Square-Enix e a publicação de Manga no Ocidente – Entrevista

por Maria J Oliveira
Square Enix Trabalha em Nova IP

Em Maio de 2019, o gigante editorial japonês Square Enix, responsável pelo lançamento de videojogos e livros, revistas e manga, anunciou o surgimento de um selo editorial dedicado a obras em língua inglesa que tem a Penguin Random House, uma das maiores editoras mundiais, como ajudante de produção e distribuição.

Square-Enix e a publicação de Manga no Ocidente – Entrevista

Apesar de a Square Enix ter licenciado anteriormente os seus manga e artbooks para outras editoras e de pretender continuar a fazê-lo, como mencionado na entrevista que se segue, esta foi a primeira vez que a empresa japonesa publicou obras através de uma subsidiária 100% norte-americana.

Na mesma altura, a Square Enix anunciou o lançamento de quatro novos títulos no outono de 2019: um volume da série Final Fantasy XV e três mangas, incluindo uma nova “edição definitiva” de Soul Eater, da autoria de Atsushi Ohkubo. No evento Anime Expo foram acrescentados seis títulos ao catálogo para o início de 2020.

A liderar esta nova divisão de manga e livros da Square Enix com sede em Nova Iorque está Masaaki Shimizu, Gerente Geral e Editor. Ele já trabalhara no ramo dos mangas japoneses e na divisão editorial da Square Enix em Tóquio. Num painel da Anime Expo, Shimizu partilhou memórias da sua primeira presença no evento quando este ainda se realizava em Anaheim (antes de se mudar para o Los Angeles Convention Center em 2008) e falou sobre o entusiasmo que lhe suscitam o manga e o anime como leitor e como fã.

 

Square-Enix e a publicação de Manga no Ocidente - Entrevista

 

Outras duas adições à equipa da Square Enix Manga and Books foram dois rostos familiares na indústria editorial na América do Norte:

  • Leyla Aker, antiga vice-presidente executiva de edição na Viz Media, é a diretora editorial que representa a Square Enix no grupo Penguin Random House;
  • Tanias Biswas, ex-editora sénior na Yen Press, surge como editora sénior da Penguin Random House com funções na Square Enix Manga and Books.

 

Aqui resgatamos duas entrevistas conseguidas pelo site Anime News Network, que contactou Shimizu em 2019 e obteve mais informações sobre a “Square Enix Manga e Livros” e o que esperar da companhia nos próximos tempos.

 

Entrevista a Shimizu

Antes de mais, parabéns pelo lançamento deste novo selo editorial com a Penguin Random House dedicado aos mangas em inglês da Square Enix.

Obrigado!

 

Como se vai chamar oficialmente este novo selo editorial?

Os nomes dos nossos novos selos serão “SQUARE ENIX Manga” e “SQUARE ENIX Books”. Esta divisão editorial é totalmente detida e gerida pela Square Enix. Esta é a primeira vez que a empresa publica manga diretamente em inglês, o que representa um testemunho do vigor da comunidade de fãs de manga nos EUA. A Penguin Random House proporciona-nos os meios; estamos felizes por podermos confiar na sua experiência e excelência em termos de publicação de livros, vendas e distribuição.

 

Estes livros estarão disponíveis em todo o mundo ou apenas em determinados países/territórios?

Estas novas edições em inglês da Square Enix estarão disponíveis a nível global.

 

As edições estarão disponíveis em formato digital, físico ou ambos?

Ambos. A nossa prioridade neste momento são as edições físicas, mas também estamos a planear edições digitais para dar ao público mais opções de acesso aos nossos conteúdos.

 

Sei que você (Masaaki Shimizu) se vai mudar de Tóquio para Nova Iorque para liderar esta estratégia. Quem mais fará parte da equipa que irá lançar esta nova divisão editorial da Square Enix?

Duas especialistas em manga, talentosas e experientes, concordaram que me iriam ajudar no que fosse possível para fazer avançar este projeto.

Primeiro, tivemos o prazer de dar as boas-vindas à equipa a Tania Biswas, editora sénior. Como fã de longa data de manga da Square Enix, é uma honra tê-la a bordo deste novo projeto editorial. Com a marca e a sua fama do nosso lado, a ajudar-nos a levar mais grandes títulos até aos leitores, as possibilidades que trará o futuro são mais que muitas!

O nosso outro novo membro da equipa, Leyla Aker, também veio contribuir com conhecimento, inspiração e dedicação, tendo-se juntado a nós em meados de Julho como diretora editorial.

 

Entrevista a Leyla Aker e informações sobre a “Square Enix Manga e Livros”

Leyla Aker trabalhava com a Viz Media desde 2007. Nos seus mais de 12 anos ao serviço da editora, Aker supervisionou muitas iniciativas editoriais importantes, incluindo:

  • a transição da versão em língua inglesa da revista Shōnen Jump de publicação mensal para revista semanal digital de publicação simultânea com a edição japonesa,
  • o lançamento do selo editorial SuBLime (destinado apenas a obras de boys love) e
  • a apresentação do projeto editorial VIZ Originals que tem como objetivo publicar banda desenhada original de criadores de fora do Japão.

 

Aker comentou o seu novo posto na Penguin Random House por e-mail:

Estou verdadeiramente empolgada por integrar a equipa por detrás do desenvolvimento do programa de edições em língua inglesa da Square Enix. Sinto um grande respeito profissional por esta companhia que se interessa profundamente pelos seus fãs e pela qualidade dos seus conteúdos. Sendo eu própria uma fã, mal posso esperar para levar mais títulos do catálogo a leitores de língua inglesa em todo o mundo.

 

Os manga e light novels não são, obviamente, uma novidade para os leitores: várias editoras norte-americanas têm publicado, ao longo dos anos, títulos com o cunho da Square Enix, incluindo a Viz Media (Fullmetal Alchemist, o livro de NieR:Automata), a Yen Press (Soul Eater, Black Butler), a Vertical (Arakawa Under the Bridge, Heroman), a Seven Seas (Magical Girl Spec-Ops Asuka) e a Dark Horse (artbooks de NieR:Automata e Final Fantasy).

Que fatores contribuíram para a decisão de investir nesta nova divisão especializada da Square Enix? O que vão conseguir fazer agora, com este novo selo editorial, que não conseguiam fazer quando cediam as licenças a outras editoras norte-americanas?

O desempenho dos nossos colaboradores nos E.U.A. tem sido louvável e esperamos que a nossa parceria com estes licenciadores permaneça intacta por muitos anos. Dito isto, é verdade que as licenças só nos possibilitaram a publicação em inglês de 14% do nosso catálogo japonês. Acreditamos que este novo programa irá criar condições favoráveis para o lançamento de títulos que ainda não estão à disposição dos nossos leitores ocidentais.

Também estamos conscientes dos limites da publicação de obras licenciadas, uma vez que exigem riscos financeiros por parte dos licenciadores. Ao aceitarmos parte desse risco, temos a capacidade de decidir por nós próprios se publicamos títulos em inglês para os nossos leitores e autores. Na Square Enix estamos entusiasmados com a oportunidade de contribuir de modo mais direto para a satisfação dos nossos autores/criadores e leitores.

Publicar sem intermediários significa igualmente que podemos ter o mercado norte-americano em consideração desde a origem e o desenvolvimento de cada série de manga ou livro. Até nos poderá ser possível planear e desenvolver produtos originais que apelem diretamente aos leitores na América do Norte e noutros países de fala inglesa do mundo.

 

Qual pode ser a melhor oportunidade para o vosso selo editorial?

Temos agora o privilégio de contar com uma ligação direta entre os nossos leitores ocidentais e os nossos produtos. Tudo isto vai permitir-nos aprender mais a nível de mercado e do nosso novo público-alvo, o que por si só será uma fonte valiosa para aproveitar oportunidades futuras.

 

Qual lhe parece ser o maior desafio à vossa frente ao lançar este selo editorial?

O nosso maior desafio será o de escolher os projetos em que queremos apostar. Há tantas possibilidades, mas devemos focar-nos naqueles projetos que realmente vão apelar aos nossos leitores.

 

O grupo Square Enix vai continuar a licenciar manga para outras editoras norte-americanas ou o vosso objetivo principal é o de publicar os melhores títulos de manga, livros e artbooks sob o vosso próprio selo editorial?

Sim, continuaremos a licenciar manga para outras editoras. O nosso desejo é o de aumentar o número total de títulos da Square Enix publicados em inglês através tanto do licenciamento pelos nossos colaboradores como dos nossos novos selos.

 

Se pudesse descrever a Square Enix em 3 palavras, quais escolheria?

Diversa

Inesquecível

Felicidade

 

A primeira palavra, “diversa”, engloba três significados:

  1. a nossa alma que respeita e cultiva a diversidade na sociedade;
  2. a nossa determinação em proporcionar títulos diferenciadores que criem uma variedade maior e mais complexa de manga traduzida em inglês;
  3. a nossa esperança de conseguir chegar a um público além dos fãs de manga já existentes e convencê-lo a manusear e ler manga e livros, ao apresentar títulos através dos nossos selos e propriedades intelectuais.

Há dois significados na segunda palavra, “inesquecível”:

  1. a nossa missão, dar aos nossos fãs experiências inesquecíveis, e
  2. o sabermos que este projeto vai assinalar um inesquecível passo em frente para o nosso futuro árduo, mas brilhante. (Devem lembrar-se do “Não te esqueças do 3.OUTUBRO.11” de Fullmetal Alchemist. Para mim, o equivalente seria “Não te esqueças do 17.MAIO.19”, a data em que anunciámos pela primeira vez o lançamento dos novos selos).

A última palavra, “felicidade”, reflete o desejo de espalhar felicidade ao fazermos aquilo em que nos especializamos. A vossa felicidade é a nossa felicidade.

Para ser sincera, estas três palavras vieram ou do Código de Conduta da companhia ou da filosofia empresarial da Square Enix (“Espalhar felicidade por todo o mundo através de experiências inesquecíveis”), pelo que representam perfeitamente o que somos.

 

Já anunciaram quatro títulos do vosso catálogo, aos quais acrescentaram mais seis manga durante a Anime Expo 2019. Quantos livros tencionam publicar em 2019 e em 2020?

Oito livros em 2019, cinquenta livros em 2020. Os números podem variar de acordo com a nossa agenda.

 

Primeiro Catálogo Square Enix Divisão Ocidental

Acho curiosa a variedade de conteúdos que vejo na vossa oferta: manga, light novels e também artbooks. Os vossos quatro primeiros títulos são uma boa amostra do que aí vem.

  • 1 livro de ficção literária: Final Fantasy XV: The Dawn of the Future
  • 3 manga (High Score Girl e A Man and His Cat), além de Soul Eater, uma série publicada anteriormente pela Yen Press, de regresso com uma edição definitiva.
  • Mais 6 séries manga anunciadas na Anime Expo, nas que se incluem um título de Boys Love (uma primeira vez para a Square Enix!), Cherry Magic! Thirty Years of Virginity Can Make You a Wizard?, de Yū Toyota, vários manga de fantasia e aventura com títulos bastante longos (Suppose a Kid From the Last Dungeon Boonies Moved to a Starter Town, Marked for Failure, the World’s Strongest Sage Reincarnates for a Do-Over, The Misfit of The Demon King Academy: History’s Strongest Demon King Reincarnates and Goes to School With His Descendants), uma versão manga das light novels de Wandering Witch que estão a ser publicadas pela Yen On, e ainda festins românticos como My Dress-Up Darling, de Shiniichi Fukuda, com o cosplay como pano de fundo.

Como se costuma dizer, a primeira impressão é muito importante, pelo que tenho a certeza de que estes primeiros quatro lançamentos foram bem pensados. Por que escolheram estes quatro em particular?

No nosso primeiro anúncio quisemos incluir títulos icónicos relativos a jogos e manga, pelo que escolhemos uma ficção literária de Final Fantasy e um dos nossos mangas de maior êxito, Soul Eater. Desejámos acrescentar algumas “novidades” editoriais, daí acrescentar à lista Hi-Score Girl e A Man and His Cat, para que representassem a profundidade e a diversidade do nosso catálogo.

 

Conte-me mais sobre esta edição completa de Soul Eater. O que a torna diferente de outras edições já lançadas?

A Soul Eater Perfect Edition terá dezassete volumes, em comparação com os vinte e cinco volumes da versão convencional; cada volume terá mais páginas e as folhas serão maiores. Todos os dezassete volumes terão capas originais ilustradas pelo autor, Atsushi Ohkubo. Além disso, todas as páginas coloridas da edição original na revista Monthly Shōnen Gangan serão incluídas.

 

Os outros três títulos do vosso line-up inicial são relativamente recentes. Vão publicar títulos mais antigos do catálogo da Square Enix que ainda não estavam disponíveis em inglês?

Adoraríamos ter essas oportunidades em consideração, dependendo do tipo de resposta que obtivermos do público.

 

Uma coisa que distingue a Square Enix de outras empresas é que não só dispõe de conhecimentos e uma sólida reputação como produtora de videojogos, mas também como editora. Estão a pensar lançar artbooks e livros de estratégia de jogo?

Sim, iremos lançar artbooks e livros relativos a jogos. Um dos nossos pilares é o nosso catálogo de séries de videojogos; sabemos que há imensos fãs que apoiam com fervor estas criações e propriedades intelectuais. Acreditamos que é o nosso dever, assim como uma grande alegria nossa, espalhar felicidade para que as pessoas possam desfrutar dos nossos conteúdos de diferentes maneiras.

 

Alguma outra mensagem ou sugestão que gostaria de partilhar com os nossos leitores?

Os nossos novos selos editoriais (Square Enix Manga e Square Enix Books) irão oferecer uma combinação empolgante de obras inesquecíveis para todos, por isso estejam atentos aos nossos próximos anúncios. Para mais informações, por favor sigam a nossa conta no Twitter, @SquareEnix, ou visitem-nos em squareenixmangaandbooks.square-enix-games.com

 

Fonte: Anime News Network

Tradução: Maria J Oliveira

0 comentário


Também deverás gostar de

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.