Reciclagem – Guia do Gaijin para o Japão

por Inês Marques
Guia do Gaijin Para o Japão

Fazer reciclagem do lixo é lei no Japão. Contudo, os cuidados com a separação diferem muito de cidade para cidade. As categorias “básicas” de reciclagem são as seguintes: lixo combustível (moeru gomi), garrafas de plástico (petto botoru), garrafas de vidro (bin) e latas de metal (kan). Estas são as mais comuns na via pública, e encontram-se geralmente perto de lojas de conveniência e máquinas de venda automática.

 

Exemplo de caixotes para reciclagem que se podem encontrar na via pública (à porta de lojas de conveniência, por exemplo).

 

Curiosamente, fora destes locais, caixotes do lixo são incrivelmente difíceis de encontrar na rua! Parece algo paradoxal: sendo o Japão um país tão limpo, onde não se vê sujidade ou um único resíduo no chão, onde param afinal os caixotes? O facto é que as pessoas tendem a simplesmente não abandonar o lixo na rua (como vemos por estes lados demasiado frequentemente), e transportam-no consigo até encontrar um local adequado onde o depositar ou mesmo até casa.

Para quem tem casa própria ainda existem mais divisões, como lixo não-combustível (moenai gomi), plásticos (purasuchikku), papel (kami), ou até mesmo para componentes eletrónicos e eletrodomésticos de casa. Se vão para o Japão viver numa casa própria ou dormitório, é importante informarem-se de quais são os regulamentos do sítio onde estão a viver: quantas “separações” são obrigatórias, quais os sacos de lixo que se devem usar para cada tipo de lixo, também quais os dias de recolha de cada tipo, etc. É algo a que nos custa habituar, mas se não for feito convenientemente podemos ser apresentados com diversos avisos, ou até mesmo apanhar uma multa!

 


Artigo anterior || Voltar ao Índice || Próximo artigo


 

2 comentários


Também deverás gostar de

2 comentários

Leandro Santos 20 Dezembro, 2016 - 20:57

realmente, um país tão limpo e com caixotes do lixo raros.. não faz muito sentido, a sorte é que a população é civilizada, aqui estaríamos a viver no lixo

Responder
Inês Marques 21 Dezembro, 2016 - 8:28

É bem verdade, Leandro! As pessoas lá andam com o lixo mais pequeno (por exemplo, um papel de embrulhar comida ou uma garrafa de bebida) consigo até encontrarem um caixote onde o colocar, se isso não acontecer levam-no para casa! Também não é raro ver pessoas, nomeadamente velhotes reformados, a apanhar esse tipo de coisas que eventualmente tenham sido deixadas na rua e livrarem-se disso eles mesmos!

Responder

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.