Ran and the Gray World – Análise Manga

por Raquel Cupertino
Ran and the Gray World - Análise Manga - imagem colorida

Título: Ran to Haiiro no Sekai | Ran and the Gray World
Autor: Aki Irie
Nº de Volumes: 7
Demografia | Género: Seinen | Drama, Fantasia, Romance, Sobrenatural

 

Ran and the Gray World surgiu na minha vida por mais um mero acaso de pesquisa pela infindável lista de mangas a ler. O design cativou-me e tendo magia à mistura decidi dar uma oportunidade. Duas horas se passaram sem que desse por isso. Estava rendida, completamente apaixonada por aquele mundo tão colorido como o que o de uma criança deve ser.

Ran representa a ingenuidade, a pureza e a magia que tanto caracterizam crianças. Apesar de viver num mundo entre o sobrenatural e o real, as adversidades da vida são encaradas de uma forma simplificada, sempre com a supervisão dos adultos… Aqueles seres crescidos que ela deseja ser.

E pode ser!

Ran and the Gray World – Análise Manga

Ran and the Gray World - Análise Manga - Ran Adulta

 

No universo de Ran, o folclore japonês vive nas sombras do não mágico. Contudo, existe uma banalização um tanto engraçada, por parte dos humanos, face às extravagâncias mágicas da mãe de Ran. É um pouco estranho acharem normal bolos enormes a cair do céu, mas não nos magoa ver uma ou outra incoerência na normalidade com que os humanos da série encaram o sobrenatural. Em boa verdade ainda soltamos umas gargalhadas!

Filha da feiticeira mais poderosa daquele mundo e do líder dos Feiticeiros, possuir umas sapatilhas que a tornam uma “adulta” não é nada de mais. Detentora de um enorme poder, é incapaz de o controlar.

Ran and the Gray World conta a história do caminho não tão colorido assim de Ran pelo mundo dos “adultos”.

 

Ran and the Gray World – Um enredo peculiar

Ran and the Gray World - Análise Manga - Ran e sua mãe

 

Ran and the Gray World é uma história peculiar e enriquecedora que nos faz viajar pelo verdadeiro significado de se ser um adulto. A narrativa coloca-nos, desde início, nos pés (literalmente) da pequena Ran. Somos transportados pelo ponto de vista da não-tão-pequena Ran, onde é-nos apresentado um universo cheio de cor e brilho onde os maiores problemas passam por querer ficar acordado até mais tarde e não fazer o que o irmão quer.

 

Ran and the Gray World - Análise Manga - Ran e Jin

 

Todavia nem tudo é um mar de rosas. À medida que a história avança começamos a apercebermos-nos de alguns elementos negativos e que enquanto “adultos” sabemos que trarão problemas. A beleza deste enredo está no contraste entre os pontos de vista de Ran e de todos os adultos.

Há uma tentativa constante em despertar em nós o nosso lado mais “criança”, de também vermos o lado bom das coisas. Todavia não se enganem, tal como a vida real, também aqui as ações têm consequências. Não considero uma obra dramática ou que o objetivo seja esse. Vejo-o mais como um guia de criança a adulto. Algo que qualquer adolescente deveria ler.

A transição de criança-adulta é o objetivo principal deste manga. O ritmo narrativo desenvolve-se por etapas para chegar por fim ao que à “grande aprendizagem” de Ran. Contudo, o final acabou por ser um pouco drástico comparando com o crescendo lento de todo o enredo. Penso que teria mais resultado mais algum drama ao longo do percurso da pequena Ran.

 

Ran and the Gray World - Análise Manga - Ran

 

Em termos de linha narrativa, Ran and the Gray World possui um único arc. Há alguns capítulos spin-off de algumas personagens, mas a linha principal é a mesma do início ao fim, pelo que a sensação de que merecia algo mais perpetua-se após o término.

As personagens são excelentes, mesmo as secundárias e, apesar da autora ter tentado explicar grande parte delas em extra-manga, não é o suficiente.

 

Ran and the Gray World – Uma arte apaixonante

Ran and the Gray World - Análise Manga - Hibi e Ran

 

A arte equipara-se à temática: é mágica! Sem grandes adereços conseguimos distinguir magia de não-magia. Além de todos os elementos sobrenaturais, a autora cria uma espécie de “aura” em torno das personagens que provoca a ilusão de animação 2D. Além disso, os cenários são bastante detalhados, toda a obra é uma experiência visual e emocional.

 

Ran and the Gray World - Análise Manga - Design e arte

 

Ran and the Gray World – Juízo Final

Admito que fiquei completamente rendida por esta enternecedora obra. Felizmente, tenho descoberto grandes mangas como Elegant Yokai Apartment Life que abordam, com mais ou menos profundidade, o crescimento enquanto seres humanos. Ran and the Gray World usa o mesmo tema que Elegant Yokai Apartment Life mas em forma de analogia, transpondo a mensagem com um toque mais delicado e doce.

Os valores, o que está por detrás da criação de uma personalidade, Ran ensina-nos que crescer custa. Não há uma fórmula mágica para isso, e que podes muito bem ser crescido e não ser adulto. Uma analogia brilhante, com uma mensagem subentendida de se tirar o chapéu!

Acredito que seja uma obra para todas as idades e cuja interpretação irá depender da idade que possuímos quando a lemos. Não conheço a autora, mas posso-vos garantir que este manga é uma ótima aposta para adicionarem aos vossos reportórios!

 

Ran and the Gray World - Análise Manga - Manga vol 1

 

 

0 comentário

Também deverás gostar de

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.