Mamoru Hosoda – Temas e Inspirações

por João Simões
Mamoru Hosoda - Temas e Inspirações

Faz este ano (2016), três anos consecutivos que o Tokyo International Film Festival tem dado destaque a um diretor de anime. Neste é-lhes dado espaço para retrospetiva, palestras, conversas, onde é desenvolvida uma continuidade entre a arte e a filmografia do diretor em questão. Há dois anos atrás o destaque caiu sobre Hideaki Anno e no ano passado foi o criador de Mobile Suit GundamYoshiyuki Tomino. Este ano chega-nos um senhor com uma carreira incrível em ascensão: Mamoru Hosoda, criador de Summer Wars, Wolf Children e Bakemono no Ko.

Após a exibição do filme Wolf Children, Hosoda juntou-se ao colega e diretor Hirokazu Koreeda para uma conversa alargada que acabou por se focar nas temáticas e inspirações do autor.

 

Mamoru Hosoda – Temas e Inspirações

mamoru-hosoda-temas-e-inspiracoes-tokyo-international-filme-festival

 

Começou então por abordar a temática de Wolf Children: ter como narrativa a abordagem das dificuldades da maternidade, dentro do Japão moderno, não é propriamente o típico motor das narrativas de anime.

Foi um tema extremamente desafiador para colocar em animação. As pessoas não abordam este tipo de problemas. Até eu cheguei a pensar que era louco por o fazer. Não é, de todo, um tema normal para um filme que acabou por ser popular.

 

Acabou por dizer que o filme serviu como uma espécie de forma de ele se desculpar à mãe dele, que faleceu após uma longa hospitalização quando se encontrava a trabalhar em Summer Wars.

Relativamente ao local onde se desenvolve a narrativa de Wolf Children revelou que é o lado rural da vila de Kamiichi, Toyama, que é na verdade a sua terra natal. De modo a prepara-se para o filme da melhor forma, ele e a equipa de animação viajaram até aos locais reais para os estudar.

Levar a minha equipa à minha terra natal foi uma experiência muito estranha. Eles são dos melhores profissionais da indústria e não existe realmente nada para se ver por lá.

 

Acrescentou ainda que a atriz que interpretou a mãe no filme, também os acompanhou na visita à terra natal, e quando a viu lá sentiu uma estranha ligação entra ela e a mãe dele, “como se elas fossem a mesma pessoa. Foi especial”.

Koreeda, que trabalha exclusivamente em filmes live-action, questionou-o o quão fiel a equipa se mantém relativamente ao que vêem na realidade, quando fazem este tipo de excursões de estudo. Ao que ele respondeu:

Enquanto que fotografias capturam a realidade, os desenhos capturam a impressão que a realidade nos deixou. O que acaba no papel é a nossa perceção de realidade, então acabamos por subtrair os elementos que não captaram a nossa atenção.

 

Depois disso seguiu-se o segmento de questões do público onde alguém questionou sobre a música presente em Wolf Children (composta por Masakatsu Takagi).

A banda sonora do filme possui uma força enorme porque o Takagi nunca tinha composto música para uma longa-metragem, então deu génese a este resultado original.

 

Hosoda acabou por requisitar Takagi, de novo, para a banda sonora de Bakemono no Ko (The Boy and the Beast), o que demonstra um grande respeito pelo trabalho do compositor. Depois, quando o foco sobre Wolf Children se alargou para todos os filmes, começaram a abordar as temáticas recorrentes em todos os filmes dele.

Muitos dos meus filmes abordam de uma forma ou de outra a ausência da figura paternal dentro do seio familiar. Isto é retirado da minha própria experiência de vida, uma vez que o meu pai raramente esteve por casa acabando por ter uma presença muito diminuta. Eu acho que a forma como coloco isto nas narrativas tem o seu lado atrativo, quase que dá para sentir a sua existência mesmo não estando lá, como por exemplo em Bakemono no Ko (The Boy and the Beast).

 

https://www.youtube.com/watch?v=GDcUTvP_3oA

 

No fim da conversa Hosoda não deixou o público presente, nem os internautas, de mãos a abanar. Aproveitou para lançar uma informação relativa ao seu novo filme:

O primeiro rascunho do guião já foi aprovado, o filme terá como foco uma figura paternal, mas não será sobre o que é ser Pai. Se tudo correr bem o filme irá estrear algures em 2018.

 

Ansiosos pelo novo projeto de Mamoru Hosoda?

 


Também deverás gostar de:

Mamoru Hosoda explica porque não trabalha com Atores Voz Profissionais

Mamoru Hosoda planeia lançar Novo Filme em 2018

Summer Wars | Análise

Digimon Adventure Movie | Análise

Análise The Girl Who Leapt Through Time


 

 

Fonte: Otaku USA

 

0 comentário

Também deverás gostar de

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.