Sukitte Ii na yo | Análise

por Catarina Oliveira
Mangaká de Sukitte Ii na yo lança Novo Manga em Junho

Título: Sukitte Ii na yo. / Say “I Love You”.
Adaptação: Manga
Produtora: Zexcs
Géneros: Romance, Shoujo, Vida Escolar

Sukitte Li Na Yo - GIF 1

 

Sukitte Ii na yo | Enredo

Tachibana Mei é uma estudante solitária que, por acreditar que as pessoas traem facilmente as amizades, tem grande dificuldade em estabelecer relações interpessoais. Um incidente na infância fez com que perdesse a confiança nos outros e tornou-a desconfiada, tímida e antissocial.
Ao ser assediada na escola, Mei disfere um roundhouse kick, por engano, em Yamato Kurosawa, um rapaz popular e adorado por todos, que logo se interessa por ela. A partir desse momento, Yamato fará tudo para se aproximar de Mei, chegando mesmo a salvá-la de um stalker com um beijo.

 

Sukitte Li Na Yo - Imagem 4

 

Suki-tte li Na Yo é um shoujo com enredo e personagens cliché. Temos o casal principal, Tachibana Mei e Yamato Kurosawa, em torno dos quais gira todo o enredo, e um grupo de amigos mais chegados com algumas particularidades, de onde se destaca Aiko Mutō, Kai Takimura, Megumi Kitagawa e Nagi Kurosawa. Embora haja mais personagens a acompanhá-los, estas são as que mais influenciam o desenvolvimento da história.

 

Sukitte Ii Na Yo - Imagem 2

 

Mei é tímida, com problemas de confiança, não sendo propriamente bonita. É uma rapariga “normal” e discreta. Yamato, por outro lado, é bonito, popular, alegre e o centro das atenções onde quer que vá. Como seria de esperar, encantou-se de forma automática quando foi pontapeado pela aluna pacata e desconhecida e procurou aproximar-se de todas as formas possíveis, chegando a conseguir o número dela logo no início do enredo.
Até aqui, tudo mais ou menos normal e previsível, não fosse a rapidez da sucessão de acontecimentos. Contrariamente ao que seria de esperar, neste shoujo não temos vinte e tal episódios em torno de um potencial casal que se junta apenas no final e que nos faz sofrer por antecipação a cada minuto, mas sim o desenvolvimento da relação de um casal. Basicamente, eles apaixonam-se, começam a namorar e assistimos apenas à evolução de ambos, juntos.

 

Sukitte Ii na yo - Imagem 3

 

A maior desilusão prende-se com o facto de não haver profundidade em nada. É tudo demasiado rápido. Com 13 episódios e um OVA não é possível fazer milagres, é certo, mas, para se fazer pela metade, mais vale estar-se quieto.
O amor entre Mei e Yamato não “enche o coração” e nem quando há pessoas a intrometer-se (não há sempre?) se sente frustração. É tudo um grande “meh“. Dei por mim a pensar, a cada episódio, que ia haver um twist qualquer e que ainda havia mais qualquer coisa… Só que não.
Até a relação deles, que contei que evoluísse substancialmente, atendendo à velocidade com que surgiu, não se fortaleceu muito. Mei não tem segurança nela própria e já se contava, à partida, que tivesse dificuldades em estabelecer um relacionamento amoroso, já que não tinha amigos e nunca tinha sequer considerado ter um namorado, mas esperava-se que Yamato trouxesse algum equilíbrio o que, na verdade, não se verifica.

 

Sukitte Li Na Yo - Imagem 5

 

Dá-me a impressão que tencionavam criar uma história mais verídica (uma relação real é cheia de problemas e inseguranças no meio das coisas boas), mas perderam-se algures no caminho. Há várias referências à vida sexual das personagens (sim, algumas são sexualmente ativas e o assunto é abordado naturalmente), o que não é muito usual, mas até isso é pouco natural no que toca às personagens principais.

 

Sukitte Ii na yo | Ambiente

Não tendo um enredo excelente, o ambiente ou mesmo a música poderiam compensar, mas nem isso. Temos as cores normais dos romances shoujo – rosas e pastéis em geral -, sem mais nada a acrescentar, nem nos momentos cruciais para o enredo. Talvez seja demasiado exigente – e admito que sim -, mas não achei nada de especial. Há apenas alguns momentos cómicos em que aparecem algumas cores mais vivas.  Não há muita variedade na animação, mas esta é consistente e fluida, o que é um ponto positivo. O design das personagens é simples, mas não é marcante. A música é fofa, mas só mesmo isso.

 

Sukitte Ii na yo - Imagem 6

 

Sukitte Ii na yo | Juízo final

Como devem ter percebido, este não é, de todo, um anime que eu aconselharia. Não podendo dizer que é manifestamente mau, não traz nada de novo e, dentro do cliché, também não faz palpitar o coração.
Apesar de todos os pontos que referi, acredito que o anime agrade a muitos, pela dinâmica entre as personagens, a alegria de Yamato e até a curiosidade em ver como evolui a personagem de Mei. Li várias críticas positivas (que me surpreenderam, confesso) e reparei que o anime se encontra quase sempre nos 10 primeiros lugares no que toca a avaliações de shoujo românticos que se encontram pela internet. Deixo a vosso critério, mas o meu conselho é que não tenham expetativas demasiado elevadas.

 

 

 

0 comentário


Também deverás gostar de

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.