Yesterday wo Utatte – Primeiras impressões

por Raquel Cupertino
Yesterday wo Utatte - Primeiras impressões

Yesterday wo Utatte, também conhecido como Sing “Yesterday” for Me, foi amor à primeira vista. Algo naquele poster me cativou, aquela descrição intrigou-me, algo me dizia de que não se tratava apenas de um triângulo amoroso comum. Vi o primeiro episódio e não me desiludi. A questão é: o que terá esta série para dar?

 

Yesterday wo Utatte - Primeiras impressões - Haru

 

Yesterday wo Utatte – Primeiras impressões

A história segue o dia a dia de Rikuo Uozumi, um recém licenciado sem objetivos de vida nem paixões que o agarrem. Trabalha em part-time num supermercado e, na pausa de madrugada, alimenta os corvos que por ali passam e educadamente lhe pedem comida. A vida seguia pacata até que um dia um “corvo” muito especial aparece para o banquete de bentos fora de prazo: Haru Nonaka.
Como um acontecimento nunca vem só, logo a seguir à entrada na sua vida desta irreverente jovem, um outro atinge-o com a força de um furacão: o regresso da sua melhor amiga (e interesse amoroso) dos tempos de faculdade: Shinako Morinome.

 

Yesterday wo Utatte - Primeiras impressões Haru e Rakuo

 

Yesterday wo Utatte – Primeiras impressões  | O episódio parece uma curta-metragem

O episódio tem um princípio, um meio e um fim. Se me tivessem dito que isto era uma curta e que terminava por ali, eu ficaria contente. O episódio realmente funciona muito bem isolado!
O protagonista é-nos apresentado através de um conjunto de monólogos/reflexões e uma conversa profunda com um ex-colega de faculdade. Logo ali, escassos minutos após o episódio ter início, compreendemos duas coisas:

  • Trata-se de um seinen com uma forte conotação Slice of Life;
  • O protagonista deverá emergir numa jornada de auto-descoberta;

Pessoalmente, e dada a proximidade da minha idade com a do protagonista, acabei por me identificar muito com as indecisões e receios. Quando acabas a faculdade é suposto procurares um emprego para a vida, uma profissão para a vida, é suposto definires a tua vida. Mas e se não tiveres definido? Se nada te atrair o suficiente para dizeres: é isto que quero fazer?

 

Sing "Yesterday" for Me - Opinião

 

Por outro lado temos o toque mais pessoal do protagonista, o medo da relação, o não se querer ligar/comprometer com nada nem ninguém. Isto enquandrado no contexto socio-cultural japonês funcionou muito bem, subtil mas que compreendemos o quão as expectativas são elevadas na busca de emprego e sucesso empresarial.

Em suma, estamos a falar de um jovem independente mas que se encara como um fracasso na vida, e aceita isso como parte de quem ele é. Como uma característica imutável, que já aceitou como verdadeira e para a vida.

 

Ambiente muito interessante, agora quero música!

Estas problemáticas não são novas, mas contadas sob uma boa direção de imagem e som fazem maravilhas! A animação além de peculiar achei-a QB para o tipo de feeling que a obra transmitia. Os traços são suaves, as cores para o pastel e há um cuidado exímio em ter o plano de imagem certo, o movimento de imagem para melhor potenciar a cena. Se toda a série correr como este episódio nesse departamento, pelo menos espera-nos uma série muito agradável à vista.

 

Yesterday wo Utatte - Primeiras impressões primeiros episódios

 

Outra particularidade é que o passado é representado como se de um filme antigo se trata-se, com diferentes “ecrãs” e tons. Foi realmente muito interessante. Resta saber se, em série, não enjoa estarmos frequentemente a ser interrompidos em flashbacks tão suaves e reflexivos.

 

Sing yesterday for me - Ambiente

 

A banda sonora não me foi memorável, o que foi pena. Confesso que por momentos achei que esta série teria uma conotação musical mais proiminente (mesmo na narrativa), mas ainda há esperança!

 

Mas o que podemos esperar dos episódios seguintes?

Como já deu para perceber, este episódio funcionou tão bem sozinho que não senti necessidade de mais. E eis a minha dúvida: que caminho irá a série seguir? Eu não conheço o manga e estou-me a segurar para não o ler. Quero ser surpreendida, quero saborear o trabalho da direção de animação que tanto se esforçou para criar um belíssimo primeiro episódio de uma obra que está longe de ser das mais aguardadas da temporada.

Claro que a continuar será um anime reflexivo, possivelmente dramático e com um toque de romantismo, resta é saber a abordagem que este terá.

Pessoalmente adorava que seguisse a veia profissional-artística como Honey and Clover – mesmo em termos de romance e triângulo amoroso senti que poderia ser por aí. A inserção de fotografia e música no mesmo anime são a minha esperança de uma abordagem interessante sobre perseguir um sonho fora dos padrões da sociedade e ainda para mais tendo em conta alguém com formação superior.

Será um ver para crer! Se ainda assim quiserem dar uma oportunidade a este primeiro episódio saibam que são 24 minutos que sabem muitoooooo bem assistir!

 

Yesterday wo Utatte - Haru smile

 

 

4 comentários


Também deverás gostar de

4 comentários

LEANDRO SANTOS 4 Maio, 2020 - 13:57

se já tinha interesse no anime antes de estrear, agora que vi o primeiro episódio fico com a certeza que o vou acompanhar.

gostei dos protagonistas. o jovem que se sente escluído da sociedade, mas que se sente relativamente bem com isso e que não faz grande esforço para se integrar ainda mais , é algo que me interessa ver, isso e a sua descoberta sobre o que faz neste mundo e qual será o seu futuro, tanto no campo da amizade como no amor.
a Haru é uma pedrada da pacata vida do protagonista, pouco se sabe, mas isso fica para a descoberta, por agora ela é divertida e faz um belo contraste com o protagonista.

a unica coisa que não quero ver aqui é um triangulo amoroso.

a animação é muito boa, o traço assenta mesmo bem, e tal como tu tambem adore os flashbacks feitos naquele estilo.
a musica essa não teve destaque e é uma pena, espero que melhore

Responder
Raquel Cupertino 5 Maio, 2020 - 23:21

Muito obrigada pelo comentário! Deixa-me tão feliz ver mais um comentário teu, Leandro!
Partilho muito da tua opinião, gostei muito da forma como pegaram no protagonista e o encaixaram com a Haru, tem muito potencial se conseguirem seguir a linha mais psicológica e da vida destas persoangens. Tal como tu fiquei com medo de usarem como triângulo amoroso… honestamente parece-me que vão meter romance, é esperar pelo melhor!
Independente dos nossos receios merece a nossa visualização, sem dúvida!!
Até à próxima!

Responder
LEANDRO SANTOS 6 Maio, 2020 - 0:27

obrigado pelas palavras Raquel.. tento comentar quando posso, e principalmente quando vejo algo do qual voçês escrevem
entretanto vi apenas o segundo episódio, mas continuo a adorar e a confiar na direcção que vão tomar, espero não me desiludir.

quando acabar fico à espera que faças a review da temporada.. mas sem pressão 🙂

Responder
Raquel Cupertino 9 Maio, 2020 - 17:05

Obrigada mais uma vez!
Farei por isso =D quando terminar quero tentar ver muitos episódios de uma só vez e analisar. Penso que esta obra exige isso 😉
Até à próxima!

Responder

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.