Nichijou | Análise

por João Simões
Anime Nichijou

Esta animação é produzida pela Kyoto Animation e possui 26 episódios. Penso que foi uma animação que passou despercebida a muita gente, mas isso não quer dizer que não seja boa!

 

Nichijou | A História

Traduzindo o titulo da série obtemos “Everyday Life”, e contextualizando no bom Português podemos dizer que “Nichijou” significa “O meu dia a dia” ou “O meu quotidiano”. A partir daqui já dá para deduzir mais ou menos a base do seu conteúdo. Ao longo de 26 episódios seguimos a vida de uma vasta quantidade de personagens. Estas são colocadas em variadíssimas situações do seu quotidiano, muitas delas completamente relacionadas com o dia a dia de um jovem.

A história absorve situações básicas e banais dos nossos dias, entregando-as de uma forma brilhante a excelentes personagens, pelo que a magia acontece. Aquilo que seria apenas trivial aos nossos olhos é transformado em actos e acontecimentos brutalmente épicos. Como por exemplo, no corredor da escola uma rapariga é rejeitada pelo “amor da vida dela”, e apenas por isto decide pegar em rockets e metralhadoras, começando a disparar contra a pessoa que a rejeitou. Ou só porque a amiga do lado tirou uma nota superior, umas delas com a inveja e raiva transforma-se em “super guerreira” – uma clara referência a Dragon Ball. Eu não vos quero estar a retirar o prazer da surpresa dos momentos hilariantes que a série proporciona, por isso não irei adiantar muito mais na história.

Assim sendo, passo então apenas explicar mais ou menos a linha de funcionamento da série. Como já referi, “Nichijou” funciona como uma mixórdia de acontecimentos. Estes são geridos em forma de capítulos com diferentes “rubricas” dentro do mesmo episódio, mantendo um padrão do início ao fim da série. Por norma, cada capítulo segue a vida de determinadas personagens, sendo que nenhuma está directamente relacionada com as restantes. Contudo, a meio da série (quando muda de temporada), este sistema é mais ou menos quebrado, pois vemos as personagens a relacionarem-se umas com as outras.

Concluindo, tratando-se de um “Slice of Life“, já se espera que a história não seja muito complexa, nem concisa. “Nichijou” não possui necessariamente um início e um fim, tal e qual como na nossa vida, a não ser na definição de nascimento e morte.

 

Anime Nichijou

 

Nichijou | Ambiente e Enredo

A estrutura narrativa de “Nichijou”, como já referi no tópico acima, é de longe das narrativas mais coesas e concisas no mundo do Anime. Não possui um argumento pobre, bem pelo contrário, a história está muito bem trabalhada, e a falta de segmento no seu enredo tem o seu propósito, por isso não larguem o anime se o estiverem a achar confuso ou muito diferente do habitual.

O enredo foi construído e desenvolvido de forma muito inteligente, as histórias são contadas através de referências já existentes e com frequência recorrem aos padrões das demografias conhecidas como Shounen, Seinen e até Shoujo. para se criar um nível de comédia epicamente aleatório.

 

Nichijou Anime

 

O ambiente desta animação é fabuloso! E pelo aspecto soberbo que consegue manter ao longo de 26 episódios o estúdio não se preocupou com custos. As personagens possuem um design distinto e com um feeling das animações que víamos na nossa infância inerente a elas. Talvez seja mesmo esse o propósito, até porque se torna mais fácil de atingir uma maior faixa etária. Os ambientes são simples, bonitos e com características muito próprias e minimalistas.

Por seu lado, a animação possui uma fluidez impressionante e constante, mas o mais interessante neste aspecto nem é a grande percentagem de frames, mas sim a forma como a animação em si é usada. Por norma, em momentos de comédia vemos uma animação com um tempo mais lento e desenhos simplicistas, contudo, “Nichijou” foi criado para dizer não aos padrões mais conhecidos. Nesta obra, quando o desenvolvimento se direciona para o lado cómico, o desenho gradualmente vai-se transformando e a animação ganha uma passo mais rápido. Até mesmo a banda sonora acompanha extremamente bem estas transformações de géneros. Os Openings/Endings são agradáveis e divertidos, pelo que penso que será uma daquelas animações que mesmo que vejam vários episódios seguidos vão sempre ficar a ver o Opening só pela diversão e ritmo da música.

 

Nichijou Anime

 

Nichijou | As Personagens

São um aspecto importantíssimo neste género de animação. Caso não estivessem tão bem criadas e delineadas, as situações de comédia ou até as de drama não nasceriam com a mesma força. São imensas, mas vou apenas focar-me nas que considero mais importantes:

Yuuko Aioi é aquela que no meio da salada de acontecimentos, considero a personagem principal. Yuuko possui um “bom humor” interminável e também bastante questionável. Quer a todo custo fazer dele algo que pertença a quem a rodeia, ou seja, constantemente ela tenta inventar novas piadas e vai testando-as com as amigas, mas o sucesso destas é sempre duvidoso. Preguiçosa, distraída e, por consequência, sempre com maus resultados académicos, assim se pode caracteriziar um pouco Aioi.

Mio Naganohara é provavelmente a personagem mais bipolar de todo o Anime. Tanto vemos um episódio em que ela se encontra com paciência e calma, como vemos outros em que o nível de paciência se esgota ao mínimo acontecimento. Isto torna-a numa das personagens mais engraçadas e épicas. Ao contrário da Yuuko, Naganohara é extremamente aplicada nos estudos, sendo mesmo uma das melhores alunas da turma.

Mai Minakami é completamente desprovida de expressões faciais que manifestem o seu estado emocional. No entanto, é uma personagem bastante emocional, mas com muita subtileza! Não entende quando uma piada é completamente inoportuna, o que a coloca em situações bem cómicas, coisa que ela acha perfeitamente normal. Muito inteligente e aplicada, mas pouco faladora, é pelas suas acções que Minakami vai comunicando, ou pelo menos tentando.

 

Anime Nichijou

 

Hakase Shinonome é uma criança com um intelecto soberbo. Deve ter aproximadamente 8 anos, contudo criou um Android com emoções, ao qual deu o nome de “Nano”. Hakase, que significa “professor”, não criou apenas o Nano, mas sim vários robôs, lenços que permitem que os animais falem, entre outras coisas. Apesar do enorme intelecto, o comportamento continua a ser o de uma criança. Esta combinação de elementos foi muito inteligente, já que dá para imaginar como seria alguém com um QI superior ao do Einstein, mas com o comportamento de uma criança mimada. As discussões e os argumentos são infantis e é facilmente comprada com guloseimas. Foi das personagens que me despertou mais interesse pela combinação de elementos original e inesperada. Além disso, acho que deixa qualquer um curioso com o seu possível passado, visto que foi ela que criou a Nano, ou seja, é uma criança que inventou um Android que tem a autoridade de uma mãe.

Nano Shinonome, como já disse em cima, é o Android criado pela Hakase. Possui apenas um ano (tempo desde a sua criação), tem a aparência de uns 15/16 anos e age com a mentalidade de uma mãe, principalmente no que diz respeito à educação que a vemos dar à Hakase, sendo ela que trata de todas as tarefas domésticas. Com o seu desenvolvimento, vamos percebendo que apesar de Android, Nano é mais humana que muitos humanos. Certo dia, esta apercebesse que não está a ter a vida que as miúdas da idade dela têm, como por exemplo ir à escola. Por medo de ficar sozinha, Hakase não aceita que ela saia de casa. Acontece que mais tarde este problema acaba por ficar resolvido e Nano consegue ir para escola e fazer boas amizades. Fisicamente, esta personagem possui uma espécie de chave nas costas, que na verdade é das poucas coisas que a distingue de um humano fisicamente normal. Ela possui a consciência deste “problema” e vai pedindo a Hakase para que o retire de forma a parecer alguém normal.

Sakamoto é o gato que foi acolhido pelas duas personagens anteriormente descritas. Preguiçoso, inteligente e mimalho devem ser os melhores adjectivos para o descrever. Prefere ser tratato por “Sakamoto-san” para impor respeito, autoridade e principalmente mostrar a diferença entre idades. Apesar das muitas peripécias em que ele acaba magoado ou culpado devido à inocência de Hakase, ele adora viver com elas e não troca isso por nada.

 

Nichijou Anime

 

Nichijou | Juízo Final

Esta obra contém uma produção técnica de grande nível, sem dúvida, uma animação brutal, contendo várias técnicas de animação e traços de desenho, excelentes contrastes e uma cinematografia muito bem construída. No entanto, encontramo-nos numa época em que a narrativa é cada vez mais desvalorizada, uma época em que as temporadas nos trazem um mar de grandes animações com histórias supérfluas.

“Nichijou” torna-se então uma lufada de ar fresco neste aspecto, uma compilação de pequenas histórias que nos fazem pensar sobre as coisas simples do nosso dia a dia, as coisas que estão sempre presentes e nem lhes damos muita atenção. As personagens são o elemento mais importante no conteúdo desta obra, são a cola que junta as pequenas histórias, os pequenos eventos aleatórios, são a peça chave para terminar o puzzle e ver o anime como um todo, como uma mensagem. Estas desenvolvem-se e crescem com o progresso da narrativa. Com as situações que vão ultrapassando episódio a episódio, vemo-las a aprenderem com os erros e a crescerem com eles.

Concluindo, se procuram um anime soft, com boa comédia, boa moral, boa história e personagens, um anime para irem vendo de longe a longe, este é sem dúvida aquilo que estão à procura!

Em vez do tradicional trailer, deixo-vos um excerto de uma cena para vos cativar a atenção:

 

 

Como sempre, não se esqueçam de partilhar a vossa a opinião nos comentários, isto é, se gostaram ou não, ou, caso ainda não tenham visto a série, se ficaram com vontade de a ver.

 

 

0 comentário


Também deverás gostar de

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.