Persona 5 Royal vale assim tanto a pena? | Análise

Persona 5 Royal
Plataformas Playstation 4
Publicadora Atlus e Sega (EU)
Desenvolvedora Atlus
Género JRPG
Data de Lançamento 31 Março de 2020

 

Após uma longa espera, em relação ao lançamento no Japão, Persona 5 Royal chegou ao público do ocidente!! Tal como os seus antecessores tiveram versões melhoradas, mais exatamente Persona 3 com a versão FES e Persona 4 com a versão Golden, não foi uma grande surpresa que Persona 5 tivesse o mesmo tratamento, muito menos depois de todo o seu sucesso.

Ainda assim, apesar de ser algo que se esperava, nada nos preparou para a quantidade e qualidade de conteúdo adicionado ao já prestigiado Persona 5. É caso para dizer we never saw it coming! (peço desculpa, foi mais forte que eu…)

Para esta análise terei bastante atenção a spoilers, portanto certas coisas não poderei expandir muito. Ainda assim, espero que gostem e sem mais demoras, vamos lá!

 

(Agradecimento especial à EcoPlay pela disponibilização da key do jogo!)

 

Persona 5 Royal vale assim tanto a pena? | Análise

 

Aprimoramento da história já perfeita

Persona 5, a meu ver, já tinha uma história perfeita. De todos os pontos bons que esse jogo tem, muitos podem certamente concordar que o enredo é um deles. Ainda assim, Persona 5 Royal conseguiu fazer o que para mim seria impensável!! Pelos vistos, para a Atlus nada é impossível! No fundo, conseguiu que me apaixonasse ainda mais pela história que já amava.

Muitos de nós, senão todos, já enfrentamos algum tipo de injustiça. Uns mais que os outros, certamente, mas todos sabemos esse sentimento. E é ai que Persona 5 centra o seu enredo! Acompanhamos um grupo de jovens injustiçados que, debaixo do nome “Phantom Thives of Hearts”, lutam contra os males que ameaçam a sociedade. E como o fazem? Invadem o “coração” das pessoas e roubam os seus desejos mais distorcidos aka a origem de toda a sua maldade. Sem esses desejos, a pessoa acaba por assumir os seus crimes e entregar-se às autoridades.

 

 

Para aqueles que jogaram Persona 5, tenho a dizer que a história original não foi drasticamente alterada. Portanto não serão surpreendidos com muitas novidades para além de alguns segmentos com as novas personagens e eventos que fazem Persona ser Persona. No fundo, não há muito que se lhe diga a essa primeira parte, pois as grandes novidades estão no fim, no novo trimestre do jogo!

E hoo boy…o que posso eu dizer deste novo trimestre? Sem estragar e dar muitos spoilers, é-nos apresentada uma nova forma de utilização dos poderes que temos para mudar o coração das pessoas e com isso surge um enorme dilema! Para muitos seguir a justiça pela qual os Phantom Thieves lutam é a escolha ideal e óbvia, mas, ainda assim, até ao fim, haverá uma enorme dúvida a pairar sobre nós, sobre o que é realmente correto.

Certamente foi uma abordagem mais filosófica por parte do jogo, onde cada lado tem os seus prós e contras. Infelizmente, mais não posso contar, mas não esperem uma típica jornada para “salvar” o mundo na qual existe um típico vilão com um plano maquiavélico.

 

Caras novas e outras renovadas

Se a história é um dos melhor pontos deste jogo, as personagens têm que vir logo a seguir! (O que raio é um boa história sem boas personagens para a suportar, right?)

E, especialmente em Persona, as personagens são mais importantes do que nunca! Mais especificamente, os laços que criamos com eles, já que é uma mecânica super importante do jogo e é um aspeto que torna Persona especial em relação a outro títulos.

 

E como tal, para termos mais pessoal para interagir e criar novas relações, em Persona 5 Royal somos introduzidos a duas novas personagens:

  • Takuto Maruki

Ou, como é normalmente designado, Dr. Maruki é o conselheiro escolar da Shujin Academy (escola secundário que frequentamos) com o objetivo de apoiar as vítimas de um trágico incidente. Simultaneamente, durante as suas sessões, ajudámo-lo com a sua investigação pessoal durante a qual acabamos por ver o quão amável e profundo esta personagem é. Para mim este foi uma grande adição e facilmente se tornou numa das minhas personagens favoritas.

Sem dizer muito mais, é interessantíssimo passar o tempo com ele e é até super recompensador para a nossa jornada.

 

 

  • Kasumi Yoshizawa

Uma nova aluna da Shujin Academy que detém estatuto de estudante de honra devido aos seus dotes de ginástica, a qual pratica competitivamente. Ao contrário de Maruki, Kasumi é inicialmente uma personagem que me deixou com uma opinião mista. Não que fosse uma má adição, mas sentia que era alguém muito simples e que não achava que tivesse muito impacto.

Felizmente, tudo isso mudou a partir de certo momento, no qual ela mostra ser uma verdadeira caixinha de surpresas, com problemas profundos e um desenvolvimento surpreendente, chegando ao ponto de ser inspirador! Tenho que admitir que até chego a coroá-la como uma das best girls do jogo!!!

 

 

Ainda assim, mesmo que estas tenham sido incríveis adições ao jogo, não posso deixar de comentar sobre as que já estavam presentes. Apesar de não ter muito a dizer de todos e de forma a não spoilar muito, gostaria mesmo assim de destacar uma personagem em específico, Goro Akechi (aka o detetive que nos segue durante o tempo todo).

A maioria das personagens não teve grande mudança ou até mesmo nenhuma, mas com o Akechi mudaram tudo (ou quase vá)!

 

 

No jogo anterior todos os encontros com ele eram forçados (literalmente está planeado em certas partes ele aparecer e temos que interagir com ele). Não que fosse mau, mas realmente não havia grande laço a ser criado, só mesmo para o final ficamos com um grande momento dele e ainda assim acabamos com o sentimento de que faltava mais

Sentimento esse que desaparece com Royal!. Aqui começamos a conhecer o verdadeiro Akechi, a entender como é ser ele no dia a dia e conhecemos os seus problemas, ao ponto que se torna alguém tão real que até hoje fico arrepiado revivendo os momentos que temos com ele.

Infelizmente não poderei dizer mais, mas recomendo que evoluam o laço de amizade com ele sempre que possam e levem-no a comer panquecas que ele adora, garanto-vos que não se vão arrepender da interacção!

 

 

Combate mais estiloso que nunca

Caso nunca tenham visto os títulos principais de Persona, o combate é do estilo turn based. Sei que pode não ser atrativo para muita gente, mas ainda assim não acho que seja algo que vos deva afastar do jogo.

Falo por mim que inicialmente também não era grande fã desse estilo e que agora aprendi a gostar imenso, muito devido a Persona, pois este, a meu ver, facilita a vida aos novatos no género ao apresentar um sistema de combate bastante simplificado e que não cria qualquer tipo de confusão na forma como expõe a informação ao jogador.

 

 

Para além de simples, o combate é super estiloso, tal como 99% do jogo, e mais ainda ficou com em Royal! Okay…talvez esteja a exagerar, mas realmente houve mudanças e novas adições que melhoraram imenso a experiência de combate e a tornaram mais variada.

Contudo, não vou estar aqui a referir tudo e mais alguma coisa, pois, no fundo, vale apenas dar destaque a uma só funcionalidade (que foi a que mais adorei), os “Showtime Attacks”!

 

 

Estes são ataques feitos em duplas, entre personagens específicos, e poderão ser executados aleatoriamente a meio do combate quando a opção surgir. Não se trata de uma adição nova na franquia, mas é em Royal que realmente têm enorme destaque e são super viciantes de executar.

Cada ataque tem a sua própria animação, dependendo dos personagens que a executam, e deixem que vos diga, não se vão arrepender de assistir a cada uma, seja pelo seu fator cómico ou por ser só cool!

Se não tiverem problemas com certos spoilers, deixo-vos aqui uma compilação de todos eles, caso tenham curiosidade de assistir! ^^

 

 

Novidades, novidades e mais novidades

Muitas mais foram as novidades introduzidas neste novo título que adorava falar e explicar, mas há coisas que prefiro que experienciem às cegas caso queiram jogar.

Ainda assim, posso e acho que não estrago nada ao falar da nova zona explorável do jogo, Kichijoji!

 

 

Esta nova localização poderá ser acedida após desenvolveram mais o vosso Confidant com a Kasumi e, sinceramente, recomendo-vos imenso! Isto porque para além de ser uma área rica em conteúdo, é extremamente benéfica para o vosso gameplay, tanto para desenvolver Confidants como para dar upgrade individualmente a cada membro dos Phantom Thieves, e muito mais.

Explorem cada canto, certamente não se vão arrepender!

 

 

Por fim, deixo ainda uma rápida nota na melhoria dos Mementos (basicamente, é uma zona que aleatoriamente gera níveis nos quais podemos farmar)! E OH MEU DEUS, o quão melhor aquilo ficou!!!

Honestamente, era a parte mais aborrecida na versão normal e aqui ganhou uma nova vida com a adição de Jose! Este é um estranho rapaz que vamos encontrando nos Mementos e o qual ajudamos a compreender a humanidade ao coletar flores que ele usa para fazer sumo…bem…realmente escrever isto soa mesmo bizarro…mas no panorama de Persona faz sentido…confiem em mim!!!

 

Esta “simples” adição mudou por completo os Mementos e tornou-o muito mais agradável e fácil de explorar. Ao mesmo tempo, facilmente faz com que fiquemos demasiado op’s caso abusemos dos upgrades que o Jose disponibiliza.

Por isso fica a nota caso gostem de ter um desafio, não abusem das opções que o Jose dá!

 

 

Veredito

Bem, como já referi, gostava de poder falar e expandir muito mais, mas há que saber deixar certas surpresas.

Sei que não falei nada da banda sonora, mas com o Shoji Meguro na composição e a Lyn Inaizumi novamente a dar a sua voz, acho que não preciso de referir que as novas tracks são do melhor, entre as quais dou grande destaque a “I Believe”. Vão ouvir!!!

 

 

Para finalizar falta então responder a mais uma coisa: Vale a pena jogar Persona 5 Royal?

A isso que respondo com um enorme SIM!!! (caso a resposta não fosse óbvia por toda a admiração que fui despejando pela análise xD)

Pessoalmente, esta é uma franquia que me diz muito e não consigo deixar de a recomendar sempre que posso! Em particular Persona 5, que é uma melhoria em vários aspetos, quando comparado com os títulos anteriores, e talvez o título mais fácil de começar de todos eles!

Com Persona 5 Royal terão a experiência completa desta iteração e se forem como eu, enterrarão 200 horas sem darem por isso, pois novamente os Phantom Thieves atacam e roubam o teu coração!

 

 

 

Artigos Relacionados

ENHYPEN conseguem a 2ª Vitória para “Blessed-Cursed”

Solidão | Hakozume Episódio 3 – Opinião

Kep1er conseguem a 3ª Vitória para “WA DA DA”