Osamu Yamasaki – Indústria Anime encontra-se num Círculo Vicioso

por João Simões
Osamu Yamasaki - Indústria Anime encontra-se num Círculo Vicioso

Em novembro de 2016, um animador que trabalhava para a P.A. Works, iniciou uma grande controvérsia após publicar, numa rede social, uma fotografia da sua remuneração. Após subtrair as despesas de alimentação, transporte e renda, sobrava-lhe apenas 1,477 yen (10€) para gastos pessoais.

Afirmou ainda que os animadores que não conseguirem passar de in-betweener para key animator, após três anos, têm que pagar uma taxa de aproximadamente 40€ por mês. De acordo com a publicação, o maior pagamento que o animador recebeu foi em outubro de 2016, num valor de 470€.

 

PA Works responde a Discussão sobre Condições de Trabalho

 

Osamu Yamasaki – Indústria Anime encontra-se num Círculo Vicioso

Apesar da P.A Works ter negado que cobravam taxas aos animadores, confirmou que os valores do ordenado estavam corretos, o que levantou, mais uma vez, a questão das condições de trabalho nesta indústria. O que até é algo que a própria P.A. Works já tratou de abordar no seu anime original Shirobako.

Business Journal entrevistou Osamu Yamasaki, realizador de animes como Hakuōki e de Toward the Terra, e também diretor da instituição Japan Animation Creators Association, de maneira a descobrir um pouco mais sobre esta problemática.

 

Relatório Indústria Anime 2016 - Conclusões

 

Os animadores são pagos conforme aquilo que produzem, então os que tiverem a habilidade de desenhar bem e mais rápido poderão atingir ganhos a rondar os 3.300€ por mês, aos vinte anos de idade. Contudo, isto é atingido com alguns sacrifícios, como por exemplo a ausência de vida social, devido à quantidade de horas que terão que trabalhar para atingir estes valores (mais de 10h por dia).

Não é nada incomum um animador receber menos de 7.000€ anuais. Nos primeiros três anos de carreira de um animador, o objetivo principal é desenvolver as suas capacidades como in-betweener, o que é muito difícil, levando muitos a desistir antes de progredir na carreira.

O Japão é abundante em animadores talentosos, jovens e com muita vontade de trabalhar na indústria da animação, mas também tem uma taxa elevada de desistências.

Atualmente acho que apenas 1 em cada 10 animadores ficam na indústria. Como resultado, a maior parte dos animadores está nos seus 40 ou 50 – pessoas que vieram trabalhar na indústria inspiradas em Space Battleship Yamato e no Mobile Suit Gundam original. Daqui a 10 anos estas pessoas estarão nos seus 60, se nada for alterado a indústria vai levar um grande soco.

 

Osamu Yamasaki - "Indústria Anime encontra-se num Círculo Vicioso"

 

Os estúdios mais capazes de oferecer bons ordenados, grande produtividade e estabilidade são os grandes estúdios, o que faz com que os pequenos e médios estúdios estejam constantemente a perder talento jovem. Isto aprofunda a problemática, fazendo com os pequenos e médios estúdios fiquem desmotivados, reduzindo o investimento direcionado aos talentos individuais de cada animador. Em vez disso contratam em regime de freelance e criam grandes pressões.

Por consequência estes pequenos estúdios são, cada vez mais, caracterizados por ter trabalhadores inexperientes, com habilidades técnicas pouco desenvolvidas, o que leva à pouca produtividade e, claro, a ordenados baixos. Por fim, isto conduz os animadores para os grandes estúdios.

A Indústria Anime encontra-se num Círculo Vicioso.

 

De forma a conseguir acompanhar a crescente quantidade de séries que é lançada por temporada, os grandes estúdios são obrigados a contratar os pequenos estúdios, levando a inconsistências visuais com as quais devem estar bem familiarizados.

 

Não existem Animadores suficientes para tantas séries Anime!

 

Então, porque é que os animadores continuam a compactuar com estas práticas?

Pelo amor que têm pela animação. Na maioria dos casos, a paixão que têm por animação, por desenhar, é a única motivação dos animadores, e é isso que os leva a continuar mesmo nestas condições.

Além disto, Yamasaki acrescenta para concluir:

Os animadores não são do tipo de se preocuparem muito com dinheiro, nem de se juntar em grupos para abordarem os seus superiores com estas problemáticas. Não existem muitas pessoas a lutar para que isto melhore.

Talvez a indústria anime precise de criar um novo modelo de negócio.

 


Artigos Relacionados com a Indústria Anime


 

Fonte: Anime News Network

 

0 comentário


Também deverás gostar de

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.