Kimetsu no Yaiba – Entrevista com o produtor Yuma Takahashi

por Beatriz Ribeiro
Kimetsu no Yaiba – Entrevista com o produtor Yuma Takahashi

Demon Slayer, ou Kimetsu no Yaiba é um dos anime mais famosos e bem sucedidos, tendo sido o primeiro manga da revista Shonen Jump a receber uma adaptação da série, por inteiro, do famoso estúdio Ufotable.

A Anime News Review conversou com o produtor Yuma Takahashi para discutir de que forma a adaptação para anime do manga de Demon Slayer foi desenvolvida e o que os fãs podem antecipar.

 

Kimetsu no Yaiba – Entrevista com o produtor Yuma Takahashi

Nota: A presente entrevista realizou-se a 28 de agosto de 2019, aquando a estreia do episódio número 19 de Kimetsu no Yaiba, não sendo por isso contemplados, todos os aspetos do anime após o fim da sua transmissão.

A tradução desta entrevista é apenas possível graças ao trabalho de Jacob Chapman, que a realizou e a disponibilizou através do site Anime News Network.

 

Kimetsu no Yaiba – Entrevista com o produtor Yuma Takahashi

 

Anime News Network (ANN): Kimetsu no Yaiba marca a primeira adaptação de um anime da revista Shonen Jump pelo estúdio Ufotable. O que o interessou em produzir especificamente este manga?

Yuma Takahashi: O estúdio Ufotable tem feito projetos tais como Fate/stay Night e Garden of Sinners (Kara no Kyoukai) no passado, com a reputação de produzir um trabalho absolutamente fantástico. Apenas senti que havia uma compatibilidade natural para trabalhar com este estúdio, nesta série em particular.

 

Kimetsu no Yaiba – Do manga à animação

ANN: Qual foi o maior desafio que a equipa enfrentou na adaptação da arte de Koyoharu Gotoge-sensei para animação?

Yuma Takahashi: Eu diria que o maior desafio foi captar os traços únicos da arte de Gotoge-sensei. As imagens têm muito impacto, com linhas de expressões faciais muito distintas e escolhas visuais impressionantes. Por isso, pensei como poderíamos de forma natural, transformar o manga em animação. Isso foi provavelmente o maior desafio.

 

ANN:  O estúdio Ufotable desenvolveu novas técnicas de produção digital para os visuais de Demon Slayer, ou algumas técnicas recentes desenvolvidas para outros projetos revelaram-se úteis para este projeto ?

Yuma Takahashi: A equipa do estúdio é principalmente composta por pessoas que já trabalham aqui há algum tempo, por volta de 5-10 anos. Por isso, já existem relações estabelecidas e um grande sentido de confiança porque os animadores já trabalham juntos há muito tempo. Mais do que desenvolver uma nova tecnologia, eu vejo tudo isto como uma equipa em evolução e a avançar nas suas técnicas, ao ficarem cada vez melhores nos métodos que já desenvolveram. Portanto, não é tanto o que a tecnologia 3D traz de novo , mas sim o melhoramento das habilidades dos animadores ao longo dos anos, e até os elementos CG em Demon Slayer são todos derivados de trabalhos que foram desenhados à mão.

Os animadores encontram sempre uma maneira de melhorarem constantemente. Em termos dos objetivos do estúdio, para esta série em específico não é necessariamente fazer o melhor anime de sempre, mas sim fazer o melhor Kimetsu no Yaiba. Por isso, o que se vê agora é a melhor versão do material de origem.

 

Kimetsu no Yaiba – Entrevista com o produtor Yuma Takahashi: A aplicação de CGI

ANN: Como foi o processo para desenvolver o estilo CGI utilizado na técnica de “water breathing” do Tanjirou? Foi difícil conjugar esses visuais com a animação feita à mão?

Yuma Takahashi: A técnica de “water breathing”, particularmente as ondas utilizadas quando o ataque é lançado, é tudo composto de elementos desenhados à mão. Existe um pouco de 3DCG na composição final, mas praticamente todos os elementos de água são feitos à mão. É muito difícil fazer coincidir o movimento humano com o das ondas, mas na minha opinião, o estúdio Ufotable é o melhor no mercado em técnicas de desenho como estas. Ninguém poderia fazer o que eles sabem fazer de melhor. No nosso painel de hoje, iremos ter um vídeo do estúdio que mostra este processo com grande detalhe.

 

ANN: Que tipo de pesquisa conduziu a equipa para dar vida ao cenário deste período histórico? Tiveram a oportunidade de visitar localizações reais para pesquisa?

Yuma Takahashi: Como o período Taisho não é assim tão antigo, existem um grande número de fotos que sobreviveram do Japão naquela época. Por isso, a primeira coisa que fizemos foi comprar um conjunto de livros para utilizar como referência, para podermos capturar a essência daquele período. Mesmo não tendo isso uma pesquisa através de visitas a sítios reais, fizemos uma viagem às montanhas de modo a ajudar na ilustração do cenário invernoso do primeiro episódio. Encontramos um local cheio de neve que nos inspirou na criação da terra natal de Tanjiro, que era extremamente frio, ao ponto de haver algum risco de nos perdermos no cume da montanha.

 

ANN: Estou grato que se tenham orientado na montanha! O quão ativo foi Koyoharu Gotoge-sensei no processo de adaptação do anime, e como foi trabalhar em conjunto?

Yuma Takahashi: Gotoge-sensei esteve envolvido na verificação dos cenários e no design de personagens. De maneira geral, envolveu-se intimamente no processo de adaptação do anime. Eu estava em constante contacto com Gotoge-sensei ao longo de toda a produção. Como demonstrou uma grande confiança no estúdio, as tarefas de Gotoge-sensei consistiam não tanto em solicitar alterações, mas sim em dar conselhos úteis para fazer o melhor trabalho possível. Na minha opinião foi uma ótima relação laboral.

 

Demon Slayer – A construção do soundtrack

ANN: Demon Slayer tem dois compositores de renome na composição do seu soundtrack, Yuki Kajiura e Go Shiina. Porque é que foram os dois escolhidos para desenvolver as pautas musicais e como foi a divisão do trabalho de composição? Eles colaboraram um com o outro em alguma das peças?

Yuma Takahashi: Como sabe, Kaijura-san esteve envolvido nos projetos do estúdio para os animes Fate e Garden of Sinners, enquanto Shiina-san produziu a música para a série Tale e God Eater, por isso, eles já tinham uma relação forte com o estúdio, da mesma maneira que o estúdio tem muita confiança neles. Depois de terem trabalhado juntos tantas vezes, a equipa do Ufotable insistiu em trabalhar com eles para Demon Slayer, devido à grande confiança que tinham neles.

Kajiura-san contribuiu com 5 músicas para Demon Slayer, e por isso utilizamos o seu trabalho como pilar central para expandir as imagens para a trilha sonora. Baseado no “pilar” criado com essas 5 músicas, Shiina-san desenvolveu composições que correspondem especificamente a determinadas cenas da série. Neste ponto, Shiina-san já tinha contribuído com, provavelmente, centenas de músicas para a série. Por isso, eles trabalham separadamente, mais do que em colaboração.

 

Kimetsu no Yaiba – Entrevista com o produtor Yuma Takahashi - Entrevista produtor Demon Slayer

 

ANN: Que parte do manga foi a sua favorita no processo de lhe dar vida através da animação?

Yuma Takahashi: Existem tantas que é para mim difícil escolher apenas uma. Se tivesse de escolher, eu acho que escolheria duas. Uma, é a técnica de water breathing , pois acho que vê-la em movimento é incrível e penso que os fãs concordam. É uma das minhas partes favoritas da série.

Em segundo lugar, uma das maiores felicidades do anime é poder ouvir e fazer o som dos elementos de um manga, através de vozes particulares. Uma personagem que se destaca nesse aspeto é o Zenitsu, que frequentemente serve como “alívio cómico” da história. Poder não apenas vê-lo, mas também ouvi-lo tem sido uma das maiores felicidade na produção do anime Kimetsu no Yaiba.

 

ANN: Ah sim, ele é muito barulhento!

Yuma Takahashi: Muito barulhento! Mas é um bom barulhento.

 

O Futuro de Kimetsu no Yaiba

ANN: Assim sendo, que parte do manga está mais ansioso por “enfrentar” no futuro?

Yuma Takahashi: Sem fazer spoilers de nada, uma das coisas que estou mais a antecipar e quero que os fãs estejam ansiosos por isso, é ver a batalha com o Rui cujo episódio vai, na verdade, estrear hoje. A cena de luta entre o Rui e o Tanjiro é de um nível sem precedentes de algo realizado pelo estúdio. Até excede o que os fãs viram em episódios anteriores. Não é que apenas esteja entusiasmado, mas é também o objetivo do estúdio criar as cenas mais excitantes possíveis. E tudo o que acontece na montanha Natagumo é algo que mal posso esperar para que os fãs vejam.

 

ANN: Com que personagem de Demon Slayer se identifica mais? Qual é a sua personagem preferida ?

Yuma Takahashi: A personagem com quem mais me identifico é o Tanjiro, porque a maneira como ele enfrenta os desafios com coragem e perseverança realmente me inspira para trabalhar com mais dedicação. Mas, em termos de personagens favoritas, eu diria a Shinobu Kocho. Ainda não a conheceram no anime, mas ela é um dos pilares, tal como o Gyu. Ela é uma senhora tão forte e bonita, e isso é o que a torna fantástica para mim.

 

ANN: Tem havido muita discussão dentro da indústria acerca das condições de trabalho dos animadores. Existe uma preocupação com o facto de os estúdios serem ou não capazes de produzir belos trabalhos, tal como o que vemos em Kimetsu no Yaiba, sem sobrecarregar a equipa. Que precauções faz um estúdio, como o Ufotable e os seus produtores, de modo a manterem um equilíbrio entre o trabalho de qualidade e a saúde dos animadores?

Yuma Takahashi: Não podemos ignorar o objetivo número um do estúdio, que é fazer o anime mais divertido e visualmente fantástico, mas vamos ser honestos, as pessoas que trabalham nestas séries são apenas humanos. Por favor, tenham a certeza de que eles tiram folgas quando podem, e a equipa do Ufotable, em particular realizam o seu trabalho a um ritmo saudável. Por isso, não se preocupem demasiado e tenham a liberdade de apreciar o anime que eles criaram.

 

Fonte: Anime News Network 

 

0 comentário


Loading...

Também deverás gostar de

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.