Lu Over The Wall – Análise

por António Costa
Lu Over The Wall - Análise

 

Lu Over The Wall Análise – Ponyo?

 

Às vezes, certas coisas conectam connosco e não conseguimos explicar exatamente porquê. Podemos explicar porque é que funciona bem e porque é que é bom, mas explicar porque é que causa uma emoção tão forte e tão pessoal é complicado. Eu provavelmente não devia amar Lu Over the Wall tanto quanto amo mas quanto mais tempo passa e quanto mais tempo pondero sobre o filme mais gosto dele. Por isso vou fazer uma análise para poder explicar porque é que este filme mexe tanto comigo.

Lu Over the Wall é sobre um rapaz chamado Kai, que vive numa cidade costeira onde a pesca é o maior negócio. No entanto, ninguém tem coragem de pescar no mar além da muralha que construíram com medo de serem atacados por sereias, seres horríveis que, segundo alguns membros mais velhos da cidade, comem pessoas. Mas o Kai não quer saber disso, por isso vai para uma ilha supostamente associada com as sereias com o pretexto de praticar com uma banda formada por dois colegas dele, a Yuho e o Kunio e acaba a encontrar uma sereia chamada Lu. Daí as coisas descambam um bocado, com música, velhos preconceitos da cidade, outros tantos negócios. É difícil falar sem spoilar tudo.

 

Lu Over The Wall - Análise

 

Se este resumo parece demasiado curto, peço desculpa mas o filme é tão simples que eu não sei que mais é que posso dizer sem contar tudo. Aliás, a palavra operativa neste caso é mesmo essa: simples. As personagens são simples, a história é simples, até os designs são simples. Mas acaba a funcionar tudo.

O Kai não é exatamente a personagem mais complicada do mundo mas eu gosto do espaço que ele ocupa na história. A mesma coisa aplica-se aos colegas dele e à Lu. É tudo tão direto e simplista que é difícil conseguir dizer o que quer que seja. Aliás, até é tudo simplista demais para ser bom. Este filme devia ser super genérico e aborrecido mas, em vez disso, é super charmoso. Porquê? Duas palavras: Masaaki Yuasa.

O Masaaki Yuasa é o realizador do filme e também é responsável por realizar alguns cult favorites como The Tatami Galaxy, Ping Pong The Animation e Devilman Crybaby. Ele tem um estilo muito particular, daqueles “ou gostas ou não gostas” e eu sou daqueles que gosta. Quando o Yuasa vai trabalhar, ele esforça-se ao máximo e põe sempre o seu toque especial em tudo. Eu diria que assim que começarem os créditos de abertura (passados cerca de 10 minutos) já vão saber se querem continuar a ver o filme ou não. Isso é o que destaca Lu Over The Wall. Não é grande, não é épico, nem sequer é incrivelmente revolucionário mas é… confortável. É o equivalente a enrolarmo-nos num cobertor quente num dia de inverno.

 

Lu Over The Wall - Análise

E o pai da Lu. O pai da Lu é espetacular. Ele é a personagem da anime de 2017. Tudo o que ele faz é incrível.

 

Caso o título não tenha informado, sim o filme é semelhante ao Ponyo. Tipo… A história bate várias vezes em sítios que o Ponyo bateu. É melhor que esse filme? Em termos técnicos, eu diria não (eu gosto do Yuasa mas ele não é nenhum Miyazaki) mas acho que este filme tem um pouco mais de personalidade e uma identidade única. O Estilo Ghibli já foi usado tantas vezes que já sabemos mais ou menos o que esperar, por isso o Ponyo não salta tanto à vista como Lu Over The Wall.

MAS TAMBÉM O QUE É QUE EU SEI, LONGA VIDA AO NOSSO REI HAYAO MIYAZAKI POR FAVOR NÃO ME ATAQUEM!

 

Lu Over The Wall - Análise

DEUS O PROTEJA E DEFENDA

 

A animação é muito boa. O estilo muda algumas vezes, dependendo da cena, mas é sempre bem executado e tem uma fluidez agradável. Imaginem as séries do Yuasa mas com mais orçamento. Os designs são incrivelmente simples e, verdade seja dita, as personagens humanas têm todas um ar genérico. A Lu e o pai dela ainda se safam mas o resto é um bocado eh. É capaz de ser uma escolha deliberada para contrastar com os designs exagerados das sereias, mas não sei se apelará a toda a gente.

 

Lu Over The Wall - Análise

O adolescente mais aborrecido do mundo

 

A Música tem um papel importante neste filme e é toda bastante divertida e energética. É verdade que às vezes soa um bocado genérica mas acho que isso foi uma escolha intencional, visto que envolve músicos amadores. Já agora, esta não é a primeira vez que o Yuasa faz anime com gente que não canta muito bem.

Esta é capaz de ser a análise mais frustrante que já escrevi porque estou a tentar não contar muito sobre o que acontece e não quero criar muitas expectativas. Este é daqueles filmes em que sentir a emoção de tudo a acontecer é a parte essencial e por isso não quero vir aqui e dizer “E depois isto acontece, e depois há este momento lindo e depois há esta outra coisa”.

Lu Over The Wall é um filme que, na minha opinião, se vê melhor se não soubermos nada e que só funciona se nos deixarmos “cair” no charme do filme. Aceitem isso pelo que é.

 

 

0 comentário


Também deverás gostar de

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.