Dimension W | Primeiras Impressões

por Raquel Cupertino
Dimension W

Título: Dimension W
Adaptação: Manga
Produtora: 3Hz x Orange (Sora no Method, Black Bullet, Active Raid, Norn9)
Géneros: Ação, Drama, Seinen, Ficção Científica
Ficha Técnica: Disponível

 

Dimension W | Opening

“Genesis” – STEREO DIVE FOUNDATION

 

Dimension W | Enredo

No ano de 2071, o mundo enfrenta problemas energéticos, que foram aparentemente resolvidos por uma rede inter-dimensional de cabos elétricos indutores – “coils”. Estes extraem energia do que, à partida, seria uma fonte inesgotável. A fonte é a Dimensão W, um quarto plano que existe para além das dimensões X, Y e Z. Neste mundo, existem coils ilegais que contêm poderes que a polícia não consegue combater. Lidar com estes é o trabalho de Kyoma, um homem que os odeia, e cuja vida o leva a esbarrar-se com uma android coil única, chamada Mira, com a qual forma uma relutante parceria.

 

Dimension W Espaco narrativo

 

Dimension W adota uma postura padrão dentro do que seria o expectável numa obra desta envergadura. Não que se preveja um enredo demasiado complicado, ainda assim é rico em potencial latente nos detalhes, mesmo que sejam relativamente óbvios, deixados ao longo do episódio. Pois bem, posto isto, o que Dimension W terá para nos oferecer?

 

Dimension W Animacao

 

Uma fatia substancial da premissa é-nos transmitida no início. A apresentação baseou-se sobretudo no enquadramento do espaço narrativo futurista onde ocorre, e ao choque entre o passado e o presente de um planeta Terra bem semelhante ao nosso. As analogias à nossa atualidade são exuberantes o suficiente para recriarem com facilidade o ambiente mecânico-tecnológico já por nós tão conhecido, vulgarmente retratado na literatura e cinematografia de ficção-científica futurista.

Em suma, a boa construção narrativa levou-nos a navegar por entre uma fórmula conhecida, mas que ainda assim promove uma imersão fácil e reforçada pelas personagens inseridas.

 

Dimension W fotografia e imagem

 

As personagens não pareceram ser nada demais. Em termos de substância, o suco a retirar das mesmas não parece extravasar do recipiente, ainda assim, existe potencial. A esperança reside na margem de manobra e possibilidade de fugir ao registo de protagonista badass, emocionalmente ingénuo e obcecado por um passado tortuoso versus protagonista feminina tsundere que surge na vida do rapaz para mudar a sua vida.

 

Dimension W Protagonista femenina

 

Dimension W | Ambiente

A coerência produzida pelo enredo é colmatada com a do ambiente. As cores luminosas e mecanizadas dos elementos futuristas, criaram o cenário ideal para ser usado em paralelo com visual citadino. O contraste entre ferrugem e brilho, apesar de não ser novidade dentro do género, acaba por seduzir até os mais exigentes. A animação surge fluída e coesa em todo o episódio, com destaque nas maravilhosas sequências de luta, pelo que neste quesito o potencial é imensurável, e despoletou um crescendo de expectativas.

 

Dimension W batalha

 

O design de personagens, é possivelmente o ponto que mais salta à vista de qualquer espetador pelos mais variados e simples motivos: é apelativo, simples, e fica na memória. Não é nada por aí além, e muito menos o mais original alguma vez feito, contudo os bons movimentos de câmara acompanhados pelos exuberantes opening e ending, captaram a essência das mesmas ao ponto de ficarem entranhadas na nossa memória.

 

Dimension W Ambiente

 

Quanto à banda sonora, é capaz de ser o ponto menos positivo deste episódio. Não houve nada que ficasse no ouvido, com a exceção do tema de abertura e encerramento, tudo a roçar o básico utilizado em obras onde a ação e o drama fazem parte do cardápio principal.

 

Dimension W Protagonista masculino

 

Dimension W | Potencial

O hype criado em torno da estreia da série, elevou a fasquia de uma obra cujo o género já por si, oferece uma pressão extra. Trata-se de um seinen, um dos poucos desta temporada, e como tal o teor narrativo e qualidade do guião esperam-se adultos e coerentes. Infelizmente, o feedback é dúbio, mesclado entre o prazer de ver peças de qualidade a serem movidas num puzzle cliché mas não enfadonho, e uma palete de personagens e pequenos pormenores que nos fazem ficar de pé atrás. Basicamente, oferecem tanto que chegamos a duvidar da capacidade de desenvolver algo com qualidade acima da média.

A produção visual é maravilhosa, consistente e com picos de qualidade de fazer babar, a asserção construída é toda ela saborosa, fornecida de bandeja a quem quiser deliciar-se. Tudo grita qualidade e potencial incalculáveis, pelo que o meu voto será a favor de assistirem a esta obra. Se procuram uma trama complexa, bem exposta, personagens interessantes e um, à partida, desenvolvimento forte e frenético, aconselho vivamente esta série.

Se contudo, quiserem esperar pelo término da mesma para por fim ouvirem uma última opinião antes de se atirarem de cabeça neste universo futurista, compreendo e não será de todo uma má decisão.

 

 

 

0 comentário


Também deverás gostar de

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.