Convenção Bane Props em forma de arma – Cosplay

por Raquel Cupertino
Convenção Bane Props em forma de arma - Cosplay

A convenção do Arizona, Phoenix Comicon, anunciou a proibição de todas as armas prop durante o período da convenção “como resultado de recentes eventos”. O anúncio contém uma lista detalhada dos tipos de armas, produzidas como parte do cosplay, proibidas e os adereços ainda permitidos. O evento também implementou ainda segurança extra e técnicas de triagem aprimoradas, como scanner magnético e revista de mochilas.

A convenção oferece ainda reembolsos aos participantes da convenção caso tenham sido afetados pelas “mudanças de última hora”.

 

Convenção Bane Props em forma de arma – Cosplay

Convenção Bane Props em forma de arma - Cosplay

 

A proibição surgiu depois do Departamento de Polícia de Phoenix ter prendido um homem que alegadamente trouxe para a convenção armas de fogo. De acordo com a polícia, Matthew Sterling, de 31 anos, auto-intitulou-se de “The Punisher” e ameaçou matar agentes da polícia e o ator Jason David Frank de Mighty Morphin Power Rangers. Frank divulgou uma declaração sobre o incidente, afirmando que este não “conhece a pessoa que foi presa”.

 

 

A polícia afirmou que, quando Sterling foi preso, carregava consigo três armas de mão carregadas, uma espingarda carregada, uma faca de combate, um spray de pimenta e Shuriken.

 

Fonte: Anime News Network

 

Considerações pessoais:

Esta convenção realizou-se de 25 a 28 de maio. Poderão considerar esta notícia tardia, no entanto, e dados os recentes eventos espalhados pelo mundo ocidental, achamos por bem traduzir esta notícia e publicá-la. O objetivo? Uma sensibilização face aos perigos de uma segurança deficitária e quiçá pouco – muito pouco – preparada para convenções onde cosplay é cabeça de cartaz.

Como conseguirão as autoridades controlar e distinguir cosplayers de pessoas com intuitos perigosos? Se fosse cá em Portugal estaríamos preparados?

Deixa-nos a pensar, não acham?

Depois de ler esta notícia fiquei de facto reticente sobre o que deveria escrever sobre ela. Não quero com isto suscitar o medo nos participantes das convenções, ou criar qualquer tipo de onda anti-armas prop. Muito pelo contrário, sendo fã das mesmas gostaria que existisse regulação a proteger quem tem o trabalho – trabalhão! – para as produzir. Dar a segurança a todos os cosplayers de poderem trabalhar nas suas criações sem receio de serem barrados sem nenhum critério estudado.

Gostava de ver as convenções de cultura pop a transformarem-se em algo mais que “um festival temático” como retratadas em alguns jornais – para não dizer pior, mas prefiro não entrar por esses campos. Sonho pelo dia em que tudo seja tratado com o respeito que merece. Quem sabe um dia possamos ir a convenções sem pensarmos por milésimas de segundo: entraria aqui qualquer um armado e ninguém dava conta…

 

2 comentários


Loading...

Também deverás gostar de

2 comentários

Leandro Santos 12 Novembro, 2017 - 23:10

de facto, hoje em dia é quase impossível controlar este tipo de violência,. banir é uma boa forma de prevenção mas nada é 100% eficaz, nem lá nem cá.
quanto ao medo, é bonito dizer que o medo não nos deterá, mas acho que é quase impossível pensar em terrorismo quando vamos para países ou cidades que tenham sido afectadas recentemente, cá em PT acho mais difícil acontecer algo, mas não impossível claro

Responder
Raquel Cupertino 12 Novembro, 2017 - 23:31

Verdade. Acho que banir não é a solução. Acredito que um controlo para o material metálico já seria um grande avanço!!
Mas vamos ver o que o futuro nos reserva =)

Obrigada pelo comentário!

Responder

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.