Gugure! Kokkuri-san | Primeiras Impressões

por Raquel Cupertino
Gugure! Kokkuri-san Anime

Título: Gugure! Kokkuri-san
Adaptação: Manga
Produtora:  TMS Entertainment
Géneros: Comédia, Romance, Shounen

 

Gugure! Kokkuri-san | Enredo

Kokkuri-san é um jogo extremamente popular no Japão. Uma forma de adivinhação, onde sobre um desenho dita-se uma onomatopeia e espera-se que a moeda se mova, e consequentemente responda à questão proferida inicialmente. Contudo, o dito ritual de tabuleiro tem uma importante regra que não deve ser, de forma alguma, quebrada: nunca praticar o ritual sozinho. Kohina, uma pequena e apática criança, decide quebrar a regra, inconsciente dos riscos. O resultado foi imediato: o espírito do próprio Kokkuri-san foi evocado. O demónio raposa decide assombrar a jovem como castigo à sua petulância.

Será um demónio de baixo ranking capaz de assombrar uma apática e insensível criança?

 

Gugure! Kokkuri-san | Outono 2014

 

Aparentemente, a premissa gira à volta de uma estranha rapariga, viciada em ramen, que afirma ser uma boneca, claramente para fugir à sua triste realidade social. Um dia evoca um solitário e inútil espírito que em vez de assombrá-la, adota-a. A construção da narrativa, se é que realmente existe, é salteada. As sucessivas cenas surgem de forma ininterrupta e sem uma ligação fidedigna entre elas. Vemos Kohina a fazer o ritual, Kokkuri a surgir do nada, no momento seguinte já está a comer noodles e no outro a discutir a falta de vida social e de presença humana na vida da pequena anti-social. As cenas são vazias, os diálogos ridicularizados e as próprias personagens fazem questão de o ser.

 

Anime Gugure! Kokkuri-san

 

Ao longo da obra há uma tentativa de criação de um elo entre os protagonistas. Contudo, nada do que foi produzido propícia o clímax narrativo essencial num primeiro episódio, sendo notoriamente forçada a exposição dos recém criados sentimentos em Kohina, bem como as conversas e promessas finais. A possibilidade de entrada de novas e carismáticas personagens em nada captaram a atenção ou sequer ofuscaram a pobreza desta produção. O fiasco foi de tal forma, que qualquer perspetiva de melhoria é uma leve miragem onde as expetativas de criação de um enredo são nulas.

 

Gugure! Kokkuri-san Anime

 

Gugure! Kokkuri-san | Ambiente

A excelência presente no design em nada nos surpreendeu, afinal estamos a falar da produtora de animes como D. Gray-man e Bakugan. A fluidez e dinâmica das cenas, aliada aos elementos figurativos e mesmo à coreografia original da “batalha” entre a pequena e a raposa provam que a grande TMS Entertainment contínua a marcar pontos na indústria da animação.

 

Gugure! Kokkuri-san Anime | TMS Entertainment

 

Infelizmente a riqueza técnica não consegue suprimir a escassez narrativa. O jogo de cores simples mas impecavelmente colocadas, o character design caraterístico mas ainda assim, rigorosamente descrito, bem como os imensos frames que adornam toda a obra, promovem uma animação agradável aos olhos.

A dupla imagem da protagonista é um dos pontos de relevo na realização da obra. Consoante o estado de consciência de Kohina, o seu aspeto varia desde uma jovem normal para a sua idade, a uma aparência de boneca apática, insensível, desumana.

 

Anime Gugure! Kokkuri-san

Kohina Ichimatsu

 

O trabalho dos Seiyuu foi esplêndido e adequa-se perfeitamente à narrativa. Contudo, as vozes ligadas a toda a dinâmica técnica não surtem de todo o efeito desejado. Aliados a toda a pobreza e má construção narrativa, promovem um efeito visual e auditivo que varia entre o irritante e o aborrecido.

 

Anime Gugure! Kokkuri-san

Kohina & Kokkuri

 

Gugure! Kokkuri-san | Potencial

Duvido que esta obra tenha algo para dar. Como afirmei em cima, seria preciso uma mudança muito brusca em toda a base narrativa e de construção para que possa merecer o nosso tempo. Não consigo encontrar nenhum ponto suficientemente bom para vos aconselhar a visualizar a animação. Sem dúvida que o design e os aspetos técnicos são de relevo, sem falhas aparentes e sobretudo muito bem desenvolvidos. Se tiverem curiosidade em ver com os vossos próprios olhos a história do demónio que decidiu adoptar, vulgo assombrar, uma criança apática e problemática, viciada em ramen, força! Caso contrário não vos aconselho a perderem o vosso tempo.

 

 

0 comentário


Também deverás gostar de

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.