Occultic Nine – Análise

por Usagi Wright
Occultic Nine Análise

Título: Occultic Nine
Adaptação: Light Novel
Produtora: A-1 Pictures
Géneros/Demografia: Mistério, Sci-Fi
Ficha Técnica: Disponível
Primeiras Impressões: Disponível 

 

Um dos animes desta Temporada de Inverno de 2016 que realmente me surpreendeu tendo em atenção os primeiros episódios.

 

Occultic Nine | Opening

“Seisuu 3 no Nijou” – Kanako Itou

 

Occultic Nine | História

A sinopse deste anime é a seguinte: a história de “ciência paranormal” segue nove indivíduos idiossincráticos, ligados pelo blogue sobre o oculto “Chōjō Kagaku Kirikiri Basara” liderado por Yūta Gamon, um aluno de 17 anos que integra o segundo ano do 3º ciclo. Pequenas incongruências que ocorrem à volta destes nove levam, eventualmente, a um inimaginável e maior evento, que pode alterar aquilo que é considerado o senso comum neste mundo.

 

Occultic Nine Análise

 

Depois das Primeiras Impressões que fiz de Occultic Nine o que eu merecia era uma estalada por ter dito tão mal do mesmo. A verdade é que eu não estava habituada a um anime feito daquela forma e a verdade também é que um anime assim não cabe nos gostos de qualquer um. O modo de contar a história não é convencional e lembra-me algo tipo Baccano ou Durarara!!. A premissa de “estranha mas depois entranha” pode ser aqui aplicada. Mas atenção! Eu não estou a dizer que Occultic Nine é um anime por aí além, só que não é aquilo que parece ser nos primeiros episódios.

 

Occultic Nine Análise

 

Occultic Nine | Consistência & Falhas

A verdade é que o primeiro episódio assusta qualquer pessoa; a rapidez das falas e das cenas é de tal forma que termina-se o mesmo com dor de cabeça… ou então com vontade de dormir, já que aquilo cansa até os mais fortes. No segundo episódio o ritmo desacelera e o espetador consegue acompanhar melhor o enredo.

Porém…

Verdade também é de que mesmo abrandando o ritmo das falas, o desenvolvimento dos personagens ainda não é feito o que torna, de certa forma, inútil o mistério apresentado. Uns episódios mais à frente o desenvolvimento é realizado mas este ritmo volta de novo a espreitar e basta piscar os olhos duas vezes para “perderem o fio à meada” –  aliás, muitas vezes chegava ao final de um episódio e exclamava: What Que raio acabou de acontecer? Alguém explica produção?!”.

Apesar de todos estes obstáculos, episódio a episódio as peças do puzzle vão-se mais ou menos encaixando, como se espera de uma obra de mistério. No final, (quase) tudo tem uma explicação ainda que as cenas demorem a ser resolvidas.

 

Occultic Nine Análise

 

Vocês estão a perceber que eu estou com um pé num lado e com um pé no outro, certo?

Porque se por um lado: Occultic Nine vos oferece um enredo interessante e que dá vontade de acompanhar, partir à descoberta e debater com os amigos sobre o vai acontecer (e muitas suposições são feitas)…

Por outro lado, este anime apresenta um mistério que, para quem já é craque nestas andanças, não é nada por aí além – pois por volta do quinto/sexto episódio já sabem do que tudo se trata – e também personagens estereotipadas que vamos ver a seguir (avisando que esta lista foi feita após visualizar o primeiro episódio e no entanto nada mudou):

  • A menina kawaii que não tem nada na cabeça;
  • O rapaz de óculos que é o esperto (tem óculos, né?!) e que, ao mesmo tempo, é frio, distante e “cool“;
  • O gerente do café que usa maquilhagem e é misterioso (não são todos?);
  • Uma possivelmente Yundere/Tsundere;
  • A gaja mamalhuda e histérica que só serve para ser o ecchi na maior parte do anime

Quanto a esta última eu tenho mesmo de mostrar mais um gif.

 

Occultic Nine Análise

Amiga, precisas de uma cirurgia, isso não faz bem às costas.

 

Depois, algo que também me chateou em Occultic Nine foi o protagonista bipolar, que tanto era badass como era um chato que só sabia chorar – e isto constantemente (até me fez lembrar a Mumei de Kabaneri). Mas como toda a série é mesmo “passada da cabeça” eu vou desculpar.

Agora, um ponto que realmente me incomoda e baixou por completo a nota do anime foi o facto de o mesmo precisar de 24 episódios para ser devidamente bem desenvolvido e não apenas dos 12 a que teve direito. Caso Occultic Nine não venha a ter uma segunda temporada, este ficará com várias pontas soltas e situações mal explicadas, para além do pobre desenvolvimento de praticamente todos os personagens (que convenhamos, conseguir aprofundar nove personagens principais é realmente algo que leva tempo).

A correria para caber tudo em míseros 12 episódios foi o derradeiro aspeto negativo deste anime.

 

Occultic Nine Análise

 

Occultic Nine | Ambiente & Banda Sonora

O ambiente em Occultic Nine é aquilo a que posso chamar de interessante. Para além das cores brilhantes e vibrantes de uns personagens e o contraste com as tonalidades sombrias de outros, alguns dos ângulos mostrados ajudaram a compor a “maluqueira” toda que o anime tentou transmitir. Ok, entendo que muitos deles conseguiram deixar-nos tontos, mas não deixou de ser apelativo ver toda aquela desordem visual que combinava na perfeição com a desordem do enredo.

 

Occultic Nine Análise

 

O aspeto visual é algo que se mantém constante durante todo o anime e não vemos nenhum episódio que apresente pior animação que outro. Também o design dos personagens é peculiar e facilmente identificável pelos espetadores, o que é um ponto positivo, apesar de, como escrevi em cima, os mesmos serem demasiado estereotipados. Algo que aponto no character design é o formato dos narizes… sinceramente, são bastante estranhos, não gostei do resultado.

 

Occultic Nine Análise

 

A Banda Sonora em Occultic Nine é algo que foi porcamente mal aproveitado. A música utilizada durante os episódios é praticamente “invisível” e caso não estejamos atentos a este aspeto em especial nem sequer conseguimos notar ou dar conta da sua presença – tirando quando alguém está a explicar algo e aparecem uns sons destoantes no fundo num loop infinito. Aliás, todos os sons são isto mesmo, repetições em si.

Já a opening e a ending estão excelentemente bem empregadas e dão vontade de ouvir vezes sem conta (quando nunca se passa estas músicas à frente, é porque elas são boas!).

 

Occultic Nine | Juízo Final

Uma história paranormal que nos leva a questionar sobre o que é real e o que não é, o que é ou não possível e a dualidade ciência versus mundo oculto. Occultic Nine mostra-nos, assim, o mundo de nove jovens que vêm a sua vida “virada do avesso”, o seu desespero em entenderem e saírem daquela situação.

Uma opção para quem gosta de animes de mistério mas não para quem tem bom olho e consegue decifrar enigmas facilmente.

 

Occultic Nine Análise

 

A forma como tudo foi encadeado não consegue satisfazer a curiosidade do espetador mais exigente, que necessite ver todos os dilemas resolvidos. A combinação de nove personagens principais, que precisam de foco próprio, e apenas 12 episódios faz com que o anime não desenvolva o suficiente para merecer lugar de destaque na categoria “mistério”.

Num total e analisando globalmente, Occultic Nine consegue facilmente entreter, por isso, quem não estiver à procura de uma história densa e detalhada de mistério ou sci-fi, achará aqui uma agradável surpresa.

 

 

2 comentários


Loading...

Também deverás gostar de

2 comentários

Diego Rox 4 Março, 2020 - 16:20

Na verdade occultic nine só é uma péssima adaptação mesmo.

Responder
Usagi Wright 4 Março, 2020 - 17:20

Não conhecendo o material original, só posso considerar que talvez seja mesmo verdade. É pena, o anime poderia ter sido bastante interessante.

Responder

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.