Bishounen Tanteidan – Primeiras Impressões

Sabem aquele anime que vêem o primeiro episódio e não percebem bem o que se passou? Inclusive não conseguem perceber se gostaram, ou não, mas querem MUITO ver mais?

 

 

Bishounen Tanteidan – Primeiras Impressões

Acho que isto é um efeito do Nisio Isin… Porque esta série é sem dúvida deste autor e nem precisamos de ver mais – ou pesquisar – para perceber que o é. Autor da Monogatari Series e de Katanagatari, prima por uma escrita diferente, exuberante, repleta de falas complexas, reflexões profundas sobrepostas em cenas e personagens que poderiam ser cliché. Poderiam mas não são, não fosse este escritor um génio criativo.

 

 

Pela sinopse esta história segue um Clube de Rapazes Bonitos Detetives. Para fazerem parte deste clube existem 3 regras:

  1. Ser-se bonito;
  2. Ser-se um rapaz;
  3. Ser-se detetive.

Este clube invulgar reúne 5 individualidades da escola privada de segundo ciclo, Yubiwa Academy. O objetivo é ajudar todos os alunos que procurem a sua ajuda. A fama precede-os sendo conhecidos por resolver grandes problemas… e provocar outros tantos.

 

 

Para os fãs de Ouran Koukou Host Club toda esta premissa e exuberância é muito familiar. Então quando olhamos para o Honey-senpai – digo Ashikaga – fica mais que claro que houveram umas doces inspirações na maravilhosa obra shoujo dos inícios dos anos 2000.

 

 Vale a pena assistir a Pretty Boy Detective Club?

Se forem fãs das obras do autor, SIM! Se gostarem de algo aleatoriamente bonito e de execução estupidamente bem feita é forte aposta. Quanto ao enredo em si, este não é muito revelado e não será por verem o primeiro episódio que ficarão a saber mais sobre ele. À partida será algo repleto de segundos e terceiros significados, com uma eloquência escrita erudita e que vos obrigará a voltar atrás e reler algumas falas. Não será um anime “fácil” mesmo sendo ele alegre e com muito humor.

Para quem não conhece o autor, sugiro que vejam o primeiro episódio. Com certeza perceberão desde logo se esta série é para vocês ou não.

 

 

Sem querer alongar muito a questão da narrativa, o anime é composto como se se tratasse de “cenas” de uma qualquer peça de teatro. Há um narrador no início, e os “atos” são separados por uma “cortina” visual e respetivo título, dando a sensação de que o ritmo com que estamos a absorver tudo aquilo é controlado pelo criador. Na minha opinião, tudo para potenciar o clímax… mas como não? Assim até é mais belo…

 

 

A animação é LINDA!

Dá vontade de tirar print a cada frame, e nem sequer estou a exagerar! Novo fundo do PC já cá canta :3

Nisio Isin + Shaft costuma ser uma combinação perfeita entre arte, engenho, cores e animação. Posso dizer que se mantém a qualidade técnica a um nível astronómico…

 

 

Banda sonora pareceu-me igualmente top e o voice acting… ai mãe! Fazem-me lembrar aqueles visual novels bishounen criados para cativer o sexo oposto. ADORO!

No meio de toda esta qualidade técnica tenho receio que esta mistura explosiva de bishounen com mistério e exuberância caricaturial afaste o público. Ou pior, leve a uma desvalorização de uma obra possivelmente genial.

 

 

A possibilidade não é uma certeza pelo que me despeço destas primeiras impressões com a esperança que as minhas suspeitas se confirmem e que seja este uma das grandes séries desta temporada.

E vocês, o que acharam desta obra? Para quem não assistiu dêem uma oportunidade ao primeiro episódio! Pelo menos é um regalo para os olhos <3

 

 

Artigos Relacionados

Overlord – Anime recebe 4.ª Temporada e Novo Filme

Kaguya-sama: Love is War – OVA recebe Vídeo Promocional

Restaurant to Another World – Segunda Temporada é uma Possibilidade