A Evolução da Nintendo – Geração Switch

por Alexandre Milhazes
A Evolucao da Nintendo - Geracao Switch Destaque

Boas pessoal, o meu nome é Alexandre Milhazes e sou uma pessoa bastante curiosa sobretudo por temas que gosto. Como um apreciador do mundo dos videojogos, procuro sempre aprender um pouco mais sobre este tema. Uma das questões que sempre me assolou, e que deu lugar a este artigo, foi a origem da Nintendo Switch.

Assim sendo tentarei fazer um enquadramento, explicando um pouco da origem desta consola e irei dar algumas sugestões de jogos e acessórios.

 

A Evolução da Nintendo – Geração Switch

 


Origens


 

Ao longo de mais de quatro décadas, a Nintendo passou por altos e baixos no mercado dos videojogos. Com o sucesso da concorrência e o insucesso das vendas da Wii U, a Nintendo encontrava-se numa posição precária.

Consequentemente a Nintendo anunciou um novo projeto em 2015, o NX. O resultado desse projeto foi uma consola híbrida, que tanto pode ser jogada em modo portátil como na TV. Com controladores destacáveis e com sensores de movimento que permitiam o multijogador local, a ideia deste sistema foi simplesmente genial e muito bem recebida tanto pela indústria como pelos fãs da empresa japonesa.

Quando todos os especialistas esperavam que a Nintendo competisse, em termos de poder de processamento, com a PlayStation 4 Pro ou com a Xbox One X, a empresa japonesa continuou a seguir a sua linha de pensamento lateral.

Esta alteração passou por trazer um novo conceito para o mercado, agrupando todas as ideias que tinham, até então, funcionado na empresa.

A Nintendo estava bastante ciente dos problemas do Wii U e de forma a não repetir os mesmos erros, a campanha de marketing da Switch foi muito mais agressiva apresentando de uma forma bem mais clara o produto final para o consumidor.

Depois de muita antecipação por parte dos fãs, no dia 03 de março de 2017, a Nintendo Switch é lançada mundialmente.

 


A Evolução da Nintendo – Geração Switch | Impacto da consola


 

Com um conceito inovador e com um jogo muito esperado pela comunidade (The Legend Of Zelda: Breath of the Wild), a Nintendo tentou repetir a mesma fórmula de sucesso da Super Nintendo nos anos 90, com o jogo Super Mario World.

A antecipação e o sucesso de Breath of the Wild foi algo que a Nintendo usou muito bem como uma alavanca para conquistar o interesse das pessoas para a sua nova consola. Adicionalmente a Nintendo ainda disponibilizou mais alguns jogos no seu dia de lançamento como Bomberman, 1-2 Switch, SnipperClips e Just Dance.

No primeiro ano de lançamento da Switch, a Nintendo teve um dos seus melhores anos de sempre, ao lançar excelentes jogos exclusivos para o seu novo sistema tais como:

 

 

Entre eles ainda foi possível ver um investimento em títulos de peso third party como The Elder Scrolls V: Skyrim, Dragon Ball Xenoverse 2, Rocket League e Doom.

Quase 4 anos após o seu lançamento, o sucesso da Switch tem mostrado que ainda existe um público com interesse em novas formas de jogar para além da fórmula tradicional.

Apesar da concorrência dispor de consolas mais poderosas, a Switch consegue suprimir uma necessidade no mercado, isto porque muitas pessoas não dispõem de tempo para poder jogar em casa.

Nenhuma consola consegue abranger os melhores jogos da geração, no entanto a Switch proporciona uma experiência muito pessoal e impactante. Seria praticamente impossível dizer há 20 anos que conseguiria jogar um jogo como Super Mario Odyssey, The Elder Scrolls V: Skyrim, The Witcher 3 ou The Legends of Zelda Breath of the Wild numa consola portátil.

Numa fase onde pessoalmente estava a ficar saturado do hobby, por conta da falta de tempo e falta de interesse no mercado, a Switch acabou por ser uma consola que me permitiu empolgar mais uma vez pela indústria.

A magia de poder jogar pela primeira vez o Super Mario Odyssey foi bastante semelhante à magia de há 20 anos atrás poder jogar o Mario 64. A possibilidade de poder jogar franquias épicas da Nintendo e títulos com gráficos HD em todo o lado, era algo que sonhava desde os tempos do Gameboy.

 


Versões da Consola e Acessórios


 

Até à data deste artigo a Nintendo Switch apresenta duas versões, a Switch “original” e a Switch Lite. Lançada 2 anos depois do lançamento da Switch regular, esta versão Lite tem como foco principal o publico que tem como preferência jogar de forma portátil, como os utilizadores que jogam mobile, 3DS ou PSVita.

De forma muito resumida, a grande diferença entre estas duas versões da consola, passa pelo fator híbrido, isto porque a Switch Lite pode apenas ser jogada em modo portátil e os seus controladores não são destacáveis.

 

Nintendo Switch Vs Lite

 

Apesar das limitações anteriormente referidas, esta consola apresenta um custo mais atraente para os consumidores. Em Portugal a Switch Lite apresenta um custo de 220 euros comparativamente com os 320 euros da versão original. Com versões temáticas e diversas cores (turquesa, cinza e o amarelo), esta nova versão acabou por ser impulsionar de vendas da família Switch sendo uma excelente opção para quem jogar de forma mais casual.

Existem diversos acessórios para a Switch, que ajudam direta ou indiretamente a melhorar a experiência da consola. Entre eles vou sugerir alguns para os mais interessados:

 


Cartão de Memoria


A Switch apresenta 32GB de memória interna, sendo que, uma porção da capacidade é reservada para o sistema. O espaço pode ser curto para quem gosta de jogar.  De uma forma muito prática, através da utilização de um cartão de memória, esses valores podem ser expandidos. Pessoalmente recomendo o cartão de memória de 128GB da Sandisk.

 


Pro Controller


Atualmente a versão original da Nintendo Switch vem com dois JoyCons destacáveis. Os JoyCons são os controladores do Switch que permitem aos utilizadores jogar quer em singleplayer, quer em multiplayer local. No entanto, de forma a melhorar a experiência e, como os Joycons são mais sensíveis, aconselho aos jogadores obterem um comando mais confortável como o Pro Controller da Nintendo ou um comando third party como os da PowerA ou da 8Bitdo, por exemplo. O Pro Controller ou outros controladores também são suportados pela versão Lite da consola.

 


Bolsa e pelicula protetora


É altamente recomendado, para qualquer aparelho eletrónico, comprar uma bolsa que consiga proteger o equipamento e uma película para proteger o ecrã contra os riscos. Uma opção muito boa são capas disponíveis na FNAC, Worten ou El Corte Inglés que já trazem película incluída. Se possível, comprem sempre uma película de vidro por ser mais resistente. A nível da capa, a que uso é a oficial da Nintendo que permite colocar 5 jogos numa bolsinha interior.

 


Cartões Pré Pagos


 

Na eventualidade de não dispor de cartão de crédito ou por não confiar nos pagamentos virtuais, é possivel fazer pagamentos digitais utilizando os cartões pré-pagos da Nintendo. Estando disponíveis em praticamente todas as grandes lojas físicas como FNAC, Worten ou El Corte Inglés, esta é uma excelente opção para efetuar compras digitais.

 


Serviços


O único serviço que a Nintendo dispõe no Switch é o Nintendo Switch Online. Este serviço tem um custo mensal de 3.99 euros ou de 19.99 anualmente. Contudo a Nintendo dispõe de um plano familiar que pode agregar até 8 pessoas por 34.99 anualmente.

A adesão ao serviço do Nintendo Switch Online permite aos jogadores aceder aos serviços multiplayer dos seus jogos. Existem outros benefícios em obter este serviço, entre eles a disponibilização dos jogos clássicos do NES e SNES, até ao momento, de forma gratuita para todos os subscritores do serviço.

 

Nintendo Switch Online NES SNES

 

Existem outras funcionalidades agregadas a este serviço, como o backup das saves em cloud, promoções e free trials de alguns jogos. Tendo em conta o custo e benefício, o serviço é bastante vantajoso, no entanto é algo que a Nintendo pode melhorar.

Algumas dessas melhorias passariam pela disponibilização de todo o back catalog da empresa (Gameboy, Gameboy Advance, Nintendo 64, GameCube e Wii), utilização de servidores dedicados para alguns dos seus jogos, criação de um sistema que permitisse a troca de mensagens e Group Chats entre os utilizadores.

Entre estas melhorias que considero prioritárias, penso que deveria haver mais ofertas e descontos exclusivos dos seus jogos ou de jogos third party para os assinantes do serviço. Contudo é bem provável que no caso de haver melhorias significativas no serviço, o preço da subscrição também venha a subir.

 


A Evolução da Nintendo – Geração Switch | Jogos


Um dos fatores mais importante para o sucesso de qualquer consola acaba por ser o seu catálogo de jogos. Neste quesito, a Nintendo tem feito um excelente trabalho ao trazer muitas das suas franquias clássicas de volta na sua melhor forma para a Switch.

Alguns deles como Fire Emblem Three Houses, Animal Crossing New Horizons, Super Smash Bros. Ultimate, Paper Mario and the Origami King, Yoshi’s Crafted World, Kirby Star Allies, Luigi’s Mansion 3, Splatoon 2 e Xenoblade Chronicles 2 são excelentes starting points para novos jogadores.

Devido ao insucesso da Wii U, a Switch tem sido a casa de muitos jogos, da plataforma lançada em 2012. Desta forma esta acaba por ser uma excelente oportunidade para novos jogadores que não tiveram a Wii U, poderem alargar o seu conhecimento em diversas franquias.

Jogos como Donkey Kong Tropical Freeze, Mario Kart 8, Pikmin 3, Super Mario Bros Deluxe U, Captain Toad, Bayonetta 2, Hyrule Warriors, Wonderful 101, Tokyo Mirage Sessions até ao mais recente Super Mario 3D World, que será lançado em fevereiro de 2021, são alguns dos títulos que se encontram disponíveis na Switch.

Apesar dos esforços da Nintendo para tornar a Switch numa plataforma definitiva para poder jogar os seus jogos, também houve um grande foco em destacar jogos de outras desenvolvedoras mais pequenas.

A Switch é hoje considerada por muitos a consola definitiva dos jogos indie. Apresentando preços bem mais acessíveis do que os exclusivos da Nintendo e sendo jogos bem mais casuais, as desenvolvedoras sentem-se cada mais confortáveis em disponibilizar os seus jogos nesta plataforma.

Sendo um fã da indústria em geral, é ótimo poder ver títulos como Celeste ou Hades ganharem destaque ao ponto de concorrerem para o prémio de Jogo do Ano. Apesar de serem projetos com equipas pequenas e sem grandes orçamentos eles são de extrema qualidade e muitas das vezes superiores a muitos projetos que vemos constantemente serem destacados pela imprensa.

Jogos como Hollow Knight, Spiritfarer, Hades, The Touryst, Celeste, Steamworld Dig, Stardew Valley, Shovel Knight, Axiom Verge, Katana Zero, Bloodstained, Enter the GungeonBastion são alguns dos títulos que constantemente aparecem destacados numa plataforma já ela recheada de excelentes jogos.

Para fãs de jogos mais antigos, a Switch tem sido bombardeada com ports de praticamente todas as grandes franquias do passado. Séries como Devil May Cry, Resident Evil, Bioshock, Mega Man, Borderlands, Final Fantasy, Doom, Dragon Quest, Ace Attorney, Street Fighter, Contra, Collection Of Mana e Castlevania tem alguns dos seus jogos disponíveis na nova consola da Nintendo.

 


Recomendações


Este acaba por ser o tópico que tive mais dificuldade de escrever, isto porque as recomendações vão sempre de encontro com os gostos de cada um. Cada jogador tem um género, uma franquia ou estilo de jogo muito próprio. Deste modo nem todos os jogos o vão agradar da mesma forma.

Tentei fazer duas listas pessoais onde iria referir o meu top 15 de jogos exclusivos da Switch e um top 15 de jogos third party e indies com algumas menções honrosas para alguns dos jogos que sinto que mereciam mais destaque na plataforma. Na lista coloquei jogos que considero serem de qualidade e de diferentes géneros para garantir a diversidade de escolhas.

Sem uma ordem de prioridade, recomendo:

    • The Legend of Zelda: Breath Of The Wild
    • Super Mario Odyssey
    • Fire Emblem: Three Houses
    • Super Smash Bros. Ultimate
    • Animal Crossing: New Horizon
    • Astral Chain
    • Luigi’s Mansion 3
    • Mario Kart 8 Deluxe Edition
    • Xenoblade Chronicles Definitive Edition
    • Pikmin 3 Deluxe Edition
    • Hyrule Warriors: Age of Calamity
    • Pokémon Sword/Shield
    • Donkey Kong Country: Tropical Freeze
    • Splatoon 2
    • Super Mario Maker 2

Menção honrosa: Bayonetta, Paper Mario Origami King, Arms, Xenoblade Chronicles 2, Captain Toad, Mario 3D All Stars, Yoshi Crafted World, Kirby Star Allies, Super Mario Party e Octopath Traveler.

Lista de jogos third party/Indies

    • Dragon Quest XI: Echoes of an Elusive Age
    • The Witcher 3: Wild Hunt Complete Edition
    • The Elder Scrolls V: Skyrim
    • Diablo 3
    • Ni no Kuni: Wrath of the White Witch
    • Ori and the Will of the Whisps/Blind Forest
    • Stardew Valley
    • Hollow Knight
    • Cuphead
    • Doom Eternal
    • Celeste
    • Steamworld Dig
    • Street of Rage 4
    • Sakuna of Rice and Ruin
    • Hades

 


A Evolução da Nintendo – Geração Switch | Conclusão


Sem dúvida alguma posso dizer que a Nintendo Switch é uma aposta segura para quem procura diversão e muitas horas de entretenimento. Esta consola é a definição da filosofia da Nintendo, aleando a visão de mercado de Satoru Iwata, com o pensamento lateral trazido por Gunpei Yokoi. A Switch representa tudo aquilo que a Nintendo sempre foi boa, desde a popularização das consolas portáteis com o Gameboy até aos motion controls da Wii.

Mas o fator mais importante é a qualidade da sua biblioteca de jogos que vai marcar, mais uma vez, uma nova geração de fãs. Contudo, nem tudo foi perfeito e a Nintendo claramente tem vindo a aprender com as suas falhas como foi o caso do Virtual Boy e da Wii U.

Para quem nunca teve uma consola da Nintendo nas mãos, esta é uma oportunidade de ouro para poder conhecer um pouco mais desta empresa, que tem sido tão importante e marcante na vida de muitas pessoas. De referência de mercado até uma empresa onde as pessoas estavam desacreditadas com o seu produto, a Nintendo mostrou-se resiliente em tentar melhorar as suas consolas, os seus jogos e os seus serviços.

Com a nova geração de consolas no mercado, a Switch prova que as pessoas não estão apenas preocupadas com jogos foto realistas e taxas de framerate maior, mas com a experiência, a diversão e por fim a acessibilidade.

Pessoalmente acredito que ainda vão sair alguns dos melhores jogos da Switch durante os próximos 2/3 anos. Com a ascensão de popularidade e o sucesso da consola, é praticamente certo que a Nintendo vai continuar com esta fórmula de uma consola híbrida para a próxima geração.

Com uma única consola, uma visão e com excelentes títulos, o futuro da Nintendo estará recheado de sucesso. Para nós fãs da companhia japonesa e da indústria em geral, esta consola será sempre relembrada como um marco no mundo dos jogos, proporcionando memórias e momentos incríveis que iremos guardar para sempre.

 

Nintendo Switch Dock

 

Chegamos ao fim deste artigo, espero que tenham gostado de conhecer um pouco sobre o mundo Nintendo!!

Este artigo será integrado numa serie que pretendo lançar no futuro, onde irei abordar a história e o impacto da Nintendo no mundo dos videojogos. Por isso fiquem atentos!

Caso tenham sugestões sobre outros temas relacionados com a Nintendo ou sobre o universo dos videojogos, deixem nos comentários!

 


Para mais artigos sobre Nintendo Switch


Hyrule Warriors: Age of Calamity – Análise

 

 

0 comentário


Também deverás gostar de

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.