Quioto – Guia do Gaijin para o Japão

por Inês Marques
Guia do Gaijin Para o Japão

Quioto (京都 Kyōto) foi a capital imperial do Japão durante mais de um milénio, desde o ano de 794 (início do período Heian) até 1868 (Restauração Meiji). Por esta razão, encontramos nesta cidade incontáveis templos e santuários, que lhe conferem um valor histórico incomensurável.

 

-Locais turísticos-

Castelo de Nijo

O castelo de Nijo (二条城 Nijōjō) era a residência do shōgun Tokugawa Ieyasu em Quioto. A sua construção data de 1603, mas nos cerca de 20 posteriores foram adicionados outros edifícios. Este castelo é um dos melhores exemplares da arquitetura da época. Foi doado à cidade e aberto ao público algum tempo depois da queda do xogunato Tokugawa (em 1868), tendo sido designado Património da UNESCO em 1994.

  • Como chegar: Metro – Estação de Nijojo-mae; Kyoto City Bus nº 9, 50 ou 101.
  • Entrada: 600¥ (€4,70).
  • Horário: 8h45 – 17h. Encerra às terças de janeiro, julho, agosto e dezembro (ou no dia seguinte se terça for feriado), e de 26 de dezembro a 4 de janeiro.
  • Site oficial (em inglês): Nijo-jo.

 

Kiyomizudera

O templo Kiyomizudera (清水寺) foi construído em 780 e é um dos mais famosos do Japão. Originalmente estava associado à seita Hosso do budismo japonês, mas nos anos 60 do séc. XX formou a sua própria, Kita Hosso. Este templo foi reconhecido como Património Mundial da UNESCO em 1994. Situa-se numa área florestal do este da cidade, com cerejeiras e áceres que se podem admirar do salão principal do templo. Outra parte famosa deste templo é a Cascada Otowa, cuja água está separada em três fontes das quais os visitantes podem beber. Cada fonte tem um “desejo” associado – longevidade, sucesso nos estudos ou sucesso na vida amorosa. Beber das três fontes não é recomendado, pois é visto como um sinal de ganância!

Atenção: o salão principal está coberto devido a obras de renovação no telhado do templo (a decorrer até março de 2020), mas pode continuar a ser acedido por visitantes.

  • Como chegar: Kyoto City Bus nº 100 ou 206 (paragens Gojo-zaka ou Kiyomizu-michi).
  • Entrada: 400¥ (€3,15).
  • Horário: 6h – 18h (18h30 aos fins-de-semana e feriados de meados de abril até julho, todos os dias em agosto e setembro).
  • Site oficial (em inglês): Kiyomizu-dera.

 

Bairro de Higashiyama

Bem perto do Kiyomizudera, o histórico bairro de Higashiyama é um dos mais bem preservados de Quioto. Com ruas repletas de pequenas lojas, restaurantes e cafés, este bairro mantém o estilo tradicional da antiga capital imperial.

 

  • Como chegar: Kyoto City Bus nº 100 ou 206 (até Kiyomizu-dera); vários autocarros entre as paragens de Gojozaka e de Gion.

 

Santuário Yasaka

Um dos mais famosos de Quioto, o santuário xintoísta Yasaka (八坂神社 Yasaka Jinja) foi construído no séc. VII e é onde se realiza o Gion Matsuri, o festival mais celebrado do país. Fica perto dos bairros de Gion e Higashiyama, e por isso tem sempre uma grande afluência de pessoas.

  • Como chegar: Kyoto City Bus nº 100 ou 206 (paragem de Gion).
  • Entrada: gratuita.
  • Horário: sempre aberto.
  • Site oficial (em inglês): Yasaka Jinja.

 

Parque Maruyama

Mesmo adjacente ao Santuário Yasaka, o parque Maruyama (円山公園 Maruyama kōen) é o mais famoso para o hanami em Quioto. A figura principal deste parque é uma enorme cerejeira “chorona” (shidarezakura) que se enche de luzes à noite.

  • Como chegar: Kyoto City Bus nº 100 ou 206 (paragem de Gion).

 

Bairro de Gion

Marco incontornável da cidade, Gion (祇園) é o local onde podemos encontrar geiko (“gueixa” no dialeto local) e maiko (aprendizes de gueixa) a trabalhar nas casas de chá (ochaya) ou a andar pelas ruas. Estas estão repletas machiya (casas de mercadores) de fachadas de madeira, que atualmente funcionam como cafés, alojamentos ou até mesmo museus (algumas continuam a ser propriedade privada). Os restaurantes neste local são bastante dispendiosos, e uma visita a uma ochaya com o entretenimento de gueixas é a experiência mais cara desta cidade!

Atenção: ao longo do tempo tem vindo a crescer o número de queixas de geiko e maiko que são importunadas por turistas – nunca esquecer que elas não são uma mascote mas sim profissionais a caminho do seu trabalho!

  • Como chegar: City Bus nº 100 ou 206 (paragem de Gion).

 

Kinkaku-ji

O Kinkaku-ji (金閣寺), também conhecido como Pavilhão Dourado, é um dos símbolos mais icónicos de Quioto e do próprio Japão. Oficialmente designado como Rokuon-ji, trata-se de um templo Zen cujos dois últimos andares estão completamente revestidos a folha de ouro, que lhe conferem o seu aspeto imponente e hipnotizante. Construído pelo shōgun Ashikaga Yoshimitsu no séc. XIV, este local também tem outras estruturas budistas (como o Fudo Hall e jardins de paisagem seca), além de lojas de recordações.

  • Como chegar: Kyoto City Bus nº 101 ou 205.
  • Entrada: 400¥ (€3,15).
  • Horário: 9h – 17h.

 

Ginkaku-ji

Modelado a partir do Kinkaku-ji, o Ginkaku-ji (銀閣寺) é o chamado Pavilhão Prateado, embora nunca tenha recebido revestimento desta cor. Foi construído em 1482 pelo shōgun Ashikaga Yoshimasa para ser a sua moradia pós-reforma, sendo convertido para um templo Zen após a sua morte 8 anos depois. Para além do Pavilhão propriamente dito, existem outras construções budistas inseridas num belíssimo jardim, e ainda um jardim de paisagem seca bastante extenso e cuidadosamente mantido.

  • Como chegar: Kyoto City Bus nº 5, 17 ou 100.
  • Entrada: 500¥ (€3,90).
  • Horário: 8h30 – 17h (9h – 16h30 de dezembro a fevereiro).

 

Santuário Fushimi Inari

Um local único no mundo, o santuário Fushimi Inari (伏見稲荷大社 Fushimi Inari Taisha) é dedicado à divindade xintoísta do arroz, Inari. Consiste numa série de caminhos pelo Monte Inari, caminhos estes que estão “cobertos” por milhares de portões torii de uma forte cor vermelha. Existem aqui muitas estátuas de raposas, que são consideradas as mensageiras de Inari. Existem ainda vários edifícios do complexo do santuário propriamente dito. Os visitantes podem optar escalar toda a montanha (que demora cerca de 2h) ou apenas visitar os santuários e passear livremente. Também existem aqui restaurantes que servem pratos com tofu frito (aburaage), como o inarizushi, pois diz-se que este ingrediente é dos favoritos das raposas.

  • Como chegar: comboio JR – estação de Inari.
  • Entrada: gratuita.
  • Horário: sempre aberto.
  • Site oficial (em inglês): Fushimi Inari Taisha.

 

Palácio Imperial de Quioto

Residência da família imperial até 1868 (quando a capital mudou para Tóquio), o Palácio Imperial de Quioto (京都御所 Kyōto Gosho) situa-se no Parque Imperial de Quioto no centro da cidade, que incluí ainda o Palácio Imperial Sento (um palácio secundário) e o Santuário Itsukushima. Todo este complexo é perfeito para passeios e para o hanami, e é visitado tanto por turistas como por locais.

  • Como chegar: metro – estação de Imadegawa ou Marutamachi.
  • Entrada: gratuita.
  • Horário: 9h – 17h (abril a agosto; 16h30 setembro e março; 16h outubro a fevereiro). Encerra às segundas-feiras (ou dia seguinte, se segunda for feriado), e de 28 de dezembro a 4 de janeiro.
  • Site oficial (em inglês): Imperial Household Agency.

 

Nanzen-ji

Um dos mais importantes templos Zen do Japão, o complexo do Nanzen-ji (南禅寺) inclui ainda outros sub-templos e edifícios numa área bastante extensa. É o principal de uma das escolas da seita Rinzai e as suas origens recuam ao séc. XII, encontrando-se inserido na floresta de Higashiyama.

  • Como chegar: Kyoto City Bus nº 5 (paragem de Nanzenji-Eikando-michi); metro – estação de Keage.
  • Entrada: templo principal gratuito; outros edifícios e sub-templos com preços variados.
  • Horário: varia consoante o edifício.
  • Site oficial (em inglês): Nanzen-ji.

 

Ryoan-ji

Convertido para templo budista em 1450, é no Ryoan-ji (龍安寺 Ryōanji) que podemos encontrar o jardim de paisagem seca mais famoso do Japão. O significado deste jardim não é claro, mas uma característica curiosa é que, independentemente do ângulo, pelo menos uma das 15 rochas que este contém não é visível. O complexo do Ryoan-ji também tem vários edifícios e uma área de parque com um lago rodeado de cerejeiras.

  • Como chegar: Kyoto City Bus nº 50 ou 55 (paragem Ritsumeikan daigaku-mae).
  • Entrada: 500¥ (€3,90).
  • Horário: 8h – 17h (março a novembro); 8h30 – 16h30 (dezembro a fevereiro).
  • Site oficial (em inglês): Ryoanji.

 

Sanjusangendo

Datando do séc. XII, o Sanjusangendo (三十三間堂 Sanjūsangendō) é famoso pelas suas estátuas da deusa Kannon e também por conter a estrutura em madeira mais comprida do país. O seu nome deriva deste mesmo detalhe – sanjūsangendō traduz-se para “33 intervalos”, sendo este precisamente o número de intervalos entre as colunas do templo. No pavilhão principal deste templo podemos encontrar as impressionantes estátuas de Kannon – uma maior no centro (que é considerada um Tesouro Nacional do Japão), que tem em cada lado 500 mais pequenas (do tamanho de pessoas). Estas esculturas são feitas de madeira e cobertas a folha de ouro.

  • Como chegar: Kyoto City Bus nº 100, 206 ou 208 (paragem de Hakubutsukan-Sanjusangendo-mae).
  • Entrada: 600¥ (€4,70).
  • Horário: 8h – 17h (9h – 16h de 16 de novembro a 31 de março).
  • Site oficial (em japonês): Sanjusangendo.

 

Santuário Heian

O santuário Heian (平安神宮 Heian Jingū) foi construído em 1895 em comemoração do 1100º aniversário da fundação de Quioto como capital do país. É dedicado aos espíritos dos Imperadores Kammu e Komei, respetivamente o primeiro e último a reinar nesta cidade. O espaço deste santuário é bastante amplo, incluindo museus e uma réplica de parte do antigo Palácio Imperial do período Heian (794 – 1185). Como muitos outros locais de Quioto, aqui encontramos mais um onde existem cerejeiras, tornando os jardins deste santuário um dos mais bonitos locais para o hanami.

  • Como chegar: Kyoto City Bus nº 5 ou 100; metro – estação de Higashiyama.
  • Entrada: gratuita para o santuário, 600¥ (€4,70) para os jardins.
  • Horário: santuário. 6h – 17h30; jardins: 8h30 – 17h.
  • Site oficial (em japonês): Heian Jingu.

 

Caminho do Filósofo

Ligando o Ginkaku-ji ao Nanzen-ji, o Caminho do Filósofo (哲学の道 Tetsugaku no michi) é uma rua de pedra de cerca de 2km que segue um canal rodeado de restaurantes, lojas e pequenos templos. É mais outro local repleto de cerejeiras e popular para o hanami nesta cidade. Recebeu este nome devido ao facto de um dos filósofos mais famosos do Japão, Nishida Kintaro, percorrer este caminho na sua rotina de/para a Universidade de Quioto enquanto meditava.

  • Como chegar: O Caminho do Filósofo inicia-se no Ginkaku-ji e termina perto do Nanzen-ji e é usado por turistas que visitam ambos estes locais – ver indicações acima.

 

Mercado de Nishiki

Também conhecido como a “Cozinha de Quioto”, o mercado de Nishiki (錦市場 Nishiki Ichiba) consiste numa rua comercial com estabelecimentos dedicado apenas a comida. Aqui podemos encontrar várias iguarias locais ou sazonais, vendidas em estabelecimentos especializados no produto que produzem. Também aqui existem lojas de utensílios de cozinha e facas, e ainda alguns restaurantes (bastante pequenos e geralmente associados a uma das lojas).

  • Como chegar: metro – estação de Shijo.
  • Entrada: gratuita.
  • Horário: difere consoante a loja, geralmente das 9h – 18h.
  • Site oficial (em japonês): Kyoto Nishiki.

 

Pontocho

Bem perto do rio Kamo e do mercado de Nishiki, Pontocho (先斗町 Pontochō) é uma área de restauração com opções para qualquer carteira. Desde comida local a gastronomia internacional, os restaurantes de Pontocho estão abertos principalmente para o jantar. Os clientes podem desfrutar da sua refeição enquanto olham para o rio, e alguns destes estabelecimentos constroem mesmo plataformas flutuantes temporárias onde montam esplanadas para os seus clientes usarem (kawayuka).

  • Como chegar: Kyoto City Bus (vários) – paragem de Shijo Kawaramachi.
  • Site oficial (em japonês): Ponto-chou.

 

Museu Internacional de Manga de Quioto

O Museu Internacional de Manga de Quioto (京都国際マンガミュージアム Kyōto Kokusai Manga Museum) tem uma enorme quantidade de manga japonês e uma pequena secção de obras internacionais ou traduzidas. Os visitantes podem não apenas ler manga como também conhecer a sua história dentro e fora das fronteiras nipónicas, e observar ilustrações feitas por artistas reconhecidos. Além de realizar exposições temporárias e workshops, o Museu tem uma loja que vende recordações, merchandise e material de arte profissional, e ainda uma zona de restauração decorada com desenhos e autógrafos de diversos mangaka.

  • Como chegar: metro – estação de Karasuma-Oike.
  • Entrada: 800¥ (€6,25).
  • Horário: 10h – 18h. Encerra à quarta-feira (ou dia seguinte se quarta for feriado), no Ano Novo e ocasionalmente para manutenção (sem datas definidas).
  • Site oficial (em inglês): Kyoto International Manga Museum.

 

Museu Nacional de Quioto

O Museu Nacional de Quioto (京都国立博物館 Kyōto Kokuritsu Hakubutsukan) é, juntamente com o de Tóquio, Nara e Kyushu, um dos mais importantes museus do Japão. Abriu portas em 1897 e possui uma vasta coleção de cerâmica, escultura, pintura, caligrafia e trajes, entre outros objetos históricos e arqueológicos de grande relevância. É definitivamente um local a visitar para os amantes da história e cultura japonesas!

  • Como chegar: Kyoto City Bus nº 100, 206 ou 208 – paragem de Hakubutsukan-Sanjusangendo-mae.
  • Entrada: 520¥ (€4,05) para a exposição permanente.
  • Horário: 9h30 – 17h. Encerra à segunda-feira (ou no dia seguinte se segunda for feriado) e no Ano Novo.
  • Site oficial (em inglês): Kyoto National Museum.

 

-Festivais e Eventos-

Gion Matsuri

O mais famoso festival do país, o Gion matsuri ocorre em julho e está associado ao santuário Yasaka. Apesar do nome, este festival não passa por Gion, mas sim do lado oposto do rio Kamo. As suas origens remontam ao ano 869 e tem ocorrido regularmente quase sem interregnos. Dos muitos eventos que fazem parte deste matsuri, o principal e mais impressionante é a parada de carros alegóricos que chegam a ter 25 metros de altura e a pesar várias toneladas. Outro costume neste festival é selecionar um menino habitante local como um mensageiro divino – esta criança não poderá pisar o chão desde o dia 13 até ao dia 17, depois de participar no desfile.

  • Quando: todo o mês de julho, principais eventos nos dias 17 e 24.
  • Onde: lado do rio oposto ao bairro de Gion.
  • Mais informações (em inglês/japonês): Gion Matsuri.

 

Aoi Matsuri

Festival que remonta ao séc. VII, o Aoi matsuri (葵祭) consiste num desfile de centenas de pessoas trajando ao estilo do período Heian. O seu nome (aoi) tem origem nas flores de malva usadas para as decorações deste festival. Este desfile começa no Palácio Imperial de Quioto e passa pelos santuários Kamo (santuários Shimogamo e Kamigamo, organizadores deste festival). Uma das principais figuras do festival é a saio, uma mulher que faz as vezes de suma sacerdotisa destes santuários. Antigamente este papel recaía sobre uma das mulheres jovens da família imperial, mas atualmente é dado a uma jovem solteira de Quioto, que tem de passar por rituais de purificação e desfila num palanquim durante este evento.

  • Quando: 15 de maio, todos os anos.
  • Onde: o trajeto tem início no Palácio Imperial, subindo ao longo do rio Kamo; passa pelo santuário Shimogamo e termina no santuário Kamigamo.
  • Site oficial (em japonês): Aoi Matsuri.

 

Jidai Matsuri

Quioto - Guia do Gaijin para o Japão

O Jidai matsuri (時代祭) comemora o aniversário da fundação de Quioto e consiste num grande desfile com pessoas vestidas ao estilo de todas as eras da história japonesa (jidai significa “era”, “época). Teve início no ano de 1895, juntamente com a construção do santuário Heian, com o objetivo de celebrar a história e cultura da cidade. Apesar de relativamente recente, é um dos mais importantes festivais de Quioto, juntamente com o Gion matsuri e o Aoi matsuri.

  • Quando: 22 de outubro, todos os anos.
  • Onde: inicia no Palácio Imperial e termina no santuário Heian.
  • Site oficial (em japonês): Heian Jingu – Jidaisai.

 

Hanatoro

Quioto - Guia do Gaijin para o JapãoO Hanatoro (花灯路 Hanatōro) ocorre alternadamente nos bairros de Higashiyama e Arashiyama, e consiste numa iluminação de ruas e templos com milhares de lanternas, assim como exibição de flores e luzes (hanatōro significa “estrada de flores e luz”). Durante este evento, muitos templos e santuários têm horário prolongado, assim como espetáculos ao vivo.

  • Quando: Em março no bairro de Higashiyama, outubro em Arashiyama.
  • Site oficial (em inglês): Hanatouro.

 


Outros locais || Voltar ao Índice


 

0 comentário


Loading...

Também deverás gostar de

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.