Intercâmbio de culturas entre Japão e Portugal – Herança

por Inês Marques

Apesar do final conturbado da presença portuguesa no Japão durante os sécs. XVI e XVII (ver este artigo), esta ainda durou cerca de um século. Por isso, e apesar da expulsão dos estrangeiros no século XVII, muitos aspetos deste contato mantêm-se até aos dias de hoje.

A expressão mais visível desta herança está na própria língua japonesa. Muitos vocábulos usados diariamente no Japão têm inegavelmente origem portuguesa. Eis alguns exemplos:

Japonês Português
パン (pan) Pão
ボタン(botan) Botão
金平糖 (konpeitō) Confeito (uma espécie de rebuçado)
たばこ (tabako) Tabaco
コップ (koppu) Copo
襦袢 (jiban) Gibão, roupa interior que se usa por baixo de kimonos
キリスト(kirisuto) Cristo
ボーブラ (bōbura) Abóbora (no dialecto de Kyūshū)

 

konpeito

Konpētō são bolinhas de açúcar coloridas, às quais podem ser adicionados sabores mais nipónicos, como chá verde.

 

Antigamente havia muito mais palavras, associadas especialmente ao Cristianismo, que foram caindo em desuso ou foram entretanto substituídas por palavras inglesas. Outras não são muito óbvias, como o caso de “múmia”, em japonêsミラー(mirā), que vem da palavra portuguesa “mirra” (pois esta substância seria usada no processo de mumificação).

Também nós usamos palavras japonesas no nosso quotidiano, talvez sem darmos conta! Por exemplo, desde palavras que retém sensivelmente o mesmo significado em ambas as línguas, como “biombo” (屏風 byōbu), “catana” (刀 katana), “chá” (茶 cha), até palavras menos agradáveis como “sacana” (魚 sakana), que no original japonês significa “peixe” (e chegou até nós de maneira bastante deturpada…).

Para além disso, algumas iguarias tipicamente japonesas são “descendentes” de pratos portugueses. O “avô” da tempura é nem mais nem menos que o nosso peixinho-da-horta, e quem já não se deliciou com Castella, o pão-de-ló japonês?

 

Castella

Nagasaki é o sítio onde se pode encontrar a melhor Castella no Japão. Para além da versão normal, existem as versões de chá verde e chocolate.

 

O contributo mútuo que o Japão e Portugal tiveram outrora continua a fazer-se notar e a evoluir nos nossos dias. Esta relação de quase cinco séculos entre dois extremos do planeta é única e muito especial e nós, como portugueses e amantes do Japão, temos de manter esta amizade acesa!

Com este artigo termina a série sobre o intercâmbio de culturas entre Portugal e Japão. Espero que tenham gostado destes bocadinhos de História e agradeço o interesse de todos os leitores!

ありがとうございます!(Arigatō gozaimasu!)

 

2 comentários

Também deverás gostar de

2 comentários

Leandro Santos 17 Janeiro, 2016 - 16:30

artigo muito interessante, é incrível o numero de palavras similares que eu não conhecia 😀

Responder
Inês Marques 17 Janeiro, 2016 - 18:30

Obrigada Leandro! De facto partilhamos mais coisas do que imaginamos 🙂

Responder

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.