One Piece Episódio 544

por Renato Sousa
Anime One Piece

The Sun Pirates Split! Jimbei vs. Arlong

Este é mais um episódio em que ouvimos Jimbei contar a história dos Sun Pirates e da Queen Otohime. Depois da morte de Fisher Tiger, os conflitos começam a surgir entre a tripulação. Nomeadamente entre Jimbei e Arlong, como diz o título do episódio. Quanto a Otohime, esta vê a sua missão ficar cada vez mais complicada.

 

Galeria de Imagens: One Piece Episódio 544

 

 

Revoltado, indignado e totalmente fora de controlo. Assim ficou Arlong, segundos após a morte de Fisher Tiger. Incapaz de ficar parado, com o ódio que sente pelos humanos a atingir um nível nunca antes visto, Arlong parte em direção à ilha onde Koala foi entregue para desfazer completamente os Marines que ainda estão por lá.

As coisas teriam corrido de feição não fosse estar por lá Kizaru. Apesar de naquele tempo ainda não ser Admiral, o seu poder já era o que nós conhecemos do presente da história. Ou seja, Arlong não teve a mínima hipótese.

Neste momento, podemos ver as lágrimas do futuro Capitão dos Arlong Pirates, tal era a dor que sentia pela morte de Fisher Tiger. Uma personagem realmente extremista no que toca a afetos. Puro ódio aos humanos e grande amor pelos fishmans.

Esquecendo por uns instantes os Sun Pirates, vamos agora viajar até Fishman Island e descobrir o que por lá anda a fazer Otohime.

Parece que o mesmo de sempre. A Rainha ainda não desistiu das assinaturas. Mais importante do que isso, começou, com a ajuda dos guardas do Palácio, a socorrer os humanos que aterravam em Fishman Island e eram vítimas de piratas e de naufrágios.

Se as coisas até estavam razoáveis, tudo mudou com a morte de Fisher Tiger. Depois de Arlong confessar aos Marines que o Capitão dos Sun Pirates tinha falecido e da notícia se espalhar pela ilha, os habitantes começaram a exigir as assinaturas de volta, o que fez Otohime regressar à “estaca zero”. Se poucos eram os progressos, com este comportamento dos cidadãos tudo se foi.

À semelhança de Arlong, incapaz de controlar a dor, o sofrimento e o fracasso, Otohime acaba por se embebedar no Palácio de Ryugu, ligar os microfones espalhados por toda a ilha e começar a falar para a população. Em lágrimas, esta acaba por falar daquilo que os fishmans podiam conhecer do mundo caso coexistissem com os humanos, para além de acusar todos aqueles que a estão a ouvir naquele momento de serem cobardes e de terem uma atitude passiva.

No artigo relativo ao episódio anterior, tinha dito que não era muito claro o que se tinha passado na luta entre Jimbei e o Vice Admiral Strawberry. Neste capítulo, com Strawberry a surgir diante de Kizaru, todo ligado, a contar o que se passou, percebe-se que Jimbei derrotou com clareza o homem da Marinha e, mais ainda, do quão poderoso o futuro Shichibukai (Warlord of the Sea) é na realidade.

Por falar em Shichibukai, esse é o tema que se segue neste número 544 de One Piece. Com a cabeça a prémio pelo preço de 250 milhões de berries, Jimbei recebe uma oferta da Marinha para se tornar Warlord of the Sea.

Ao aceitar, e já todos sabemos que o vai fazer, todos os membros dos Sun Pirates que outrora foram escravos em Mariejois vão receber uma amnistia por parte do Governo Mundial (World Government). Mais do que isso! Com esta decisão, os fishmans ficarão mais próximos desta Organização Internacional, o que vai de encontro aos objetivos de Otohime.

Só falta então referir o caso Arlong. Com a aceitação do cargo de Warlord of the Sea por parte de Jimbei, Arlong abandona a mítica Impel Down. Logo de seguida, Arlong confronta Jimbei pelo facto de este se ir tornar um servo de uma Organização de Humanos. Os dois acabam por se confrontar, sendo evidente a superioridade de Jimbei.

Assim, com objetivos e ideais diferentes, Arlong e Jimbei acabam por se separar e extinguir os Sun Pirates. Também se forma um terceiro grupo, mas sobre esse não existem grandes detalhes.

Desta forma terminou mais um episódio de One Piece, que se ficou pelo razoável. As revelações não foram nada por ai além. Quando é assim nas partes em que se fazem viagens ao passado, a coisa torna-se monótona. Que o próximo seja mais interessante. Até lá!

 

0 comentário


Também deverás gostar de

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.