstories que queríamos elaborar mais, mas infelizmente tivemos que desistir devido a restrições de tempo e dados. Na altura, eu gostaria de ter desenvolvido um pouco mais como o Zidane é afetado pela diferença de estado social entre ele e a Garnet. Ilustrando o colapso das relações com os nobres em Treno devido à sua desaprovação do relacionamento de Zidane e Garnet, Zidane chocou de frente contra os limites sociais que ele enfrenta e o incrível poder que Garnet possui como realeza, e como Zidane se levanta, apesar disso tudo – eu senti que teria feito muito para ajudar a retratá-lo ainda mais como personagem.

FF Portal: Os NPCs (Non-Playable Characters) também são muito bem desenvolvidos. O que tem a dizer sobre eles?

Kazuhiko Aoki: Também não tenho preconceitos em relação aos NPC. Na verdade, não havia nenhuma diferenciação na minha mente entre os personagens principais e os sub personagens. Quando a história do jogo começou a ganhar vida no ecrã, o meu desejo de desenvolver ainda mais cada personagem  – a confiabilidade constante das lutas internas de Marcus ou Garnet, por exemplo – só ficou mais forte.

FF Portal: Os membros de Tantalus Genero, Zenero, Benero e todos os seus irmãos são um grupo incomum. Como é que eles foram criados?

Kazuhiko Aoki: Não haviam vestígios deles até pouco antes do jogo ficar finalizado. Não apenas limitado ao FFIX, cada título da série Final Fantasy possui um período de cerca de três a quatro meses de melhorias na qualidade e aprimoramento após a implementação de todos os elementos que serão incluídos no jogo. Como podemos torná-lo mais interessante, o que tornaria mais fácil entender, que novas descobertas podemos adicionar à experiência … como criador, é abordado o processo com um sentimento semelhante a recriar completamente algo. Esses irmãos surgiram repentinamente no meio daquele último ajuste do FFIX.

FF Portal: Os personagens de FFIX são mais baixos do que nos jogos anteriores de Final Fantasy. Houve alguma razão para isso?

Kazuhiko Aoki: Não sei o motivo de diminuir a estatura das personagens, mas ouvi muitas vezes que a equipa das cutscenes teve dificuldade em usar o know-how adquirido ao trabalhar no FFVIII. Aparentemente, foram muitas tentativas / erros. As personagens de FFIX são excelentes em mostrar uma certa doçura ou tolice, mas mesmo quando assumem um tom sério totalmente diferente, as suas expressões são tão genuínas. Eu sinto que o FFIX tinha um bom equilíbrio nesse sentido.

FF Portal: O FFIX é conhecido pelas suas muitas frases populares e memoráveis. De quem foi a ideia de montar o loading screen com screenshots CG, sobrepostas com palavras do jogo e com arte?

Kazuhiko Aoki: O responsável das cutscenes e a equipa de eventos fizeram isso escolhendo as frases do jogo. Foi também a manifestação de um forte desejo de mostrar que tipo de personagens eram aquelas.

FF Portal: Haviam também muitos monstros com habilidades únicas, como a batalha no estilo de questionário do Ragtime Mouse. Tem um monstro favorito ou habilidade usada por um?

Kazuhiko Aoki: Não tenho a certeza se poderia chamá-lo de um monstro único, mas o meu favorito são os magos negros que aparecem em Cleyra. Os personagens do grupo não fazem uma pose de vitória, mesmo se vencerem contra eles. Isso veio da consideração da equipa do sistema de batalha da cena em que essas batalhas acontecem. O jogador acostuma-se com as personagens a comemorarem quando vencem uma batalha, então fiquei realmente surpreendido na primeira vez que vi isso.
Não sei se isso ainda é verdade, mas o desenvolvimento ocorreu com quase nenhuma reunião entre as equipas de design de evento e de batalha. Embora isso não signifique que essas equipas não se davam bem.

FF Portal: O FFIX possui muitos mini-jogos, muitos dos quais são bastante difíceis. Há algum que acha particularmente memorável?

Kazuhiko Aoki: Chocobo Hot and Cold. Surgiu pelo diretor querer alguns conteúdos que permitissem viajar por todo o mundo do jogo. O conceito foi construído em menos de 30 minutos, mas os criadores que trabalharam no mini-jogo dedicaram-lhe muito tempo. Todos os detalhes foram feitos com imenso cuidado.

FF Portal: A banda sonora de FFIX foi conduzida pelo Sr. Nobuo Uematsu. Achamos que a música é outro fator importante na expressão das personagens ou da história. Se houver alguma música do FFIX que realmente se destaque na sua memória, conte-nos sobre ela.

Kazuhiko Aoki: Essa seria a música que o Sr. Uematsu tocou para mim na primeira vez em que ele trabalhou no escritório do Hawaii. Foi em resposta a uma pergunta minha sobre se tinha alguma música recomendada do novo jogo – eu tive uma ideia para parte da história no segundo em que ela apareceu. Essa música acabaria por ser intitulada “Não estás sozinho”. Eu perguntei: “Haverá mais alguma alteração?” e ele respondeu: “Sim, desculpe … eu gostaria de ajustá-la mais um pouco”. Não foi finalizada até ao último minuto, então tenho a certeza de que ele realmente lutou com a composição dessa peça.

FF Portal: Houve algo durante o desenvolvimento que foi especialmente desafiador ou que se destaca na sua mente?

Kazuhiko Aoki: As últimas semanas foram uma batalha contra restrições de dados. Tínhamos dados a aumentar todos os dias, tendo que pensar onde dividir a história, para terminar com uma quantidade que se encaixasse em cada um dos quatro discos. Esse ajuste exigiu uma verdadeira ginástica mental.

FF Portal: Se houver algo mais que gostaria de compartilhar acerca das suas experiências durante o desenvolvimento de FFIX ou alguma mensagem para as muitas pessoas que ainda gostam o jogo, gostaríamos de ouvi-lo.

Kazuhiko Aoki: Havia cerca de 300 pessoas na festa a comemorar a conclusão do desenvolvimento de FFIX. Ele foi desenvolvido por uma equipa dividida entre o Japão e o Hawaii, então cerca de 1/3 dos rostos eu nunca tinha visto antes … Fiquei novamente surpreendido com a quantidade de pessoas que estavam envolvidas no projeto. Estou incrivelmente feliz que o FFIX seja amado por tantas pessoas; esse tem sido um grande motivador e impulsionador da confiança ao enfrentar trabalhos que tive desde então. Eu acho que isso é verdade não apenas para mim, mas também para os muitos criadores que trabalharam no FFIX. Seria bom comemorar o 20º aniversário do jogo com todos aqueles que estavam na festa pós-lançamento. Perto do final da festa, houve um momento em que a equipa de efeitos sonoros subiu ao palco do local. “No FFX, haverá uma coisa chamada Blitzball, e haverá uma cena com os espectadores aplaudindo. Adoraríamos que todos vocês estivessem dispostos a ajudar com isso! ” disseram eles. E eu pensei: “Ah, eles já começaram a trabalhar no X.” Quando pensei que as coisas estavam terminadas, eles já tinham começado um novo Final Fantasy. Foi mesmo importante para mim lá estar, é assim o legado da série Final Fantasy.

FF Portal: Obrigado pelo tempo disponibilizado!

 

Final Fantasy IX está atualmente disponível para várias plataformas nomeadamente: PlayStation original, PlayStation 3, PSP, PS Vita via PSone Classics, PlayStation 4, Xbox One, Switch, PC via Steam, iOS, e Android.

 


Final Fantasy VII Remake – Análise PlayStation 4 – PtAnime


 

Final Fantasy VII Remake – Análise

 


Artigos relacionados com Final Fantasy


 

Fonte: Final Fantasy Portal Site

 

0 comentário


Também deverás gostar de

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.