Vendas de Blu-ray e DVD descem no Japão

por João Simões
Vendas de Blu-ray e DVD descem no Japão

A Japan Video Software Association (JVA) lançou um relatório relativo ao primeiro semestre de 2017 (janeiro – junho) que inclui uma observação sobre as vendas de Blu-ray e DVD de anime.

 

Vendas de Blu-ray e DVD descem no Japão

 

As vendas relacionadas com o mercado de Blu-ray, DVD e semelhantes, conseguiram totalizar à volta de 690 milhões de euros, o que é um decréscimo de 10.6% quando comparado com o mesmo período de 2016. O mercado de Blu-ray desceu 6.6% em relação ao ano passado, e o mercado de DVD desceu 13.6%. A venda de DVDs perfaz 55.4% do mercado, e a venda de Blu-ray 44.7%.

Nota: Estes números representam a percentagem comercial para uso individual, e, portanto, não representam as vendas por aluguer, as vendas comerciais, ou de saldos especiais.

 

Agora o que nos interessa. As vendas de anime representam um total de 26.4% das vendas, e desceram 16.6% em relação ao ano passado. 37.1% das vendas de Blu-ray foram vendas de anime, e 13.2% foram de DVDs.

O site Animation Business Journal afirma que existem expectativas de subida de vendas na segunda metade do ano, visto que Kimi no na Wa foi lançado a 26 de julho e In This Corner of the World foi lançado a 15 de novembro.

Como se pode ver pelo gráfico abaixo, as vendas deste mercado têm vindo a descer desde 2015. Olhando para os últimos 12 anos, as vendas tiveram o seu melhor ano em 2014.

 

 

O relatório anual da Japan Video Software Association (JVA), correspondente a 2016, também revelou uma descida, quando comparado com o ano transacto. Este parece ser um mal geral, não só no Japão mas também no resto do mundo.

Conseguirá o mercado digital derrotar o físico?

 

Fonte: Anime News Network

 

2 comentários

Também deverás gostar de

2 comentários

Leandro Santos 6 Outubro, 2017 - 23:42

tal como já se debateu no site, o preço elevado deve contribuir e muito para estes dados, ajustem o preço e tenho quase a certeza que as vendas sobem
claro que o digital também contribui para estes números, mas falta referir que o digital também deve permitir um bom encaixe financeiro, pode é não ser suficiente para a indústria

Responder
João Simões 7 Outubro, 2017 - 1:00

O digital atualmente dá uma boa fatia, mas não é algo que os sustente. Claro que o preço é um fator, mas infelizmente as mentalidades também não estão para aí viradas

Responder

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.