Porque Fillers são um Mal Necessário à Indústria

por Usagi Wright
Porque fillers são um mal necessário à indústria

Os fãs de anime ODEIAM fillers. É incrível como a comunidade consegue estar tão unida neste aspeto.

Mas apesar de vocês os desprezarem, eles são um mal necessário à indústria e, às vezes, podem transformar o anime em algo 1000 vezes melhor.

A obra Gintama fez um bom trabalho em explicar os básicos dos fillers. Vejam os gifs abaixo!

 

Porque Fillers são um Mal Necessário à Indústria | Noções Básicas
Porque Fillers são um Mal Necessário à Indústria

“Quando um anime alcança um manga que ainda está a ser publicado, tem de dar “uma volta” para ficar dentro do alcance do manga, antes de seguir a história original”

 

Porque Fillers São um Mal Necessário à Indústria

“Porém, existe uma série de riscos. Enquanto o anime arranja tempo para o manga desenvolver a história, este pode ser cancelado.”

 

Porque Fillers São um Mal Necessário à Indústria

“Ou o manga termina quando o anime está prestes a juntar-se à história”

 

Porque Fillers São um Mal Necessário à Indústria

“Ou no processo de divergir, os personagens ou o cenário no anime tornam-se tão diferentes, que eles nunca se conseguirão reunir novamente”

 

Porque fillers são um mal necessário à indústria

“Ou eles usam os mesmos personagens para fazer um anime totalmente diferente.”

 

Realmente são muito gifs, mas para resumir, os fillers em anime têm de acontecer por dois motivos:

  1. O manga está longe de ser terminado, então o anime tem de divergir;
  2. As estações de televisão japonesas são rigorosas nos contratos (26 episódios são 26 episódios), então os fillers são necessários para cumprir as exigências das empresas.

 

Então, o que realmente aconteceria sem os tais temidos fillers?

 

Porque Fillers são um Mal Necessário à Indústria | Consequências

#1 – Certos Animes Não Existiriam

Porque fillers são um mal necessário à indústria

 

Parece louco, certo? Mas se seguíssemos à risca o sentimento de ódio dos fãs face a fillers, o anime acima não existiria.

K-On! é um dos mais populares e financeiramente bem sucedidos animes da era moderna… e é tudo filler. 99% do que acontece no anime não ocorre no manga e há uma boa razão para isso. Esta obra é um “manga yonkoma”, o que significa que cada capítulo usa apenas 4 células para contar piadas.

 

Porque Fillers são um mal necessário à indústria

Os manga Yonkoma não fornecem muito conteúdo para adaptar.

 

As relações, concertos e crescimento dos personagens ao longo do anime foi possível porque a Kyoto Animation expandiu a história. Essencialmente, o anime é apenas K-On! no nome porque tudo o resto encaixa-se na definição de filler.

Se nós formos pelo desejo geral de que nada se deve acrescentar ao manga, então este anime nunca teria existido. Na verdade, nenhum anime baseado em mangas Yonkoma veria a luz do dia. Vocês gostavam de viver num mundo sem Nichijou, Working!! ou Gekkan Shoujo Nozaki-kun?

O mesmo argumento pode ser utilizado para adaptações de videojogos e light novels. Os eventos precisam de ser re-trabalhados ou removidos, já que o que funciona nos jogos nem sempre funciona nos animes.

 

#2 – A Maioria dos Animes Não teriam um Final

porque Fillers são um mal necessário à indústria

 

A maior falha na adaptação de um manga, atualmente popular, é que eles tendem a estar bastante longe do seu fim.

Ao adaptar um trabalho como Noragami ou Soul Eater (na época), o estúdio tem de tomar uma decisão difícil sobre como terminar aquele anime. Nem todos os arcs têm uma “paragem”, um acontecimento que os termine e, se uma segunda temporada não for garantida, não se quer transmitir aos fãs uma falsa esperança.

Mas se o arc atual não permite isso, vocês recebem o chamado “final gecko: os últimos 3 ou 4 episódios de um anime, como Noragami, podem sofrer uma alteração para um arc original breve, de modo a fornecer algum tipo de referência. Se uma segunda temporada é conseguida, este final gecko é facilmente ignorado.

Na maioria dos casos, um final que fornece um encerramento à obra é melhor que um cliffhanger (um recurso de guião utilizado em ficção, que se caracteriza pela exposição do personagem a uma situação limite) não resolvido.. certo, Rokka no Yuusha?

 

#3 – O Mangaka Concorda com os Fillers

porque fillers são um mal necessário à indústria

 

Sim, às vezes coisas que os fãs odeiam é algo com que o criador está perfeitamente de acordo.

Um exemplo famoso é o anime Fullmetal Alchemist de 2003Hiromu Arakawa, mangaka da obra, disse ao estúdio Bones para criar a sua própria história após ficarem sem material para adaptar. Numa entrevista feita à revista NewType USA, Hiromu apresentou os seus pensamentos sobre fillers, dizendo:

Manga e Anime são modos diferentes de expressão e diferentes artistas estão envolvidos. Não existe um ponto em ter uma história cruzada em diferentes tipos de arte, se for exatamente a mesma em todas as versões.”

 

Esta é a mesma visão Hideaki Sorachi tem sobre o anime Gintama. Certas piadas e paródias só funcionam bem dentro de seu respectivo meio, por isso é uma questão de se ajustar em vez de ser “fiel”.

 

#5 – O Mundo Perderia esta Cena

porque fillers são um mal necessário à indústria

 

O mundo é um lugar melhor por causa dos lábios de peixe do Kakashi, do anime Naruto.

 

É verdade que quando o filler é mau, pode acabar por arruinar o fluxo de uma série. Mas apenas porque algo é filler não o torna mau por defeito. Às vezes, esses arcs originais ou episódios são necessários para fornecer uma experiência sólida de anime, que alinha com o material de origem ou cumpre os contratos de anime assinados com o estúdio.

Anime é uma indústria que adapta os mangas mais populares e atuais, visual novels, light novels ou jogos. A menos que haja uma mudança e comecem a adaptar apenas obras concluídas, o que provavelmente não vai acontecer, teremos de entender e aceitar que os fillers estarão sempre connosco.

 

Sugestão:


Indústria Anime – Porque é que Existem tantos Atrasos?

Makoto Shinkai – A Importância da Coreia na Indústria Anime

Quanto Custas à Indústria quando Vês Anime Ilegalmente?


 

Fonte: Goboiano

 

2 comentários

Também deverás gostar de

2 comentários

Leandro Santos 21 Fevereiro, 2017 - 17:15

Bom tema para debate

Os fillers servem para que o anime e a manga se aproximem ou são feitos como uma forma de gerar dinheiro sem pensar muito no consumidor? Ou ambas?

O favor de a manga não estar terminada e com isso o anime ter que ter fillers é um problema que a indústria colocou a si própria por muitas vezes só pensar na rentabilização do produto. Porque razao o anime não começa mais tarde de forma a dar tempo ao manga de ter um bom avanço? Porque razao o manga demora por vezes demasiado tempo a ser terminado? Claro que existem diversos factores para isso, mas para mim o principal culpado é a indústria e a forma como ela olha para si própria.

Isso do número de epis. é outra. Se o contrato é de 26 e assim o anime tem que ter fillers, porque não fazer somente 13? É certo que são cada vez mais os que têm 13, mas ter muitos advém de uma indústria que quer o lucro, como qualquer outra claro.
Claro que o que falei é para já uma utopia e temos que lidar com isto, felizmente nem todos os fillers são maus, mas mesmo os bons que servem para dar maior profundidade às personagens devia ter para mim um máximo de 3 seguidos.

Prefiro que o anime esteja parado algum tempo do que ter que levar com fillers que nunca mais acabam.. Naruto olho para ti..

Em suma, percebo o ponto de vista mas não concordo. Aliás, acho que este é outro dos problemas que a indústria atravessa mas como José outros continuam a assobiar para o lado.

Responder
Gustavo Henrique 28 Fevereiro, 2017 - 0:33

Eu entendo que os fillers são um mal necessário até certo ponto, e esse ponto seria quando o anime começa a se prejudicar por causa disso, e qual obra é mais lembrada por causa dos fillers e que serve de exemplo de fillers bons e ruim? Naruto, por mais que eu reclame desse conteúdo inédito da adaptação existem certos pontos que realmente foram usados de forma útil e “inteligente”, um arco filler que seria bom destacar é aquele da Kaguya e seus descendentes, um dos aspectos que mais prejudicou o final do mangá (pra mim) foi o fato de personagens e conceitos tão importantes serem introduzidos muito tarde na história, a Kaguya simplesmente veio do nada e voltou pro nada da mesma forma que surgiu, tornando a um personagem muito raso para ser o vilão final, o sábio dos seis caminhos tinha um irmão gemio que nunca sequer foi sitado na obra e os filhos dele a mesma coisa, no anime foram feitos arcos para preencher essa lacuna deixada pelo próprio Kishimoto, além de que alguns fillers possibilitaram que eles adaptassem arcos inteiros sem interrupção. O que me revolta é saber que no ano de 2015 a obra teve 8 episódios canônicos e mais de 40 de pura encheção de linguiça sem propósito, visto que o mangá á havia acabado no ano anterior, 2016 foi um pouco melhor, mas não mudou muita coisa, o filler ruim é aquele que além de não agregar em nada e afeta a obra negativamente.
Poderia ter explicado melhor o fato de haver tipos de fillers, existem aqueles de Naruto onde todo o episódio e filler, existem os “Cinco minutos do Freeza” onde eles arrastam um acontecimento ao máximo tornado o mais longo que no original e existem os finais alternativos como o de Full Metal Alchemist. De toda forma ótimo texto.

Responder

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.