Cotton 100% – Análise ao Jogo (Nintendo Switch)

por Xpop
Cotton 100% – Análise ao Jogo (Nintendo Switch)
Cotton 100%
Plataformas Super Famicom, PlayStation, Nintendo Switch, PlayStation 4
Publicadora ININ Games
Desenvolvedora Success
Género Shoot ‘em up
Data de Lançamento 22 de abril de 1994

 

Com o sucesso do subgénero cute ‘em up a aumentar cada vez mais no Japão, a Success dava os primeiros passos para aproveitar a onda de ansiedade do público por mais jogos do mesmo tipo e isso demonstrou-se pela boa receção que o seu primeiro jogo teve na altura.

Após o desenvolvimento de vários portes de Cotton: Fantastic Night Dreams para o TurboGrafx-16 e o Sharp X68000, a Success começava a trabalhar no próximo jogo da série Cotton desta vez para a Super Famicom e um ano depois viria a luz do dia com o nome Cotton 100%.

Para celebrar os 30 anos da franquia, a ININ Games ao lado da Strictly Limited Games lançou o jogo em formato físico e digital para a PlayStation 4 e Nintendo Switch a 29 de outubro de 2021 para o resto do mundo e graças a eles iremos trazer-vos esta análise.

Aqui fica a análise de Cotton 100%!

 

Cotton 100% – Análise ao Jogo (Nintendo Switch)

 

Cotton 100% é uma sequela direta de Cotton: Fantastic Night Dreams e foi desenvolvido pela Success e publicado a 22 de abril de 1994 no Japão. O jogo segue as aventuras da bruxa Cotton que parte numa jornada com a fada Silk em busca do doce Willow.

 

Um sabor dose que se mantém

Após o lançamento de Cotton: Fantastic Night Dreams, as pessoas queriam desfrutar de mais conteúdo deste género e uma futura sequela não precisava de muita inovação para conseguir agradar aos fãs.

Isso é algo que é imediatamente reparado quando se começa a jogar Cotton 100% pela primeira vez. A jogabilidade é bastante semelhante à da prequela e isso não é algo mau, visto que na generalidade não existia a necessidade de melhorar em nada.

 

Cotton 100% – Batalha contra abóbora

 

A única melhoria que acabou por ser feita no jogo acabou por ser na forma como a magia é utilizada. Antes nós apanhávamos um cristal deixado por um inimigo derrotado e disparávamos contra ele para definir que tipo de magia poderíamos usar.

Em Cotton 100%, já não nos precisamos de nos preocupar com isso pois agora só temos que nos preocupar em apanhar o cristal e depois podemos escolher qual feitiço utilizar. Foi uma pequena alteração que fizeram, mas que acabou por ser uma boa melhoria para a experiência total do jogo.

 

Um passo em frente e outro para trás

Tal como a sua prequela, Cotton 100% tem a sua história contada através de animações em pixel art com voice acting japonês antes e depois de cada nível que lembram bastante um anime e continuam bastante fantásticos neste jogo mostrando-se como um dos pontos altos da franquia.

Outra coisa boa foi a ligeira melhoria na história do jogo. Apesar de continuar a ser a da bruxa Cotton em busca do doce Willow, desta vez ela não é coagida a partir numa aventura, mas ao invés ela própria vai tentar descobrir quem está a causar os problemas. Uma coisa mínima que acaba por mostrar uma evolução na personagem.

 

Cotton 100% – Batalha contra palhaço

 

Apesar de a experiência continuar a mesma, uma coisa que acabou por desapontar bastante está nos bosses de cada fase que ficaram muito fáceis de se derrotar com padrões fáceis de se decorar, especialmente quando estamos no nível máximo pois ficam ridiculamente mais fáceis de se enfrentar.

Com a exceção do boss final do jogo, essas batalhas fazem sentir que o jogo é muito mais fácil de se passar do que devia ser e faz com que a repetibilidade seja quase nula devido a aborrecimento do jogador em tentar completar uma segunda vez para obter uma melhor pontuação.

 

Veredito | Cotton 100% – Análise ao Jogo (Nintendo Switch)

Quando comecei a jogar Cotton 100%, as minhas expectativas ficaram altas pois eu iria ser servido com o mesmo conteúdo que Cotton: Fantastic Night Dreams e apesar de os bosses serem muito fáceis, a verdade é que consegui ficar satisfeito no fim do dia.

Para aqueles que nunca jogaram Cotton pode ser uma experiência confusa, mas para os fãs é algo que vale a pena obter especialmente que agora está disponível para a PlayStation 4 e Nintendo Switch.

 

 

0 comentário


Também deverás gostar de

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.