Aoharu x Kikanjuu | Primeiras Impressões

Título: Aoharu x Kikanjuu
Adaptação: Manga
Estúdio: Brains Base (Amnesia, Baccano, Blood Lad, Durarara!!)
Géneros: Ação, Comédia e Shounen
Ficha Técnica: Disponível

 

Opening

“The Bravest Destiny” – Toy☆GunGun

 

Aoharu x Kikanjuu | Enredo

Quando Hotaru se muda sozinha para um novo apartamento, está um homem misterioso perto deste. Hotaru decide confrontar o homem que, ao que parece, vive no apartamento vizinho. No dia seguinte na escola, Kanae, a melhor amiga de Hotaru, diz-lhe que um anfitrião a enganou de forma a que ela lhe desse o seu dinheiro. Quando Horato o vai confrontar, descobre que o homem é nada mais nada menos que o seu vizinho, Masamune?!

 

 

A premissa inicial aparenta ser simples, sem sabermos muito bem o que esperar desta produção, assistimos o decorrer lento de acontecimentos em torno “da” Hotaru. A personagem é apresentada de forma bastante curiosa, tendo em conta que se trata de um shounen: Hotaru é na realidade uma rapariga mas com força e aparência de rapaz. O seu senso de justiça e vontade de combater o “mal” aproximam-na de uma protagonista mahou-shoujo em modelo masculino, criando algumas cenas de comédia fácil mas sem quebra da linha narrativa leviana.

Os clichés narrativos verificaram-se sobretudo nas personagens. Com um estereotipo bem demarcado no que diz respeito à sua apresentação e ligação, pouco ou nada ficamos surpreendidos quando, com o desenrolar da ação, estas se cruzaram de forma íntima, em espaços diferentes. Não sendo este o ponto forte de Aoharu x Kikanjuu.

Até meio episódio, Aoharu x Kikanjuu não passava de um mesclado entre shounen escolar tipo com romance shoujo. As personagens variavam entre o tsundere shounen e o personagem masculino sensual e adorável, recorrente em shoujos, com os respetivos cenários e co-adjuvantes escolares bastantes comuns. Então em que difere o anime?

 

 

[SPOILER]

A temática de Aoharu x Kikanjuu é o ponto forte de toda a obra! Sem sombra de dúvida, algo original e surpreendente sobre o qual nunca ponderei que se tratasse: Airsoft!

O desenvolvimento deste tema ainda é uma incógnita, ficando-nos nesta primeira impressão com um cheirinho do que poderá ser feito, ou não, relativamente a esta temática. Tratando-se de um romance shounen sem um estilo muito bem delineado, pouco podemos concluir face ao desenvolvimento da verdadeira premissa, contudo, vale o que vale pela grande originalidade ao inserir esta modalidade desportiva.

 

 

Aoharu x Kikanjuu | Ambiente

Conhecedores dos estúdios envolvidos era de se esperar uma animação sólida e minimamente consistente, pelo menos dentro da média, que foi o que se verificou. Infelizmente neste quesito Aoharu x Kikanjuu não brilhou e muito menos surpreendeu, ficando-se pela média e, tendo em conta os estúdios, ligeiramente a baixo da média comparativamente a outra obras produzidas pela Brains Base.

Apesar da solidez, apresentou algumas falhas e pontos altos que afetaram a consistência da obra, tendo sido esperado algo melhor para esta produção, sobretudo para um primeiro episódio. Ainda assim, não deixa de ser uma obra agradável visualmente, luminosa, bastante brilhante, e com uma coloração agradável.

 

 

O opening e ending brilharam com grandes interpretações, tendo sido o ponto forte a nível sonoro, deste primeiro episódio. Já a banda sonora em si, demonstrou-se dentro da média com melodias divertidas e originais mas que pouco se demarcam ao longo do episódio, apesar de que, quando ouvidas com atenção, enriquecem a animação que têm por base.

 

 

Aoharu x Kikanjuu | Potencial

Aoharu x Kikanjuu é resumidamente uma salada de clichés escolares shounen e shoujo juntos, sem podermos afirmar com certeza qual dos estilos é predominante. As personagens são demasiado genéricas para cativarem a atenção dos espetadores mais exigentes, caso não tivesse elementos narrativos aliciantes, vulgo premissa original, seria mais uma obra para ser sugada pelas massas e arrumada num canto, destinado a “mais um anime bonitinho”.

No entanto, é inegável a curiosidade que a obra nos remete. Airsoft é algo inexplorado na animação japonesa e tratando-se de uma modalidade pouco conhecida, alicia todo e qualquer espetador a descobrir quais o contornos desta adaptação e como pegaram nesta modalidade. Em suma, se tiverem o tempo muito ocupado e uma enormidade de lista de obras para ver/seguir nesta temporada, não vos sugiro de todo Aoharu x Kikanjuu, sobre o risco bastante elevado de ser mais um clichézinho romântico com animação bonitinha, contudo sugiro sim que esperem o anime terminar e, mediante os comentários e análise final, determinarem se vale ou não o vosso tempo.

 

 

Artigos Relacionados

O Ataque das RomCom parte 01 – Cantinho do Beto

Boku no Hero Academia Temporada 5 Episódio 10 e 11 – Opinião

RE-MAIN – Anime original revela novo Vídeo Promo