Paradise Kiss | Análise Live Action

por Raquel Cupertino

Filme: Paradise Kiss
Diretor: Takehiko Shinjo
Escritores: Ai Yazawa (manga), Kenji Bando
Produtores: Takero Hisamatsu, Toshiaki Muramatsu, Takeshi Onoda, Hiroaki Kitano, Toshiya Nomura
Cinematografia: Hikaru Yasuda
Data de estreia: 4 de junho de 2011
Duração: 116 minutos
Distribuidor: Warner Bros.
País: Japão

 

Paradise Kiss Live Action Imagem Promocional

 

Paradise Kiss | A História

A história gira em torno de Yukari Hayasaka, uma estudante do secundário de uma prestigiada escola, que devido à exigência dos seus estudos, não tem tempo a desperdiçar. Toda a sua vida é controlada e avaliada, as suas escolhas foram sempre em prol da sua rigorosa mãe e como tal, as suas metas restringem-se ao “normal” de qualquer estudante de uma escola prestigiada japonesa.

Um dia, após uma simples abordagem por um jovem “punk“, Yukari é literalmente “raptada” por este e pelo seu amigo travesti. Assustada, acaba por entrar num mundo onde o perigo e a mudança são uma constante… Bem vinda ao Paradise Kiss!

 

Paradise Kiss - caraterizacao ambiente

 

Paradise Kiss – Contexto obra original – Adaptação filme

Paradise Kiss de Ai Yazawa é uma das obras mais aclamadas de todos os tempos. Trata-se de um josei forte e emotivo, com temáticas e desenvolvimentos que surpreendem, ao mesmo tempo que fascinam os leitores. Este filme é baseado nesta manga, no entanto as diferenças são bastante significativas.

A linha narrativa mantém-se, e a caracterização do ambiente escola e ateliê são pontos que fazem arrepiar até à espinha os fãs mais afincos. No entanto, o objetivo deste filme é claro e não passou pelo comprometimento à obra original, mas sim à adaptação de um ex-líbris do género ao público em geral. As histórias mais profundas e os “background story” foram totalmente omitidos e alterados à conveniência da produção.

 

Paradise Kiss - censura

 

O enredo do live action Paradise Kiss é bastante linear. O futuro de Yukari  é o centro das atenções da narrativa, contudo todas as dúvidas, anseios e novos sonhos da jovem finalista do ensino secundário são reproduzidos sobre a forma de nuances num romance. Nada é explorado em pleno, ficamo-nos apenas pela apresentação do ambiente e personalidades da vida de Yukari e George. As personagens caminham numa só direção e com um só objetivo, não existe duplas histórias e tudo culmina num clímax final: o desfile da escola Yazagaku e o futuro dos protagonistas.

 

Paradise Kiss - Quarto do George

 

Um live action sobre moda?

As expetativas devem ser comedidas quanto à vertente design/moda do filme. Trata-se de uma produção de apenas 116 minutos, e como tal a escolha de apenas um tema foi fulcral para a coerência da obra. O tema escolhido foi, claro está, o romance. Claro que a vertente moda é uma constante, abordada levemente através da exposição dos designs, do processo criativo, do elevado empenho e inclusive de algumas problemáticas do mundo da moda.

 

Paradise Kiss - Moda

 

Paradise Kiss | O Elenco

O elenco restringiu-se aos 5 protagonistas, aos dois “antagonistas” românticos e a mais 3 intervenientes (os pais de George e o Seiji) que devido à sua importância na obra original foram usados como motores de ação e como justificação para as mudanças da narrativa.

Os atores desempenharam um ótimo papel, contudo para os fãs da manga original, a caracterização ficou um pouco à quem do desejado. O Hiro (Yusuke Yamamoto) é bastante diferente do esperado e infelizmente, os escassos minutos de ecrã do ator em nada favoreceram a sua negligente caracterização. Como consequência, o peso que tentaram impingir à personagem foi forçado e sem sentido.

Miwako era de facto fofa e foi muito bem representada pela atriz Aya Omasa, que apesar da sua altura ser o completo oposto à personagem original, soube aproveitar os seus pontos fortes e sobretudo caracterizar na perfeição a personalidade doce e ingénua de Miwako. Outro ponto a favor vão para as prestações do ator Osamu Mukai (no papel de George Koizumi) e para a maravilhosa interpretação de Kento Kaku (Arashi Nagase). A caracterização e interpretação foram de tal forma boas que as diferenças visuais entre anime/manga e live action não se faziam sentir, a ligação era instantânea.

 

Paradise Kiss - Mundo da Moda

 

Paradise Kiss | Juízo Final

Para quem não conhece a obra original:

Trata-se de um típico romance adolescente japonês onde os valores e escolhas dos envolvidos são postos à prova. O resultado é o evidente, mas o desenvolvimento é interessante e extremamente cativante. A temática é só por si uma fonte de interesse, e a caracterização da cultura de moda é acima da média, pelo que podem esperar um bom filme. Para os amantes de romance asiático, esta adaptação é um must see.

Infelizmente, as lacunas narrativas fizeram-se sentir e haverão personagens e situações que vos irão “saber a pouco”, afetando o filme no panorama geral.

 

Paradise Kiss - Capa

 

Para quem conhece a obra original:

As expetativas devem ser extremamente comedidas pelos mais variados motivos. A história é descrita de forma diferente, extremamente censurada e sem abordar o “lado negro” da história. A relação entre os personagens não passa as duas dimensões, e inclusive alguns traços da personalidade dos mesmos foram alterados, modificando o seu papel na narrativa.

Se mesmo assim quiserem assistir ao filme que seja apenas pela curiosidade inerente à adaptação e nunca por esperarem ver algo novo e apaixonante. Não há cenas românticas como estamos familiarizados, e o final… é bem diferente do esperado. Em suma, transformaram um josei num shoujo.

 

 

 

0 comentário


Também deverás gostar de

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.