Made in Abyss – Opinião Episódio 4

30 Julho, 2017  Por Usagi Wright
2



>>> ESTE ARTIGO CONTÉM SPOILERS!<<<


 

E a grande aventura pelo Abyss começa!

 

Ao menos esperava eu. Este episódio não possuiu o hype que o último deu a entender. A Riko e o Regu mandaram-se para o Abismo para iniciar a sua jornada e tudo dava a concluir que o 4º episódio seria já um início conturbado. Tal não aconteceu, no entanto isso não significa que tenha sido um mau começo.

 

Made in Abyss – Opinião Episódio 4 | História

O episódio começou de forma demasiada lenta tendo em consideração o final do último episódio, que demonstrava uma maior tensão no que se seguia.

Um factor interessante logo à cabeça foi a Riko e o Regu terem saltado para um buraco negro e acordarem num local extremamente ensolarado. Supostamente, a luz do sol não deveria ter um alcance maior do que na superfície.

 

made in abyss - opinião episódio 4

 

Foi de imenso bom tom explicarem este pequeno pormenor. Como disse Regu, aquilo acontece pela distorção no campo de força que está a conduzir a luz diretamente para ali. Por isso é que aquele local consegue ser mais iluminado que a superfície.

Continuando a viagem, Made in Abyss proporciona bastantes situações onde podemos ver a interação dos principais personagens, ao mesmo tempo que passam informações interessantes. Por exemplo, os dotes culinários da Riko, algo que pode parecer corriqueiro mas que possui extrema importância quando a questão “sobrevivência” está em jogo. Ou que as equipas de resgate funcionam em grupos de três pessoas e que existe uma rota normal que todos os Cave Raiders supostamente têm de seguir.

 

Made in Abyss - opinião episódio 4

 

Ou ainda quando ela diz a seguinte frase depois de perder a bússola no rio:

Tudo o que é retirado do Abismo será devolvido um dia.

 

Riko apenas falava da sua bússola, mas indiretamente o diretor deu informações sobre ela. A personagem nasceu no Abismo, ou seja, faz parte dele, e foi retirada de lá para a superfície. Se tudo o que é retirado do Abismo sempre retorna, então, de um modo ou outro, seria o destino da Riko voltar àquele lugar. Aliás, Hobo (o personagem que é apresentado mais à frente) também diz que mais cedo ou mais tarde a Riko iria voltar para aquele local.

 

Made in Abyss - opinião episódio 4

 

O que mais me intrigou neste episódio, foram os documentos que o Líder deixou na mochila do Regu. Melhor, não o que deixou mas o porquê. Com esta ação, ficou explícito que quando o Líder contou no 2º episódio a história da Lyza à Riko, foi simplesmente para ativar a vontade desta de ir procurar a mãe. Agora, o Líder provoca a Riko, fornece aqueles documentos e depois deixa uma mensagem a dizer que no amanhecer vai capturá-los? Será que foi ele que enviou aquilo sequer? Ou foi só para lhes meter medo?

 

made in abyss - opinião 4 episódio

 

Como questionei nos primeiros três episódios, a Riko está a sentir as consequências físicas de estar no Abyss mas num nível muito pequeno, já que quando o Nat, no 2º episódio, explorava a primeira camada com o Regu estava a sentir-se bastante mal, logo a pessoa “normal” estaria a sentir as coisas mais intensamente.

Após a interação entre os dois principais personagens, apareceu o Hobo que serviu como ponte de informação. Através deste foi-nos possível saber que:

  • Existem Cave Raiders com características especiais (o Hobo era muito rápido);
  • A possibilidade de doenças estranhas na 2ª camada do Abismo (o Hobo deu um frasco que era uma vacina para prevenir a Riko de apanhar alguma doença de lá);
  • Foi apresentada a guardiã (único apito branco ativo) do acampamento para onde a Riko e o Regu se dirigem: a Ozen, The Immovable;
  • Que foi esta guardiã que encontrou a carta da Lyza e que a ajudou quando a Riko nasceu;
  • E que, por algum motivo, existe algum problema da Ozen com a Riko.

 

made in Abyss - opinião 4 episódio

 

Aqui e ao longo de todo o episódio consegue-se discernir como a Riko é “mesmo criança” e ingénua e como o Regu consegue ser “mais adulto” e racional.

 

Made in Abyss – Opinião Episódio 4 | Ambiente

A animação e banda sonora de Made in Abyss seguiu uma linha de consistência ao longo de todo o episódio. Neste aspeto, não se pode apontar muito ao estúdio Kinema Citrus que está a fazer bem o seu trabalho.

O contraste entre a primeira e a segunda camada do Abismo é muito interessante. Enquanto na primeira as cores são vivas e brilhantes, tanto do espaço em redor como dos próprios personagens, na segunda os tons viram “baços”, mais escuros e sem brilho. Aliás, é perceptível o imenso nevoeiro que dá um ar mais pesado à cena. É verdade que quanto mais se desce menor é a possibilidade de haver boa iluminação (mesmo com distorções de luz), no entanto, penso que tal também tenha algum simbolismo, mais não seja que a partir daquele momento as coisas vão ser mais complicadas.

 

made in abyss - opinião 4 episódio

 

Um ponto curioso na questão da animação foi a diferença da arte do episódio em geral (personagens, ambiente) com os monstros que apareceram. Claro está que o responsável não é o mesmo, mas realmente o design é mesmo destoante. Kou Yoshinari decidiu colocar o seu cunho pessoal e fazer algo diferente na questão dos monstros. E eu achei muito bem conseguido! Se estamos num lugar onde estão escondidos animais e seres que não existem à superfície, porque não monstros com um estilo totalmente dispare? Sinceramente acentuou ainda mais o fator do desconhecido e do impossível e teve significado na história.

 

made in abyss - opinião 4 episódio

Made in abyss - opinião 4 episódio

 

Made in Abyss – Opinião Episódio 4 | Aspetos Gerais

O episódio quatro de Made in Abyss foi extremamente calmo para o que o final do 3º episódio quis antever. Contudo, a Riko e o Regu iam começar pela primeira camada, estávamos à espera do quê? Os apitos vermelhos já podiam andar por aquela zona a explorar, então nem tudo era novidade.

Este serviu para nos mostrar a interação entre eles os dois e para nos preparar para o que vem aí. O final do episódio deu claramente a entender que “coisas angustiantes” vão ocorrer com a presença da Ozen. Então, devemos poder esperar algum drama e tensão no próximo capítulo.

 

Made in Abyss - opinião 4º episódio

 

Apesar de muitos insinuarem que foi demasiado lento e que nada aconteceu, não podemos descurar que num episódio chegamos já à 2ª camada do Abismo! Na 1ª fase não poderia acontecer nada de muito novo, então o diretor permitiu-nos acompanhar a aventura da Riko e do Regu, observar toda a atmosfera do Abismo e fazer-nos sentir como se ali estivéssemos.

 

Pensamentos finais:

  • Ainda não se sabe nada da coelha que aparece na ending dos episódios;
  • A Riko sem o Regu já tinha sido comida por um bicho qualquer.

 

Sugestão:


Made in Abyss – Opinião Episódio 5

Made in Abyss – Opinião Episódios 1 a 3

Web Manga General Election – Made in Abyss e ReLIFE competem pelo Topo

Castlevania Netflix – Primeiras Impressões


 

 

Comentários do Facebook









Também deverás gostar de




2 Comentários

para mim o ritmo foi o ideal, serviu para dar mais algumas informações e de conhecer melhor aquele mundo.

a cena da luz também me fez bastante confusão até ser dada a explicação, essa até foi convincente, logo foi um ponto a favor.

o paralelismo entre a bussula e a riko foi muito bem feito. já o professor, acho apenas que ele percebeu que não a iria conseguir parar, assim, fez o seu papel de professor ao mesmo tempo que ajudava a concretizar um sonho.

A Ozen foi apresentada como uma personagem má, não sabemos o porquê, mas ela pelo seu passado, terá bastante informações vitais.

a animação das criaturas foi quanto a mim o ponto baixo do episódio, sim podem ser diferente, mas a animação deixou a desejar e se compararmos com os cenários então a situação é ainda pior.


    Não é que o ritmo não tenha sido o ideal, só que o final do episódio anterior fez antever outra coisa que o que foi mostrado.

    Eles por acaso tentam explicar todos estes pormenores que causam estranheza no espectador. Ponto positivo para Made in Abyss nesse aspecto.

    Quanto à animação das criaturas eu realmente gostei. O abismo é suposto ser um “unknown”, então o design diferente realçou esse pormenor. Mas acho que não é o mais importante no final de contas.

    Obrigada pelo comentário!



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

1 × 4 =


Outras Histórias
Persona 5 Anuncia Anime para 2018 - Trailer Este domingo, a conta oficial Twitter para a franquia Persona, da Atlus, anunciou que o jogo Persona 5 vai receber uma série...
Partilhas